sábado, 4 de outubro de 2014

NO HORÁRIO ELEITORAL POUCO SE DISCUTIU SOBRE O POTENCIAL DO ECOTURISMO POR AQUI NA REGIÃO E EM TODO O BRASIL

Roberto Naime mostra no EcoDebate o alcance e os erros ou limites ainda existentes no universo do ecoturismo no país

 
 "O turismo é conhecido por indústria sem chaminés e tem crescido muito de forma que o PIB de países como a Espanha depende fundamentalmente desta atividade. Dentre os tipos de turismo, particularmente o Ecoturismo tem crescido exponencialmente sua participação. Inspirado no lazer com aventura e integração com o meio ambiente, o ecoturismo ou turismo ecológico tem sido uma fonte de geração de renda entre as populações. Turismo ecológico é um segmento da atividade turística, que utiliza de forma sustentável, o patrimônio natural e cultural, incentivando a sua conservação e buscando a formação de uma consciência integral através da interpretação do ambiente, promovendo a bem-estar das populações envolvidos. No entanto, a maioria dos locais onde se pratica esta forma turística, embora tenha grandes atrativos, em geral, não dispõe de infraestrutura adequada e não ocorre o gerenciamento dos vários fatores envolvidos nesta atividade. As atividades de lazer e recreação ou turísticas, nos espaços naturais não é apenas modismo. A opinião pública tem se conscientizado da necessidade de contribuir para a proteção ambiental. Se pelo lado da demanda, a motivação de contato com a natureza se torna cada vez mais intensa, a garantia de proteção ambiente passa a ser um argumento importante na oferta destes serviços. O ecoturismo de qualidade se torna economicamente viável quando associado com a proteção dos espaços naturais e quando dispõe de excelência na infraestrutura, equipamentos e serviços oferecidos. A deterioração dos ambientes urbanos pela poluição sonora, visual e atmosférica, a violência, os congestionamentos, as doenças provocadas pelos desgastes psicofísicos dos indivíduos são as principais causas da fuga das cidades e da busca do verde. O cuidado que se precisa ter é devido ao condicionamento deste homem urbano, que agredido em seu próprio meio, com frequência passa a agredir os ambientes alheios. A falta de cultura turística dos visitantes com frequência produz um comportamento alienado dos visitantes em relação ao meio que visitam. Esta realidade provoca uma série de impactos sobre o meio ambiente como a destruição da cobertura vegetal, a devastação de áreas nativas, a erosão das encostas e solo em geral, ameaça a várias espécies da fauna e da flora, poluição sonora, visual e atmosférica e contaminação de rios, lagos e até mesmo oceanos. Os impactos do turismo são devidos a sequências de eventos que produzem alterações nos meios físico, biológico ou antrópico, e cuja natureza, intensidade, direção e magnitude são muito diversas. Porém, os resultados interagem e são geralmente irreversíveis. Os impactos não são pontuais, derivados de ações espontaneístas. Ao contrário, são sistêmicos e decorrem de complexos processos de interação entre os turistas, as comunidades e os meios receptores. Muitas vezes, tipos similares de turismo provocam impactos diferentes, de acordo com a natureza das sociedades em que ocorrem. A ocorrência de elementos de ruptura do tecido social ou das tradições fortemente arraigadas em comunidades tradicionais ou interioranas, frequentemente podem ser os impactos ambientais mais relevantes. Ou seja, os impactos mais relevantes podem não estar nos meios físico e biológico, com a proteção da flora e fauna. Eles podem estar no meio antrópico e decorrerem de graves agressões às convicções históricas estabelecidas pelos valores, significados e senso comum das comunidades". (Roberto Naime é doutor em Geologia Ambiental, integra o corpo docente do mestrado e doutorado em Qualidade Ambiental da Universidade Feevale).

Por aqui na Serra da Canastra e em quase todos os parques ecológicos...

...os animais selvagens livres e sobreviventes estão entre as maiores atrações

...Os esportes radicais são a nova tendência dos jovens no ecoturismo...

...mesmo com tantos recursos naturais desprezados ou agredidos...

Mesmo com a seca deste ano há um grande potencial no interior...

 
...e no litoral também todo um canal para o ecodesenvolvimento


Fontes: www.ecodebate.com.br
             www.folhaverdenews.com

5 comentários:

  1. Realmente, parece existir um Brasil dentro e outro fora do Horário Eleitoral Gratuito, que terminou ontem (finalmente) mas sem debater muitas propostas e problemas, por exemplo, nem se questionou todo o potencial do ecoturismo em todas as regiões do Brasil, capaz de concretizar um programa sustentável de desenvolvimento, equilibrando o interesse econômico com o ecológico.

    ResponderExcluir
  2. Constantemente a gente vê a mídia denunciando empreendimentos que agridem a ecologia do meio ambiente, aos invés de aproveitar os recursos da natureza brasileira para o turismo.

    ResponderExcluir
  3. Só na região dos lagos de Furnas, no miolo interestadual entre São Paulo e Minas, sudoeste mineiro, nordeste paulista, só junto às represas do Rio Grande há mais de 200 empreendimentos de ecoturismo que viraram notícia policial e de processo judicial.

    ResponderExcluir
  4. Já passou da hora de o Brasil saber usar os recursos da nossa naturismo para um turismo da preservação e da ecologia, como mostra o texto do especialista Roberto Naime hoje, aqui, detalhando a força deste seguimento na atualidade da Espanha.

    ResponderExcluir
  5. Mande você a sua mensagem, opinião ou comentário sobre esta pauta, enviando pro e-mail do nosso blog: navepad@netsite.com.br

    ResponderExcluir

Translation

translation