terça-feira, 29 de julho de 2014

PROJETO DA VALE AMEAÇA NASCENTES E RIOS DA SERRA DA GANDARELA EM MINAS GERAIS

Ameaçados Ao Nascer

O projeto da Vale S/A exemplifica bem a situação das águas de Minas e de todo o interior do país: mas na contramão disso, jornal e site mineiro fazem esta série ecológica de grande valor  

Nas proximidades de Belo Horizonte, o projeto "Mina Apolo" da Vale S/A ameaça destruir não só a já histórica cachoeira do Rio Santo Antônio, mas dezenas de nascentes e rios em toda a Serra do Gandarela: com críticas de lideranças do movimento ecológico e de cidadania de todo o Brasil, a empresa dá sinais que pode recuar neste empreendimento que projetou para começar neste ano. Ao mesmo tempo, o jornal Estado de Minas e o seu site em vêm realizando com um grande sucesso de comunicação uma série de reportagens, "Ameaçados Ao Nascer", enfocando em variadas regiões deste estado, com enormes recursos hidrominerais, a situação de extremo perigo de morte das suas águas, uma das maiores riqueza da natureza mineira. "Aqui no blog da ecologia e da cidadania Folha Verde News estamos divulgando tanto a ameaça deste projeto da Vale como esta importantíssima série de matérias que fazem um levantamento crítico da situação toda, para reafirmar a necessidade urgente de uma gestão em desenvolvimento sustentável em Minas e em todo o Brasil, equilibrando a proteção dos recursos naturais, nossa última ecologia, com os empreendimentos de exploração econômica  destes recursos, para que nossa nação e a nossa vida tenham chance de sobreviver e de ter futuro", comenta por aqui o nosso editor, o repórter e ecologista Antônio de Pádua Padinha. Com entusiasmo, Padinha divulga por aqui também esta série de reportagens do jornal Estado e portal em  - vale a pena você conferir - que acaba de ganhar  edição especial no iPad.  Acesse o endereço na web indicado como fonte e confira em todos os detalhes toda esta importante série de informações.
Em quase 5 mil quilômetros percorridos entre trechos fluviais e terrestres, a série  de matérias de Mateus Parreiras denuncia as agressões que sugam as nascentes de alguns dos mais importantes rios que cortam Minas Gerais. Como resposta às publicações e postagens, o Ministério Público já está exigindo medidas das autoridades que coíbam agressões aos rios e às nascentes em Minas Gerais, foco da série de matérias. Já se indica a criação de áreas de preservação nestes locais. A série investigou as fontes de poluição que roubam a cultura dos ribeirinhos ali na região famosa como Vale do Jequitinhonha. Mostrou que o Rio Doce já nasce com 5.172% mais coliformes termotolerantes que o limite considerado de segurança. Revelou as ameaças que cercam o santuário onde brota o Rio Santo Antônio, onde nadam os últimos espécimes de peixes como o Andirá.  Enfim, todo um raio X da situação de extremo risco das águas de Minas Gerais.

Em Minas e em todo o Brasil a situação das nascentes e dos rios é a do maior risco
 

A seca não é o único desafio para as águas no interior do país


 

Nascentes sobrevivem nas proximidades com cidades, fazendas e indústrias
 
 
 
Até mesmo na Serra da Canastra e nascente do Rio São Francisco há problemas e ameaças
 
A saga das nascentes que alimentam os rios de Minas, matam a sede de cidades e sustentam hidrelétricas depois de sobreviverem a mineração, desmatamento, assoreamento e poluição agora pode ser conferida em publicação especial no EM Digital, disponível para tablets, smartphones e desktops: “O formato permite aproveitar os recursos de várias mídias. Criamos uma narrativa mais abrangente, explorando mais fotografias, usando vídeos em passagens específicas e gráficos para contar essas histórias. É o caminho de nossas reportagens especiais, de agora em diante”, afirma o editor de arte do Estado de Minas, Álvaro Duarte, o que valoriza e amplia o alcance da série de reportagens de Mateus Parreiras e de Leandro Couri. Uma série de reportagens que é um grande acontecimento na mídia brasileira e com certeza repercutirá em todo o planeta.


Fontes: www.em.com.br/especiais/nascentes
             www.ambientebrasil.com.br
             www.folhaverdenews.com

7 comentários:

  1. Se até nas nascentes da Serra da Canastra e nas barrancas de rios como São Francisco e Santo Antônio, dentro do Parque Nacional, há ameaças de problemas, imagine por toda Minas e por todo Brasil...

    ResponderExcluir
  2. Um projeto sustentável de áreas de proteção de nascentes e de rios, como está pedindo agora o MP de Minas Gerais, é a saída de emergência agora. Urge toda uma nova realidade no setor.

    ResponderExcluir
  3. As postar aqui a série de reportagens "Ameaçados Ao Nascer", do jornal Estado de Minas e do site em nós aqui do blog Folha Verde News estamos divulgando, cumprimentando e mostrando o exemplo positivo, como ponto de partida diante desta situação negativa demais de nossos recursos naturais e hídricos, não só em Minas, em todo o país.

    ResponderExcluir
  4. Problemas como garimpos, agrotóxicos, desmatamento, perda de matas ciliares, variadas formas de poluição, exploração turística ou imobiliária insustentáveis, mineração ilegal, são várias as ameaças, além da seca e escassez de água que abalam todo o interior do Brasil.

    ResponderExcluir
  5. Envie você também o seu comentário dentro desta pauta, mande o e-mail para navepad@netsite.com.br

    ResponderExcluir
  6. "Agora que teremos eleições presidenciais, é importante conferir as informações desta série, bem como a questão da Vale perto de BH, estes problemas não podem ficar de fora de um programa de algum candidato que tenha visão de desenvolvimento sustentável a bem do Brasil, a campanha eleitoral normalmente tem ficado só em questões secundárias da politicagem": é em resumo a crítica que nos envia de Formiga (MG) o executivo no comércio naquela região, Pedro Lemos. Envie vc tb a sua msm para participar desta luta.

    ResponderExcluir
  7. "Por todo o país e não só em Minas, as nascentes, rios e cachoeiras são desprezadas, poluídas e destruídas, bom que alguém faça matérias assim": é parte da msm que recebemos de Isabela Santos, de Curitiba, Paraná, que nos envia material sobre as águas na sua região. Obrigado e paz aí na luta.

    ResponderExcluir

Translation

translation