terça-feira, 28 de outubro de 2014

LIVRO VERMELHO DA FLORA DO BRASIL GANHA AGORA EM 2014 O PRÊMIO JABUTI

Trabalho científico de dois pesquisadores brasileiros aponta espécies nativas ameaçadas de extinção hoje em várias regiões do país que já foi um paraíso da natureza: o livro e a sua premiação agora são um alerta sobre a desnatureza que avança há décadas no Brasil




Luciene de Assis e Marco Moreira, da assessoria de imprensa do Ministério do Meio Ambiente, é que estão confirmando a informação: Gustavo Martinelli e Miguel Ávila Moraes coordenaram uma rede de mais de 200 especialistas, durante dois anos de trabalho coletivo e contínuo até a finalização desta obra, agora premiada pelo Jabuti 2014 na categoria Ciências Naturais, o "Livro Vermelho da Flora do Brasil". Esta premiação é muito respeitada no país e no exterior, por que mais do que um evento de mercado editorial ou uma recompensa financeira, tem um grande valor cultural. Na pesquisa de Gustavo Martinelli e Miguel Ávila Moraes plantas da família das bromélias estão criticamente em perigo, seguidas das orquídeas, girassóis e margaridas, ao lado de outras 4.613 espécies da flora brasileira ameaçadas de desaparecer. A cerimônia de entrega deste prêmio está marcada para 18 de novembro, em São Paulo, mas a publicação já está sendo consultada e procurada por variados tipos de profissionais do setor da Botânica, da Biologia, da engenharia florestal, também por técnicos em meio ambiente, estudiosos da natureza, ecologistas e cultivadores de plantas nativas do Brasil. "Da mesma forma e na mesma intensidade que espécies animais típicas dos biomas brasileiros estão cada vez mais ameaçados de sobreviver, também toda a nossa flora mais nativa, nesse sentido, é de muito valor este prêmio também, para os que lutam pela recuperação do equilíbrio ecológico do país", foi o comentário do editor do nosso Folha Verde News, o repórter e ecologista Antônio de Pádua Padinha ao captar estas informações no site Envolverde e divulgá-las aqui neste blog: "Além disso, a gente tem também que destacar a importância dos que cultivam em jardins ou no meio rural espécies da nossa flora, mantendo vivas estas plantas, que podem vir a ser importantes, não só pela estética, mas pelo equilíbrio ambiental e para eventuais pesquisas medicinais". Padinha procurou ressaltar também por aqui, ao divulgar este fato positivo, um alerta sobre "um lado negativo e crescente, o roubo de espécies nativas que são patenteadas no exterior, a pirataria de nossa flora e nossa fauna, que agora com este Prêmio Jabuti a estes dois pesquisadores de repente podem ser mais valorizadas". Com o apoio do Ministério do Meio Ambiente (MMA), o livro organizado pela dupla Martinelli e Moraes foi publicado em dezembro de 2013, com 1.102 páginas, vencendo o desafio de retratar a parte ameaçada da biodiversidade da flora nativa em risco de extinção, exibindo um miolo com qualidade de textos e fotos exuberantes que são excelentes formas de educação socioambiental pela beleza das nossas plantas. Para um dos autores, que é também o coordenador geral do Centro Nacional de Conservação da Flora (CNCFlora), instituição ligada ao Jardim Botânico do Rio de Janeiro, Gustavo Martinelli, o reconhecimento do "Livro Vermelho da Flora do Brasil" que ele realizou lado a lado com Miguel Ávila Moraes pode também semear uma nova realidade melhor para a nossa natureza, "um objetivo que só pode ser alcançado com uma gestão de desenvolvimento sustentável no país, onde está muito desequilibrada a relação e a convivência entre os interesses econômicos e o ecológico", conclui o ecologista Padinha sobre esta pauta por aqui em nosso blog verde.


Bromélias ameaçadas pela seca, desmatamento e desequilíbrio do clima
 

Nosso país apesar dos pesares é um dos mais ricos em fauna nativa


Fontes: www.envolverde.com.br
             www.folhaverdenews.com.br

8 comentários:

  1. Não se trata só de beleza, nossa fauna nativa precisa ser preservada porque muitas espécies têm aproveitamento medicinal e toda integram ecossistemas que garantem a biodiversidade, o equilíbrio ecológico que anda tão desregulado na atualidade em quase todo o mundo.

    ResponderExcluir
  2. Os brasileiros e brasileiras ainda não valorizam como merecem as nossas espécies nativas, sejam da flora ou da fauna, assim um livro como este, além do aproveitamento científico, tem um sentido de alertar sobre a perda ecológica e também estimulam uma nova consciência na Nação, servindo como um veículo de educação socioambiental.

    ResponderExcluir
  3. O Prêmio Jabuti, muito respeitado no Brasil e no exterior, chega neste ano à sua 56ª edição, estimulando a qualidade em várias categorias, como romance, contos, poesia, reportagem, obra infantil, pesquisa científica, são ao todo 20 categorias e em 2014 houve mais de 3 mil inscrições entre as quais foram selecionadas as 20 melhores produções cults. No caso, O Livro Vermelho da Flora do Brasil tem um especial interesse para o avanço por aqui também das Ciências Naturais.

    ResponderExcluir
  4. O renome deste Prêmio Jabuti veio ao longo de todas estas 56 edições, ano a ano, destacando o valor cultural e revelando nesse tempo alguns dos melhores autores brasileiros como Carlos Drummond de Andrade, Celso Furtado, João Cabral de Mello Neto, Lygia Fagundes Telles, Cecília Meirelles, Gilberto Freire, Antônio Cândido, Paulo Duarte e muitos outros talentos consagrados em várias áreas de atuação.

    ResponderExcluir
  5. Mande um comentário ou expresse a sua opinião sobre esta pauta ou sobre o livro de Gustavo Martinelli e Miguel Ávila Moraes, enviando a sua msm pro e-mail daqui do blog: navepad@netsite.com.br

    ResponderExcluir
  6. "Depois de matérias um pouco pesadas sobre questões políticas e ambientais, é um oásis um livro como este resgatando e protregendo o que resta de nossa fauna nativa": é a opinião de Maria Inês Bárbara, que estudou na Unicamp e se prepara para um doutorado no exterior na área botânica.

    ResponderExcluir
  7. "Esta premiação agora mostra também uma maior valorização nesse momento de crise no clima e problemas no ambiente da arte e da cultura ecológica, um canal para mudar esta situação": o comentário é do repórter Josinei Pereira, que atua em rádios e jornais na região de Pirassununga (SP): "Estou sempre dando uma olhada neste blog que sempre tem alguma coisa de interesse", diz Pereira.

    ResponderExcluir
  8. "A cultura ecológica é o principal prá gente mudar essa realidade de agressões aos recursos naturais e de biopirataria no país": a msm nos foi enviada por Laudelino, que atua como técnico e assessor científico de empresa na região de Amparo (SP).

    ResponderExcluir

Translation

translation