sábado, 13 de setembro de 2014

NEM TODOS PRESIDENCIÁVEIS TÊM PROPOSTAS PARA RESOLVER A QUESTÃO INDÍGENA NO BRASIL

Resumo de alguns projetos para os problemas dos índios que o site Terra e a gente captamos nos debates ou nas declarações na mídia de alguns dos candidatos ou candidatas nem todos têm ainda um plano de governo: entre os temas estão demarcação de terras indígenas, a busca de uma realidade que equilibre interesses econômicos com ecológicos, o tal do Desenvolvimento Sustentável (muito pouco discutido ainda no país), ele que com certeza é o que realmente poderá gerar um novo padrão de vida ou sobrevida para a natureza e os povos da floresta

                                                                                                     
Dos 11 que se candidatam à Presidência da República, 4 nem citaram e muito menos apresentaram propostas de governo e muito menos para as comunidades indígenas. A maioria apenas faz um discurso bonito. Entre os programas em que essas populações são contempladas, a aceleração do processo de demarcação de terras é o ponto comum mais destacado pelos candidatos ou candidatas. Saiba a proposta de alguns presidenciáveis para se criar no país uma nova política indigenista, algo que é urgente mas vem se arrastando sem solução sustentável desde a democratização, que ainda está acontecendo: "Agora, cresceu no país e no planeta o movimento ecológico e de cidadania, isso é o que destaca também este tema, confira a seguir síntese do site Terra que resume alguns pontos desta questão, fundamental para que nosso país vire uma nação de verdade", comenta por aqui no blog Folha Verde News, nosso editor, o repórter e ecologista Antônio de Pádua Padinha.
 
 
Nem todos candidatos, aliás, poucos, tem propostas para a questão indígena
    
Dilma Rousseff
A atual presidente promete dar continuidade às ações de reestruturação produtiva de uma economia de baixo carbono. Segundo ela, a aposta do governo nesses investimentos está focada no uso de recursos naturais. Dilma destacou que essa estratégia representa a melhor forma de preservação e lembrou que as populações tradicionais que ocupam regiões com importante presença da biodiversidade têm papel fundamental.
 
Marina Silva 
A presidenciável do PSB destacou que uma das maiores riquezas humanas e culturais do país é a presença dos povos e comunidades tradicionais e defendeu que essas populações tenham seu território garantido “como prevê a Constituição Federal”. Marina propõe mecanismos de gestão de conflitos para finalizar a demarcação dessas terras, a retomada da criação de unidades de Conservação de Uso Sustentável e um sistema de compensação financeira para as comunidades tradicionais que promoverem a preservação dos recursos naturais e da biodiversidade. A ambientalista promete dar maior atenção à formação de profissionais de saúde indígena e adotar metas para melhorar os indicadores de saúde dos índios. Marina promete a criação de um fundo de regularização fundiária para indenizar povos que ocupam terras originalmente indígenas por erro do Estado, reduzindo conflitos, reparando injustiças e acelerando o processo. Marina ainda afirma que vai propor uma legislação específica para o reconhecimento e proteção de conhecimentos tradicionais,  criar um programa de fomento à criação de cooperativas de artistas indígenas e quilombolas, e fortalecer técnica e politicamente a Fundação Nacional do Índio (Funai).

 
 
Eduardo Jorge
O escolhido do PV para tentar a presidência afirmou que seu partido está tradicionalmente na vanguarda dos temas relacionados aos direitos humanos, à democracia e à cultura de paz. Eduardo Jorge garante o reconhecimento dos direitos dos povos indígenas aos meios de sobrevivência econômica e cultural, como o direito à terra e de tomada de decisões. O candidato ainda ressaltou a contribuição cultural dos povos indígenas.
 
Luciana Genro
A candidata do PSOL criticou o que chamou de retrocesso em relação à democratização da propriedade da terra no país. Segundo ela, “a aliança do governo com o agronegócio está mais firme do que nunca” e a ampliação da fronteira agropecuária agravou a situação de povos tradicionais e agricultores, acirrando conflitos agrários. Luciana afirmou ainda que as manifestações de junho do ano passado que tomaram as ruas de centros urbanos motivaram também as comunidades que vivem em outras áreas a protestar em busca de seus direitos.
 
Imagem síntese de um dos debates entre os Presidenciáveis em que a questão foi levantada

Os povos indígenas querem uma nova realidade sustentável no país, eles são os pais da pátria
 
             www.folhaverdenews.com
 
 

7 comentários:

  1. Presidenciáveis que não têm proposta para a questão indígena em suma não têm projeto nenhum de governo neste país onde a natureza e os índios são fundamentais para a cidadania, a história e a criação de um futuro sustentável de nossa terra, nossa gente.

    ResponderExcluir
  2. Agora que a campanha eleitoral, como todos os erros e limites da atual legislação política no Brasil, onde prevalecem a indústria do voto e o poderio econômico de candidatos ou partidos sobre idéias ou propostas, agora que está começando a se discutir temas de tanta importância como esta questão pautada hoje aqui em nosso blog.

    ResponderExcluir
  3. Estaremos acompanhando debates e declarações ou posicionamentos dos Presidenciáveis, a partir de agora nesta reta final mais ainda, mesmo porque para a maior parte do movimento ecológico e de cidadania no país, as propostas e não a overdose de propaganda é que definem a escolha, o voto.

    ResponderExcluir
  4. Nesse sentido fundamental de debate, mande você também a sua opinião, comentário, proposta, crítica ou mensagem sobre este tema, enviando o seu e-mail para navepad@netsite.com.br

    ResponderExcluir
  5. "Acessei aqui para conferir o clip do documentário sobre o caos no clima, do ambientalista David Attenborough, curti muito e além do mais vi esta postagem sobre este que é um dos principais problemas brasileiros na atualidade, que realmente não pode mais ser empurrado com a barriga pela classe política nacional, sob pena de o Brasil perder toda a credibilidade internacional": é a mensagem que nos enviou o advogado Darci de Almeida, que planeja fazer em BH (Minas Gerais) na Federal ou na PUC uma especialização em Direitos Humanos.

    ResponderExcluir
  6. "Me desculpe o Padinha, sempre bem intencionado e colocando em questão assuntos importantes do país, mas esta campanha eleitoral está mais na baixaria, na mesquinharia, nas fofocas, vou mesmo é votar nulo": Maria do Carmo Santos, de Ribeirão Preto (SP) que faz um curso de Enfermagem para atuar neste setor, nasceu em Pradópolis e pretende ir para São Paulo.

    ResponderExcluir
  7. "Uma vergonha o desgoverno em SP e no país todo na questão ambiental e no problema dos índios a maioria dos políticos e também a maior parte da população não estão nem aí, não é o que penso mas para mudar creio que não basta só uma eleição": José Geraldo, de Divinópolis (MG), representante comercial de produtos naturais.

    ResponderExcluir

Translation

translation