sábado, 22 de novembro de 2014

ECOLOGISTA DESTE BLOG ENTREVISTADO EM FRANCA (SP) POR RENATO VALIM EM PROGRAMA DE RÁDIO REGIONAL

Em produção do repórter Cássio Freires, Padinha enfocou problemas também na região por causa do aumento de 7,8% do Efeito Estufa: escassez de água agora e de alimentos em 2015


A Rádio Imperador AM de Franca tem um alcance regional na divisa entre os estados de São Paulo e de Minas Gerais, sendo uma campeã de audiência nas cidades e fazendas entre o nordeste paulista e o sudoeste mineiro, em especial, no radiojornalismo e nos programas de esportes, sendo que atualmente esta emissora além de manter um site atua na Internet com o portal de notícias Pop Mundi: em razão de cientistas ligados ao Observatório do Clima terem revelado que em um ano a emissão de gases do Efeito Estufa aumentou 7,8% no Brasil, o repórter e produtor do sistema, Cássio Freires pautou este tema, convidando o editor do Folha Verde News, o repórter e ecologista Antônio de Pádua Padinha a participar ao vivo do programa diário de jornalismo entre 11 e 12h, que é apresentado pelo jornalista Renato Valim: uma das perguntas de Valim foi sobre as consequências na região deste fenômeno ambiental.  O ecologista explicou que o caos do clima brasileiro em 2014, com seca no sudeste e enchentes no norte e no sul país, está ligado a este fato também, tendo sido também provocado por desmatamentos, agrotóxicos e variadas formas de poluição, especialmente a do ar, causada pelo escapamento dos carros, caminhões e ônibus, principalmente pelo combustível à base de petróleo: o pior cenário indicado pelo Observatório do Clima e pelo IPCC da ONU desta situação é que em 2015 poderá haver um agravamento da seca e mais ainda, uma escassez de alimentos!...Não se trata de uma previsão apocalíptica, mas de uma dedução dos cientistas ambientais, argumentou Padinha, alertando que, os efeitos negativos estão interligados: as poucas chuvas provocam escassez de água e esta, a falta de alimentos, que por sua vez pode causar conflitos sociais, desemprego, violência. Foi assim explicado que o desequilíbrio ecológico leva também a problemas econômicos e de saúde da população. Renato Valim questionou se existem medidas para conter o Efeito Estufa, o entrevistado então comentou que esta situação vem se formando nos últimos 100 anos e que para contorna-la vão ser necessários 10 ou 20 anos, pelo menos: para diminuir o dióxido de carbono na atmosfera, o gás carbônico, que provoca o Efeito Estufa terá que haver mudanças na estrutura energética e no tipo de combustível usado pelos veículos. Implantação de energias renováveis e limpas, como a Solar e a Eólica (dos ventos). Ônibus elétricos, caminhões e carros com biodiesel e etanol, que é um pouco menos poluente do que a gasolina e o diesel. Renato Valim quis saber também, para informar aos seus milhares de ouvintes, em que dados se basearam os cientistas ambientais brasileiros (ligados a entidades como Greenpeace, WWF, Fundação SOS Mata Atlântica e Instituto Socio Ambiental, ISA) para detectar o aumento de 7.8% no Efeito Estufa. O ecologista e blogueiro Padinha citou que a fonte principal das informações foi o IPCC de 2014, relatório de cientistas de mais de 100 países, realizado com o patrocínio da Organização das Nações Unidas (ONU) e também por pesquisas locais. Por fim, Valim citou que há noticias que o Governo está questionando este aumento de 7,8% das emissões de gás carbônico pelo país possuir 60 milhões de hectares de florestas em reservas ambientais em todas as regiões. Mas este questionamento foi replicado com a informação que o Governo se baseou em um levantamento do próprio Governo e feito não por especialistas no setor climático ou ambiental e sim por técnicos do MCTI, que é o Ministério de Ciência, Tecnologia e Inovação: "Responderam com argumentos de origem política e burocrática aos dados científicos do Observatório do Clima", falou nosso editor Padinha: "Ao invés de contestar os números da pesquisa, as autoridades já deveriam é estar tomando medidas para solucionar o problema, como a implantação de um desenvolvimento sustentável, equilibrando economia com ecologia".

O ecologista Padinha entrevistado por Renato Valim na Rádio Imperador AM...


...citou problemas graves também na região por causa do aumento do Efeito Estufa...


...a entrevista foi produzida pelo jornalista Cássio Freires (Pop Mundi)


Fontes: www.onu.org.br
             www.ecodebate.com.br
             www.radioimperadordefranca.com.br
             www.popmundi.com.br
             www.folhaverdenews.com

7 comentários:

  1. "Muito boa a entrevista que vi neste resumo por aqui no blog, um assunto complexo abordado com clareza e objetivamente": é o elogio que recebemos do técnico agrícola Valdivino Franco, que trabalha em Franca e em fazenda da região. Obrigado pelo elogio.

    ResponderExcluir
  2. "No sábado costumo sempre ouvir o jornalismo da Rádio Imperador e pude conferir também ao vivo esta entrevista muito importante e esclarecedora, por aqui e creio que em todo o país este assunto deveria ser mais debatido": é o comentário de Luiz Rosa, de Claraval (MG), que planta café e cria gado em sua propriedade agrícola.

    ResponderExcluir
  3. "Neste momento do país, em que Dilma Rousseff está escolhendo novos Ministros, precisa priorizar as questões do Meio Ambiente, a começar da escolha de um ambientalista para esta pasta e depois, equiparar no mesmo nível o desenvolvimento econômico com a defesa ou a recuperação da ecologia, só medidas sustentáveis podem evitar um caos do clima e da vida brasileira": é a opinião do nosso editor, o ecologista Padinha, em especial para este post.

    ResponderExcluir
  4. Agradecemos a entrevista produzida pelo jovem Cássio Freires e realizada pelo experiente Renato Valim, dois jornalistas de ponta da Rádio Imperador AM, do portal Pop Mundi e da cidade de Franca, veículos que repercutem em toda a região nordeste paulista e sudoeste mineira.

    ResponderExcluir
  5. Envie você também a sua informação, opinião ou comentário aqui pro e-mail do nosso blog de ecologia e de cidadania: navepad@netsite.com.br

    ResponderExcluir
  6. "Este aumento do efeito estufa e as consequências graves demais na realidade brasileira deveriam orientar mudanças na política ambiental do Brasil, que aliás, não existe ainda, em termos governamentais, o Ministério do Meio Ambiente é o que tem menos recursos e menor prestígio entre todos, pelo menos foi isso assim até agora, uma coisa que ouvi numa palestra do Feldmann": é a msm que nos enviou Gabriela Fontes, de São Paulo (SP) que se prepara para um curso de Biologia na USP.

    ResponderExcluir
  7. "De repente essa rádio do interior, o portal Pop e este blog fizeram o que a grande mídia não o faz, repercutir um tema de grande oportunidade e da maior importância, que a população precisa conhecer": é um trecho do comentário de Ismael Pereira Silva, do Rio de Janeiro (RJ): ele lembra que a ONU está organizando uma Cúpula Mundial a partir de dezembro em Lima no Peru sobre o Efeito Estufa e como combater este drama atual.

    ResponderExcluir

Translation

translation