quarta-feira, 1 de outubro de 2014

OPINIÃO DE BRASILEIROS E DE BRASILEIRAS DE VÁRIAS REGIÕES E SETORES PARA AVANÇAR OBJETIVOS DO DESENVOLVIMENTO DA ONU

Nosso blog de ecologia e de cidadania ligado nessa luta cult pela criação do nosso futuro


A gente por aqui no Folha Verde News foi informado por e-mail da Unic (a equipe de comunicação da Organização das Nações Unidas) sobre esta iniciativa que, de cara e ainda agora, mais ainda consideramos de grande valor: ela é organizada pelo Centro Mundial para o Desenvolvimento Sustentável (Centro RIO+), esta consulta online com a sociedade civil brasileira revelou que o se chegou a um documento final que é visto como um avanço frente à agenda da ONU para o desenvolvimento atual, os Objetivos de Desenvolvimento do Milênio (ODM). "Não se trata da perfeição mas de um processo de luta cultural, democrática e de cidadania, um processo em desenvolvimento que nosso blog por aqui divulga com esta perspectiva de mudar a atualidade e de criar o futuro do nosso país, do nosso planeta, da nossa vida", comentou nosso editor Antônio de Pádua Padinha, ao postar aqui estas informações do Centro RIO+. Como é claro e democrático, houve algumas criticas, contradições ou ponderações em contrário. Muitos participantes da iniciativa comentaram que o documento prevê um número excessivo de objetivos, 17 contra os oito dos ODM (Objetivos de Desenvolvimento do Milênio) com algumas contradições, ausência de hierarquia, indicadores, metas e prazos definidos. Tais argumentos apresentados na consulta realizada entre 25 de agosto e 5 de setembro integram os resultados que agora estão sendo lançados, coincidindo com a 69ª sessão da Assembleia Geral das Nações Unidas, recém ocorrida em Nova Iorque: ela responderá pela etapa derradeira de negociações para a aprovação dos ODS e da Agenda de Desenvolvimento Pós-2015, prevista para setembro de 2015. A agência da ONU sintetizou as contribuições recebidas em 12 mensagens-chave e enviou para especialistas no assunto, representando o governo brasileiro, academia e organismos internacionais para que respondessem às dúvidas e aos comentários manifestados na consulta. Dessa forma, esta iniciativa procura construir uma ponte entre os negociadores, seus assessores e a sociedade civil brasileira, ampliando a participação pública nos processos relacionados à agenda pós-2015 e incentivando uma reflexão crítica sobre a implementação da proposta de uma agende de desenvolvimento para cerca de setembro de 2015 em diante. A luta já começou agora. Entre os comentários recebidos, encontram-se a recomendação de inclusão de prazos intermediários para o alcance das metas e maior clareza nas definições. Observou-se, por exemplo, que pobreza extrema é um conceito que merece ser revisto para se adaptar às particularidades internacionais. A crítica ao uso do Produto Interno Bruto (PIB) como métrica para medir o desenvolvimento, particularmente sobre o fato dele não monitorar a qualidade do crescimento, também destacou-se nas contribuições apresentadas na consulta. Os participantes também pediram maior ênfase no tema da mudança climática e nos meios de implementação e abordagem mais adequada sobre os temas que estão entre os que mais preocupam lideranças de cidadania brasileira, como as drogas, saúde, transportes, segurança alimentar, violência e condição de vida humanitária. Este último ponto, na visão do repórter e ecologista Padinha, nosso editor, "inclui a prática de uma gestão sustentável de desenvolvimento, que torne possível um novo equilíbrio entre a ecologia e a economia, facilitando a condição humana de viver para todos os setores da população". Ele pede a inclusão desde conceito de sustentabilidade como um dos mais básicos para mudar e avançar a atual realidade, como uma nova agenda de desenvolvimento.

Os povos indígenas são 1 milhão de pessoas que não podem continuar à margem do Brasil


Novas alternativas de energia não poluentes e...

...os pesquisadores de vários setores precisam ser apoiados...

Os jovens estudantes também precisam ser ouvidos e participar do processo de desenvolvimento

Fontes: http://www.onu.org.br
             www.folhaverdenews.com


6 comentários:

  1. Importante esta iniciativa da ONU em ampliar o debate e divulgar uma nova agenda de desenvolvimento a ser anunciada a partir de setembro de 2015, um primeiro passo objetivo para criar o nosso futuro.

    ResponderExcluir
  2. A gente aqui no blog ressalta temas que deveriam ser prioritários, como o da mudança climática, em seus efeitos em cada região do país e do planeta. Por exemplo, por aqui em nossa macrorregião do interior do Brasil a seca nordestina, invadindo o sudeste brasileiro.

    ResponderExcluir
  3. Entre os temas que estão preocupando mais as lideranças de cidadania brasileira, estão as drogas, saúde, transportes, segurança alimentar, violência e condição de vida humanitária.

    ResponderExcluir
  4. Este último ponto, na visão do repórter e ecologista que é o editor do nosso blog, inclui a prática de uma gestão sustentável de desenvolvimento, que torne possível um novo equilíbrio entre a ecologia e a economia, facilitando a condição humana de viver para todos os setores da população. Padinha pede a inclusão desde conceito de sustentabilidade como um dos mais básicos para mudar e avançar a atual realidade, como uma nova agenda de desenvolvimento

    ResponderExcluir
  5. "Vi esta postagem e acho válida esta iniciativa da ONU de buscar nos vários países novos padrões de desenvolvimento: no caso do Brasil, creio que deveria haver um estímulo a uma reforma política e eleitoral para não se repetir o impasse deste eleição de 2014 que na minha visão não levará a nenhuma avanço": é um resumo do comentário do estudante de História na Unesp, Valdir Camargo, que veio de Colatina (ES) e atualmente está morando em São Paulo.

    ResponderExcluir
  6. Mande a sua sugestão para uma nova agenda de desenvolvimento da ONU para assim ajudar o processo de criação do nosso futuro: você pode enviar pro e-mail do nosso blog: navepad@netsite.com.br

    ResponderExcluir

Translation

translation