quinta-feira, 13 de novembro de 2014

A ALTA TECNOLOGIA PRECISA SER USADA JÁ: ELA É MAIS ECONÔMICA E MAIS ECOLÓGICA


A saúde dos índios Deni foi a maior motivação para o cientista Rolland Vetter fazer a Ecolágua

As mais altas tecnologias e energias são o futuro do ser humano

Há várias pesquisas e produtos high tech hoje




Fontes: www.ambienterbrasil.com.br
             www.g1.globo.com
             www.folhaverdenews.com

 

8 comentários:

  1. Anteriormente nomeado ‘Água Box’, o equipamento Ecolágua pesa cerca de 15 kg e pode limpar ou despoluir águas de rios, poços e da chuva. De acordo com o pesquisador Roland Vetter, águas de rios urbanos, como a Bacia do Turamã, em Manaus, ou o Rio Tietê, em São Paulo, também podem ser purificadas pelo equipamento, que realiza uma filtragem prévia para conter alguns resíduos sólidos, como areia e outros sedimentos. O equipamento da hora!...

    ResponderExcluir
  2. O sistema de Rolland Vetter é simples necessita apenas de um rio ou afluente nas proximidades. A luz do sol é capturada por painéis solares, os quais mantêm carregada uma bateria dentro do equipamento. Desta forma, a tecnologia garante o funcionamento de uma lâmpada ultravioleta, responsável pela destruição dos microorganismos. A energia solar assegura ainda o desempenho do Ecolágua mesmo na ausência de luz, como durante as noites ou dias chuvosos, segundo explica Vetter, cientista alemão que se consagra com esta high tech agora no Brasil.

    ResponderExcluir
  3. “A água é um elemento que pode absorver os raios ultravioleta, que são emitidos por uma lâmpada situada em um tubo dentro da máquina. Assim, a água, que é bombeada de um rio, poço ou lago, para uma caixa d’água, passa por um filtro e chega a uma torneira, de onde já sai completamente limpa e potável”, disse Vetter ao G1 ao ressaltar que cada equipamento purifica até 400 litros de água por hora e pode amparar as necessidades de um grupo de cerca de 200 pessoas.

    ResponderExcluir
  4. Com o processo de filtragem adequado – cujo equipamento específico é anexado ao Ecolágua -, o pesquisador do Inpa Ray Cleise, que fez parte da concepção da tecnologia, garante que águas turvas podem se tornar límpidas. Nesse sentido, a tecnologia pode ser uma alternativa também para resolver os problemas de seca em algumas regiões do país. “A lâmpada tem potência para trabalhar com todo tipo de água. Um afluente poluído, independentemente do grau, não ficará mais contaminado ao passar pelo Ecolágua”, ressalvou.

    A máquina garante a eficiência de desinfecção em 99,99%, conforme testes já feitos em laborátório. Uma mostra d’água coletada do Rio Solimões constatou a contaminação por bactérias Escherichia Coli, que estão presentes no intestino humano, além de índices de turbidez superiores ao admissível. Após o tratamento com a tecnologia, as bactérias foram destruídas e a turvação passou de 27,90 UNT – Unidade Nefelométrica de Turbidez – para 1,64 UNT. O produto começou a ser disponibilizado no mercado há cerca de dois meses, pela empresa Qluz Ecoenergia. De acordo com o empresário responsável pela venda do produto, Roberto Lavor, a expectativa é de que a máquina beneficie não só brasileiros, mas também pessoas de todas as regiões do Brasil e do mundo. “Nós temos um grande potencial de água doce, que não é mais potável, pois está suja e cheia de impurezas. Vivemos na maior bacia hidrográfica do planeta, mas que não garante aos ribeirinhos o acesso à água potável. O Ecolágua é um instrumento viável que torna a água potável de uma forma segura quase instantânea”, explicou Lavor. Mas ele diz que o sistema não pode ser instalado em locais próximos a áreas de garimpo. Por causa do metal pesado que o Ecolágua não purifica. Um dado importante, por exemplo, por aqui onde há muitos curtumes de couro que usam cromo (metal pesado): esta tecnologia de ponta não purifica águas industriais de curtumes, com efluentes cointendo cromo...

    ResponderExcluir
  5. O Ecolágua deve ser instalado até o fim do ano em seis municípios no interior do Amazonas. Na capital, uma unidade demonstrativa foi montada no Bosque da Ciência, área do Inpa, na Zona Centro-Sul. Segundo Roberto Lavor, a empresa já articula com entidades da África e de países da América Latina para exportar a tecnologia.

    ResponderExcluir
  6. "Esta matéria aqui tem tudo a ver com os debates que presidentes e chefes de governo estão tendo no G20 na Austrália, alguns deles, felizmente, falam em meio ambiente como prioridade": o comentário nos foi enviado por e-mail por Rita Morais, de Curitiba (Paraná), que atua como executiva de grande empresa.

    ResponderExcluir
  7. "Mande você também a sua msm ou comentário sobre esta matéria de hoje aqui no blog sobre a questão da despoluição da água, envie o seu e-mail aqui p/ navepad@netsite.com.br

    ResponderExcluir
  8. "Graças a Deus, temos sorte, existem pesquisadores como este Rolland Vetter que, por uma questão humanitária de uma tribo de índios, acabou por descobrir um equipamento superimportante na atualidade que vivemos no Brasil": a opinião é de Mário Ribeiro, de São Carlos (SP), que atua profissionalmente com construção civil.

    ResponderExcluir

Translation

translation