domingo, 5 de outubro de 2014

UM SENTIMENTO DE TEMPO PERDIDO E DE NULIDADE DA POLÍTICA PARA RESOLVER OS PROBLEMAS DO PAÍS

                                          2ª feira começa com o desafio do 2º Turno

Avanço democrático e da cidadania no Brasil poderia ser muito maior do que foi nesta eleição





Josias de Souza, um dos blogueiros melhor informados do país, que atua hoje em Brasília (DF), definiu com exatidão que a política é a segunda mais antiga profissão do mundo. Realmente, a moral da classe política está abaixo de zero, depois de debates nas TVs que só quase discutiram picuinhas e foram um ringue de agressões ao invés de um balcão de propostas para resolver os problemas da Nação. Houve raras exceções neste sentido. Mas o sentimento de que os políticos são uns prostitutos ficou claro demais também nas coligações e acertos, os interesses acima das diferenças e os ideais políticos de verdade. Repercute ainda neste domingo bem positivamente em todo o planeta, neste momento em que há guerras e variadas formas de violência em muitos países, este evento brasileiro que está levando às urnas mais de 142 milhões de eleitores, com poucos incidentes e prisões, tipo boca de urna e nada mais. Quanto às urnas eletrônicas, já em fase de implantação de mais um avanço tecnológico (a biometria dos eleitores), muito elogiada nacional e internacionalmente a velocidade digital da votação. O que se questiona, independentemente da imparcialidade ou da tecnologia, é se esta eleição de 2014 chega na verdade a ser democrática. A resposta é não. É urgente mesmo uma mudança em toda a estrutura eleitoral para que se efetive a democracia de quaisquer eleições, esta necessária radicalidade inclui também uma reforma política, revitalizando os partidos políticos e o próprio conteúdo da política, algo que a gente reconhece, não é somente uma crise brasileira. Algumas autoridades repetem o velho discurso de que o Brasil vencerá com qualquer resultado. Isso também não acontece, ainda não aconteceu hoje uma eleição realmente democrática e com o livre exercício da cidadania. E você sabe muito bem do que estou falando, qualquer pessoa que acompanhou um pouco o Horário Eleitoral Gratuito, pseudo gratuito e pseudo democrático sabe disso. Quanto lembro a necessidade de se resgatar os mais claros direitos de cidadania, não me refiro com certeza à proibição de se fazer selfies na cabine de votação. Mas eles foram feitos, apesar de juristas advertirem que esta prática típica da vida cult da era digital ofender o artigo 342 do Código Eleitoral e prever 2 anos de prisão ou 16 mil reais de multa por uma eventual quebra do sigilo do voto ou por configurar boca de urna virtual. Talvez, tirar uma selfie na hora do voto seja uma forma contemporânea de desobediência civil. Mas esta irregularidade está se espelhando na impunidade dos políticos corruptos e também na poluição dos "santinhos" de quase todos candidatos e partidos, com a desculpa que são muitos números e a cola jogada na rua ajudaria os eleitores. Uma vergonha esta poluição dos "santinhos" ou "capetinhas" jogados nas ruas, houve milhares de casos de escorregões de pessoas e o lixo poderá causar enchentes, isso, em cidades do país da seca, onde ainda chove. Resumo final: a eleição de 2014 foi uma democracia de massa, se a gente contabilizar os números, mas sem a qualidade maior da cidadania, o que por sua vez ameaça a liberdade deste grande evento, sem a grandeza que já poderia e já deveria ter, em si mesmo e na solução dos problemas brasileiros. (Antônio de Pádua Padinha, repórter e ecologista)


Os selfies na cabine de votação são uma forma de desobediência civil? 

 
Os "santinhos" ou "capetinhas" jogados nas ruas, uma vergonha



A radicalidade de alguns poucos candidatos valeu como um
 exercício de cidadania e de luta pela ecologia



Joshua Wong, de 17 anos, líder de Hong Kong mostrou o que é política de verdade



 
E agora, Brasil?...
 
Fontes: BBC
             www.terra.com.br
             www.folhaverdenews.com

10 comentários:

  1. Este editorial procura analisar sob o ponto de vista da cidadania as eleições de 2014, que além de grandes números e eficiência digital poderia apresentar e não o fez um avanço de democracia.

    ResponderExcluir
  2. No caso específico dos "santinhos" jogados nas ruas, nas proximidades dos postos de votação: se realmente a Justiça Eleitoral quisesse punir esta poluição urbana e política, poderia por exemplo pura e simplesmente impugnar todo e qualquer candidato ou candidata com material de propaganda irregular. Muito radical? Resolveria o problema...

    ResponderExcluir
  3. Em relação aos "selfies" ou à biometria nas urnas eletrônicas, são elementos com menor gravidade do que a falta de conteúdo realmente político na eleição.

    ResponderExcluir
  4. Envie um e-mail pro nosso blog com informações, comentários ou a sua opinião sobre esta pauta, de valor para o avanço da cidadania e para a luta por uma verdadeira democracia no país: navepad@netsite.com.br

    ResponderExcluir
  5. "A farra dos santinhos e a questão dos selfies na hora de votar, concordo com este texto do blog do Padinha, são coisas que espelham bem os erros e os limites da política e da legislação eleitoral": á a msm que nos envia Marilene Salgado, de Piracicaba (SP), que confessa: "Confesso que fiz um selfie só de protesto"...

    ResponderExcluir
  6. "Resumo da ópera, como ficará a ecologia nesse país?...Nós do movimento ecológico, científico e de cidadania (que este blog tanto defende) precisamos agora alertar para a urgência de uma gestão governamental de desenvolvimento sustentável": é um trecho do comentário do engenheiro florestal Ary Santos, de Botucatu (SP).

    ResponderExcluir
  7. "São Paulo é o estado mais desenvolvido do Brasil?...Alckminn acabou com o clima temperado, que foi base para o avanço econômico da região, acabou com a água, o ciclo das chuvas, por falta de uma visão socioambiental da realidade. Venceu no 1º Turno sem nem mostrar um programa de governo. E agora, como ficaremos?": é o questionamento de Marina Pereira, estudante de Comunicação na ECA da USP.

    ResponderExcluir
  8. "Os ecologistas, os cientistas e as lideranças da cidadania devemos agora usar a razão, a decisão não é entre a popular Dilma e o líder da classe média Aécio e sim, temos que exigir de qualquer um deles uma gestão de desenvolvimento sustentável para não acontecer no Brasil o que acontece agora em São Paulo, onde a maior derrotada é a ecologia": é a opinião do executivo José Mendes, de Santos (SP), que cita alguns fatos, entre eles, os erros de Marina Silva e a atual estrutura da campanha eleitoral, "Voltamos à estaca zero em ecologia e em cidadania, temos que ir à luta de novo para mudar a realidade desse país".

    ResponderExcluir
  9. Mande vc tb a sua opinião ou comentário sobre o país e a sua região agora que já aconteceu o 1º Turno das eleições: envie o seu e-mail para navepad@netsite.com.br

    ResponderExcluir
  10. "Não é que o eleitor não sabe votar, o fato é que não existe uma estrutura eleitoral verdadeiramente democrática e sim uma manipulação da opinião pública, enquanto isso persistir, não haverá espaço para a cidadania e a ecologia ou uma política de verdade": é a opinião de Mauro Fernandes, de Angra dos Reis (RJ), que afirma que, "em virtude desta situação, eu votei nulo de cabo a rabo".

    ResponderExcluir

Translation

translation