quinta-feira, 9 de outubro de 2014

A ORGANIZAÇÃO DAS NAÇÕES UNIDAS RESSALTA A IMPORTÂNCIA DO DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL HOJE EM TODO PAÍS

Benefícios da proteção da biodiversidade superam custos financeiros, diz relatório da ONU




De acordo com relatório sendo divulgado hoje pela ONU, a implementação de medidas de gestão que promovam o uso sustentável dos recursos naturais e preservem a biodiversidade é um investimento que vale a pena e trará vários benefícios econômicos e ecológicos para os países. Esta posição foi divulgada agora durante a 12ª Conferência das Partes da Convenção da ONU sobre Diversidade Biológica (COP-12), em Pyeongchang, na Coreia do Sul. O relatório destaca que em todos os países há uma grande lacuna entre os investimentos necessários para atender as principais metas da biodiversidade e os recursos financeiros ou as medidas governamentais atualmente alocados para estes esforços. Além disso, o relatório técnico estimula a todos a compreender como é possível desenvolver planos de investimento financeiro em iniciativas que usam a biodiversidade de forma sustentável. "Podemos fazer uma outra leitura também deste documento de extremo valor, agora no Brasil, nesta eleição presidencial, uma gestão pública de desenvolvimento sustentável é o que pode fazer a diferença entre um país equilibrado ao mesmo tempo na sua economia e na sua ecologia com a falta de perspectiva, atraso administrativo, sofrimento da população e destruição da natureza ou da chance de uma nação ter futuro", comentou por aqui no Folha Verde News, Antônio de Pádua Padinha, repórter e ecologista ao editar em nosso blog estas informações de grande atualidade. Ele se baseou em seu post também em um resumo do assunto feito pelo site nacional de temas e problemas socioambientais EcoDebate.  Segundo o presidente do painel de Alto Nível de Avaliação Global de Recursos para a Implementação do Plano Estratégico para a Biodiversidade 2011-2020 e autor do relatório, Carlos Manuel Rodriguez, apesar de terem mostrado o seu compromisso com as metas de biodiversidade de Aichi, os governos não possuem bons planos de investimento financeiro para essas questões. Para solucionar esta ambiguidade, Rodriguez pede aos países que apliquem uma “coerência política urgente”.  Como sugestão, disse que os países não devem simplesmente pensar em aumentar os gastos, mas em buscar formas inovadoras para que os investimentos em desenvolvimento também levem em conta a biodiversidade, que os interesses econômicos se equilibrem com os ecológicos. Ele passou ainda outras recomendações do documento, que incluem também diversificar as fontes de financiamento para a biodiversidade. Além disso, investir na proteção dos ecossistemas marinhos e terrestres com a visão de que isto possa resolver também outras questões de desenvolvimento mais amplas como as alterações climáticas, o diálogo fortalecido entre os governos e o desenvolvimento de iniciativas da biodiversidade que são vitais tanto as feitas pelo setor privado e sociedade civil como pelos governos dos países, cada vez mais a partir de agora.


O equilíbrio entre os interesses econômicos e os ecológicos garante a sustentabilidade de um país

Imagem que resume o conceito da economia ecológica....

Energias limpas geram desenvolvimento sustentável

As tecnologias mais avançadas garantem a biodiversidade e a própria vida

Fontes: www.onu.org.br
             www.ecodebate.com.br
             www.folhaverdenews.com

5 comentários:

  1. Fontes limpas e renováveis de energia, como a solar e a eólica, são as bases para um país implantar uma gestão pública de desenvolvimento sustentável.

    ResponderExcluir
  2. O resumo do documento COP-12 da ONU sendo divulgado agora reafirma os conceitos e a luta do nosso blog de ecologia e de cidadania, sendo muito oportunos neste momento histórico do Brasil, que vivencia uma eleição presidencial nestes dias.

    ResponderExcluir
  3. Só uma gestão pública sustentável, uma nova cultura de desenvolvimento, apenas a economia ecológica garantem mudanças e avanços num país.

    ResponderExcluir
  4. Envie a sua mensagem dentro desta pauta de hoje aqui em nosso blog, mandando o seu e-mail para navepad@netsite.com.br

    ResponderExcluir
  5. "Há uns 20 quem falava em economia ecológica nem era entendido ou visto como ambientalista radical, hoje são os economistas e no caso, o relatório da ONU que citam este conceito, ele mostra que o Brasil e em geral o planeta estão desatualizados ou defasados no tempo": é o comentário que nos envia o pesquisador da Unicamp, Paulo Sanches, que está regressando de uma viagem de estudos nesta área na Suécia.

    ResponderExcluir

Translation

translation