sexta-feira, 24 de outubro de 2014

PRISCILA CHAN E MARK ZUCKBERG TENTAM COLOCAR A CHINA NA REDE MUNDIAL DO FACEBOOK

O que significaria para Facers do Brasil e do mundo dialogar com internautas chineses? Será uma revolução para o ser humano?...

A cultura chinesa e a digital tem pontos em comum?...

Desde 2010, por influência dos parentes de sua mulher Priscila Chan, o fundador do Facebook estuda o idioma da China. Também por influência dela, agora recentemente esta rede social, que tem 250 milhões de usuários em todo o planeta, doou 25 milhões de dólares na luta contra o Ebola. O negócio do Facebook envolve atualmente quase 7 bilhões de dólares, então Mark Zuckeberg pôde fazer a doação sem problemas. Mas o que ganhou mais destaque na mídia foi a palestra dele na Universidade de Tsingua em Pequim, falando em Mandarim. Surpreendente também porque o  Facebook foi bloqueado na China há mais de cinco anos, mas o fundador da rede social, Mark Zuckerberg, parece estar em uma nova ofensiva para atingir o enorme mercado asiático. Em visita a Pequim nesta semana, Zuckerberg mostrou suas habilidades em Mandarim durante 30 minutos a uma plateia de estudantes, de acordo com informações do Los Angeles Times e do site Terra. “Dajia hao” (Olá a todos, em tradução livre), disse Mark Zuckeberg, arrancando aplausos dos estudantes. “Meu chinês é muito ruim, mas tentarei usar chinês hoje". O anfitrião da palestra disse que todos estavam chocados com o fato dele saber falar Mandarim. O fundador da maior rede social do mundo respondeu dizendo que tem aprendido o idioma para se comunicar com a família de sua mulher. “Primeiramente, minha mulher é chinesa. A família dela fala chinês e sua avó só fala chinês. Queria me comunicar com eles”, explicou: “Quando Priscilla e eu decidimos nos casar, eu disse a avó dela nossa decisão em chinês. Ela ficou surpresa.” De acordo com o jornal, embora Zuckerberg tenha se atrapalhado um pouco com as palavras, ele não teve grandes problemas para se comunicar com a plateia, que o aplaudiu diversas vezes. No evento, falou sobre os planos de contratar mais estudantes chineses no ano que vem para trabalhar na rede social. Priscila Chan, a quem Zuckeberg conheceu na Harvard é bióloga, graduou-se em Medicina pela Universidade da Califórnia, pretende se especializar em Pediatria e tem interesse na Medicina Natural, tradicional cultura ancestral chinesa. Ela tem uma visão menos pragmática ou mais humanista do que Mark Zuckeberg, curte ecologia, crianças e animais, modificou o modo de pensar e de agir do seu companheiro, bem capitalista e bem à americana, que antes de conviver com ela, era visto mais como um empresário que havia derrubado outros seis concorrentes que foram ao seu lado cofundadores do Facebook para se tornar dono deste império digital. "O nosso cão Beast gosta mais de ficar com Mark do que comigo e isso é um bom sinal do que ele é hoje como um ser humano", disse Priscila Chan, quando entrevistada por agências de notícias como a Reuters e a APF, para explicar a doação do Facebook na luta contra o vírus mortal Ebola. "De repente, na soma de todos estes fatores, humanos, culturais, não só business, esta rede social agora poderá crescer mais do ponto de vista ético ou de cidadania, poderá vir quem sabe também um canal de interação entre os Facers do Brasil e de outros países, até dos States, com os internautas chineses", comentou por aqui no blog Folha Verde News o nosso editor, Antônio de Pádua Padinha: "Eu pessoalmente navego no Facebook todo dia como repórter e ecologista, tenho interesse na China, não só por causa que ela tem a maior poluição do mundo, que precisa ser controladas, nem somente para atingir o mercado chinês fora do comum hoje neste país de ponta com 1 bilhão e 300 milhões de habitantes, vejo a China por um enfoque cultural", afirma Padinha aqui no blog da ecologia e da cidadania. A maioria das pessoas hoje no mundo, internautas ou não, levam em conta em primeiro lugar o fato que a economia chinesa é atualmente a sexta mais poderosa da Terra (atrás somente dos USA, japão, Alemanha, Reino Unido e França), que tem a maior taxa de crescimento anual, com um PIB 3 vezes maior que o brasileiro. A maior parte das pessoas enfocam a China como potencial de negócios ou pelo menos de intercâmbio de interesses. Hoje, convivem neste país três Chinas, a imperial de Gêngis Kan, a comunista da revolução vermelha de Mao Tse Tung e a atual, a República Popular da China, que pode ter uma estrutura socialista politicamente mas economicamente já é capitalista, aberta à propriedade privada, o trabalho assalariado e a abertura ao capital estrangeiro. Lá vigora na realidade o lema ou o slogan "Um país, dois sistemas". No caso do nosso editor aqui desse blog ambientalista, todas estas nuances e  contradições se parecem com os opúsculos de LaoTsé, o poeta chinês que Padinha mais curte no universo da cultura da China e de toda a poesia no mundo: "Ele existiu e escreveu há uns 6 mil anos atrás mas é um dos autores mais contemporâneos do planeta, um pioneiro da ecologia e do movimento da Não Violência, algo de muita urgência na atualidade meio que desumana do ser humano hoje". 
   
Priscila Chan e Mark Zuckeberg personificam a união da China com o Ocidente




Priscila Chan mudou o modo de ver e de ser do fundador do Facebook



 





Hoje convivem duas ou três Chinas, unindo o passado à...
 



 
 
 
 
...realidade atual da República Popular a um só tempo comunista e capitalista


O poeta e sábio ancestral da China Lao Tsé, pioneiro da ecologia

 Padinha fez uma comunicação do poema de Lao Tsé com a imagem de Gisele Bündchen



A Missão Shenzhou 9: astronautas na quarta missão tripulada do programa espacial é a imagem da China hoje - Xinhuanews 


 

 
Fontes: Xinhuanews
             AFP
             Reuters
             www.terra.com.br
             http://operamundi.uol.com.br
             www.folhaverdenews.com



7 comentários:

  1. LAO GISELE: A fusão da imagem de Gisele Bündchen, uma das mulheres consideradas mais lindas do mundo fashion no Ociente, com a poesia ancestral do Oriente de Lao Tsé sintetiza a visão do nosso blog, neste post em que se discute a entrada da China na rede mundial do Facebook.

    ResponderExcluir
  2. O relacionamento da chinesa Priscila Chan, que se formou bióloga e médica nos Estados Unidos, com Mark Zuckeberg, foi o 1º passo para se chegar a este assunto debatido hoje em todos os países, em especial, no universo dos 250 milhões de internautas ligados ao Facebook.

    ResponderExcluir
  3. A mídia ocidental em todos os países e também por aqui no Brasil está destacando mais a surpresa de Mark Zuckeberg dar uma palestra na Universidade de Tsingua em Pequim falando em Mandarim...

    ResponderExcluir
  4. Nosso enfoque aqui no blog da ecologia e da cidadania é mais, não só a tentativa de aproximação desta rede social com a China, mas uma eventual fusão cultural entre Ocidente e Oriente...

    ResponderExcluir
  5. Qual é a sua opinião sobre essa nossa pauta de hoje aqui no blog? Mande a sua mensagem ou informação ou comentário para o nosso e-mail navepad@netsite.com.br ou para padinhafranca@gmail.com

    ResponderExcluir
  6. "Se realmente o Facebook conseguir furar a "muralha" da China e entrar naquele país, Mark Zuckeberg será como o Marco Polo da atualidade, abrindo um canal de comunicação, de negócios, de tudo, entre o Oriente e o Ocidente. Seria bom d+ para todos": Esta é em resumo a mensagem de Ovídeo Santos, de Vitória (ES), que atua com Informática no porto dessa cidade.

    ResponderExcluir
  7. "Então, vi o comentário aqui do Ovídeo de Vitória, concordo com ele e com este blog. Se der OK este lance do Facebook vai acontecer agora uma revolução similar na economia, na cultura, na vida, como foi o Renascimento, depois da aproximação de orientais e de ocidentais graças a Marco Polo": É o comentário de José Pires, de São José do Rio Preto, bancário, que veio de São Paulo para o interior paulista.

    ResponderExcluir

Translation

translation