sábado, 9 de agosto de 2014

PESQUISAS COMPROVAM QUE OS ÍNDIOS SÃO OS MELHORES GUARDIÕES DAS FLORESTAS

Índios amazônicos já estão apresentando para a COP20 (cúpula mundial do clima que será em dezembro no Peru) propostas como guardiões das últimas florestas que sobrevivem na Terra

Dados ambientais nos últimos anos, colhidos por universidades e pesquisadores especializados  de vários países, têm demostrado que as terras indígenas são onde ocorrem menos desmatamentos, havendo muito maior proteção das florestas nativas em comunidades de índios do que até em reservas e parques ecológicos. Nesse sentido, o Brasil pode se sentir privilegiado, pois é o país com mais tribos e maior quantidade de povos da floresta. Estudos com este conteúdo foram divulgados, por exemplo, pela France Press e serviram de base para que agora recentemente em Lima, capital peruana, líderes indígenas de nove países de toda a região amazônica apresentassem propostas de proteção ambiental e florestal, que eles esperam que venham a ser consideradas prioridade no evento sobre mudanças que acontecerá em dezembro no Peru. As associações e organizações indígenas da Amazônia fizeram uma lista de propostas que foram  apresentadas em coletiva de imprensa perante as autoridades locais do Ministério do Ambiente do Peru e mundiais do Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD). As propostas incluem implantar o programa "Amazônia Indígena Viva para a Humanidade", com recursos de 210 milhões de dólares, para ser aplicado nos 210 milhões de hectares - à razão de um dólar por hectare - nos quais estão distribuídos os povos amazônicos dos países que abrangem esta região que é a de maior densidade indígena do mundo. Este programa deve permitir, além do combate ao desmatamento, da proteção das matas nativas e de todos os recursos naturais, ajudar aos planos para melhorar a imagem dos índios e a  qualidade de vida dos indígenas, dar títulos territoriais, assim como o manejo holístico dos recursos das florestas, anunciou Alberto Pizango, um líder que chefia a Associação Interétnica de Desenvolvimento da Selva Peruana (AIDESEP). "Os recursos naturais são vitais para que exista vida no futuro da Terra e garanta um mínimo de equilíbrio ecológico, capaz de embasar gestões e metas de desenvolvimento sustentável, que favorecerão também as economias e a qualidade de vida do povo das cidades destes países, felizardos porque ainda têm índios e portanto mais perspectivas de futuro", comenta por aqui no blog Folha Verde News o nosso editor Antônio de Pádua Padinha, repórter e ecologista, que comemora estas informações como "um sinal de avanço para todas as populações e países que detém recursos naturais, bem como, uma revalorização dos povos indígenas, que têm sido desprezados e até atacados, dizimados,  como guardiões das florestas. Isso poderá ajudar a garantir a sobrevivência de todos os índios".  "Os povos indígenas são mesmo os guardiões das florestas. A Cúpula COP20 no Peru em dezembro de 2014 será uma oportunidade para fazer ouvir nossa voz", disse Cándido Mezua, indígena panamenho líder da Aliança Mesoamericana de Povos e Florestas (AMPB). As entidades reivindicaram, ainda, que todo projeto de desenvolvimento ou extração em seus territórios se adeque aos direitos, cosmovisões e propostas das comunidades nativas e que sejam sustentáveis, equilibrando a ecologia como a economia. Pediram, também, o reconhecimento de que "a livre determinação dos povos indígenas ajuda à humanidade e que sua criminalização agrava a crise climática". Neste sentido, exigiram "o cessar da perseguição" a indígenas que estão sendo julgados no Peru pela defesa de seus territórios e recursos. Foi citado também o surto de violência crescente contra os índios brasileiros. Por exemplo, líderes e membros de comunidades amazônicas começaram a ser julgados em maio pela morte de 18 policiais e civis: o julgamento na cidade de Bagua, na região do Amazonas (nordeste), pôs no banco dos réus 23 indígenas de um total de 53 acusados após os  enfrentamentos entre forças policiais e indígenas ocorridos há cinco anos, no âmbito de um protesto contra um pacote de leis a favor de petroleiras. As pesquisas divulgadas agora e as conclusões depois da Cúpula COP20 poderão também pesar a favor dos indígenas em casos como este julgamento. Mesmo com toda força das empresas petrolíferas, agroindustriais, madeireiras, mineradoras e ruralistas que mantém em vários países lobbies de defesa dos seus interesses, estas informações positivas que provam (em estatísticas feitas ao longo de vários anos por entidades de prestigio internacional), que é um fato serem os indígenas os melhores guardiões das florestas, estas informações significam uma grande esperança de futuro para a natureza e para os próprios índios. 

 
Por serem guardiões das florestas os povos indígenas podem ganhar mais força...

...a partir da Cúpula do Clima da ONU no Peru em dezembro...

Todos os recursos naturais das floresta são melhor protegidos por eles...

....e até os índices de desmatamento são muito menores nas terras indígenas...

...do que até em reservas ou parques ecológicos mais ameaçados por desmates e depredações

Fontes: AFP
             www.noticiasbol.uol.com.br
             www1.folha.uol.com.br
             www,folhaverdenews.com

 

7 comentários:

  1. Os noves países que integram a Amazônia estarão representados por autoridades e também por lideranças indígenas no COP 20, cúpula mundial sobre o clima da Terra, da ONU, em dezembro, em Lima no Peru.

    ResponderExcluir
  2. O Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) tem propostas que incluem implantar o programa "Amazônia Indígena Viva para a Humanidade", com recursos de 210 milhões de dólares, para ser aplicado nos 210 milhões de hectares - à razão de um dólar por hectare nestes nove países amazônicos, entre eles, claro, o Brasil.

    ResponderExcluir
  3. Apesar de toda a violência contra os povos indígenas nas várias regiões do Brasil, somos ainda o país com maior população de índios e com mais variedade de tribos e de culturas nativas: isso cada vez mais será revalorizado, sob o ponto de vista de um desenvolvimento sustentável para a economia, que inclui a defesa da ecologia.

    ResponderExcluir
  4. A gente aqui do blog espera que a cúpula mundial do clima no Peru neste final de 2014 seja o marco divisório da realidade que, atualmente, é de dizimação dos povos indígenas, passando a ser de valorização de todos os povos da floresta, a bem até das chances de futuro da vida aqui e em todo o planeta, que depende dos recursos naturais que por sua vez são melhor protegidos pelos indígenas...

    ResponderExcluir
  5. Envie você também um comentário, informação ou mensagem aqui para o nosso blog da ecologia e da cidadania, mando o seu e-mail para navepad@netsite.com.br

    ResponderExcluir
  6. "Finalmente, uma notícia feliz para todos os que lutam pela ecologia e estão cada vez mais chocados com a violência contra a natureza e os índios, como os Bororos no Araguaia ou os Kaiowás no Mato Grosso": é a msm que nos manda de Brasília (DF) Nelson José, que se prepara para vestibular na Unb.

    ResponderExcluir
  7. "Essa canção do Índio tem tudo a ver com a mensagem do blog, curti muuuuito as duas coisas": é o que escreve em seu e-mail Robson, que faz Serviço Social na Unesp Franca.

    ResponderExcluir

Translation

translation