sábado, 2 de agosto de 2014

A PARTIR DE HOJE UM RESGATE DO CINEMA NOVO (MOVIMENTO QUE FOI UMA REVOLUÇÃO CULT NO BRASIL)


 TV Brasil exibirá os filmes de Glauber Rocha

Glauber Rocha foi um dos expoentes do Cinema Novo, comenta Sueli de Freitas logo na abertura de sua matéria no site EBC (Agência Brasil): a gente acessou esta reportagem porque o repórter Cássio Freires, da Rádio Imperador AM e do portal PopMundi viu a notícia sobre a exibição dos filmes de Glauber, a partir de hoje, sábado, 2 de agosto, na TV Brasil, e a encaminhou aqui por e-mail do nosso blog Folha Verde News: "A gente agradece a informação e claro já estamos divulgando desde já a exibição dos principais filmes de Glauber Rocha. Ele foi perseguido político, teve muitos problemas e morreu precocemente aos 42 anos, de broncopneumonia e de aborrecimento com que então acontecia com os seus filmes e com a realidade cultural do Brasil".
 
Nas idéias e em cada take de imagem a busca da inovação e da crítica...

"Deus e Diabo na Terra do Sol", com Othon Bastos marcou o Cinema Novo

Glauber premiado em Cannes e em vários festivais de cinema no exterior

Desde seus primeiros trabalhos na Bahia mostrava novas alternativas....

...e "Terra Em Transe" consagrou mundialmente o seu talento como cineasta

 
“Quando Glauber Rocha morreu, estava exilado em Portugal, chegou a voltar ao Rio para uma última tentativa de socorro e de recuperação da saúde, mas não deu". É o que explica aqui, agora no blog da ecologia e da cidadania o nosso editor, o repórter e ecologista Antônio de ádua Padinha, também ligado a cinema, que teve alguns contatos com Glauber e participou da luta do Cinema Novo, "um movimento perseguido e destruído na época ditatorial", testemunha Padinha. Coincidindo com a morte prematura deste cineasta, em1981, Padinha ganhou um concurso nacional de roteiros, isso na extinta Embrafilme, concurso que previa o financiamento de um longametragem. Mas o roteiro premiado, foi censurado, sumiu e acabou não ganhando o prêmio conquistado, mesmo com Celso Amorim, que veio a ser o presidente da Embrafilme, tentando fazer valer a premiação: "Isso já passou, mas o pior é que este roteiro meu premiado, censurado, que infelizmente não virou filme e que se chamava "Fim de Semana No 3º Mundo" era uma tentativa de resgatar então o Cinema Novo, como liberdade de expressão e pesquisa de linguagem, também, como visão crítica da realidade brasileira"...Padinha se lembra bem de Glauber Rocha, como pessoa, quando uma manhã o encontrou no MASP em São Paulo para dialogar com ele sobre caminhos alternativos para se continuar inovando a estrutura e tornar mais popular o cinema brasileiro. Este objetivo de certa forma ainda não foi atingido... E a colaboração entre os dois acabou não acontecendo, Glauber Rocha foi embora do país, exilando-se em Sintra (Portugal) e Padinha acabou (depois de 16 projetos de TV proibidos pela Censura) mudando sua atividade para o jornalismo, virou repórter, especializando-se em ecologia e dedicado à luta pela não-violência, hoje edita este blog Folha Verde News que agora está postando a notícia: os filmes do mestre do Cinema Novo serão finalmente (quase todos) exibidos na televisão aberta brasileira, a partir deste sábado, na TV Brasil, todo o sábado, a partir de hoje, no horário das 22h30. Um evento cult do maior valor. Glauber Rocha lutou pensando em avançar o país e atrás de sua aparência apocalíptica e performática, na verdade, era um poeta das imagens e das palavras, que amava o Brasil e lutava para avançar nosso povo. "Ficaram os seus filmes, uma grande herança cultural, que precisa ser resgatada (algo que começa a ser feito hoje pela TV Brasil) e quem sabe, de uma nova forma contemporânea, retomada, revalorizando Glauber, que era premiado em alguns dos melhores festivais de cinema na Europa e proibido no Brasil", finaliza o editor do nosso blog. Serão 6 filmes de Glauber Rocha a serem exibidos aos sábados às 22h30 a partir de hoje na TV Brasil , que tem aumentado aos poucos a sua audiência, por iniciativas como esta: hoje será exibido o primeiro longa-metragem de Glauber, "Barravento", que foi filmado na praia do Buraquinho, em Itapuan, na Bahia, o começo de uma trajetória de muito sucesso cultural e muita polêmica em toda mídia.

O polêmico Glauber Rocha pode ser visto como um cineasta da liberdade

Fontes:  Tempo Glauber
              Agência Brasil
              www.ebc.com.br
              www.folhaverdenews.com

9 comentários:

  1. O polêmico Glauber Rocha pode ser visto como um cineasta da liberdade, ele que trabalhou em plena época ditatorial no Brasil e acabou sendo também uma vítima do seu tempo. Era avançado para a época, como então se dizia...

    ResponderExcluir
  2. Glauber de Andrade Rocha nasceu em Vitória da Conquista em março de 1939 (estaria fazendo agora dia 14 deste mês, 73 anos) e morreu em 1981, no Rio, vindo às pressas de Portugal, com uma broncopneumonia.

    ResponderExcluir
  3. O nosso editor Padinha se lembra que "Glauber tinha perdido uma irmã ainda quando garoto e em 1977, morreu a outra, Anecy Rocha, atriz de muito prestígio, que caiu no fosso de um elevador. Ele temia que ela tivesse sido assassinada pela repressão política. Era um cara torturado, sofriodo, mas um guerreiro da luta cultural, um contemporâneo do futuro Brasil que ainda existirá".

    ResponderExcluir
  4. Mande a sua mensagem ou comentário sobre Glauber Rocha, o Cinema Novo ou a série de exibições a ser feita pela TV Brasil a partir de hoje para o e-mail navepad@netsite.com.br

    ResponderExcluir
  5. "A filha de Glauber, Paloma, fez um trabalho de restauração dos filmes dele na Cinemateca e o seu filho, recentemente, um documentário sobre o pai, muito interessante", nos informa o baiano de Salvador, Alípio, que estuda na Universidade Federal da Bahia. Ele acha que os trabalhos dos filhos deveriam fazer parte da série de exibições da TV Brasil.

    ResponderExcluir
  6. "O livro de Zuenir Ventura, que também é cineasta, "1968, o ano que não terminou", foi amigo de Glauber e conta algumas passagens de sua vida tumultuada e de sua luta cultural": é uma das dicas que nos envia por e-mail José Ronaldo, de Brasília (DF).

    ResponderExcluir
  7. "Tinha um cara que chamava Glauber Rocha de Bim, tal o carinho que tinha por ele, embora tenham se encontrado só umas duas ou três vezes na vida. Esse cara é o Padinha, editor desse blog": a msm nos foi enviada por José Brito de São Paulo (SP), que ali conviveu com ambos.

    ResponderExcluir
  8. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  9. Envie vc tb o seu comentário opinião ou msm aqui pro nosso blog, através do e-mail navepad@netsite.com.br

    ResponderExcluir

Translation

translation