quinta-feira, 11 de dezembro de 2014

ATALIE FAZ LINOLEOGRAVURAS DO TRABALHO DE OPERÁRIOS DA BORRACHA E EXPÕE NA PRÓPRIA INDÚSTRIA EM QUE ELES TRABALHAM


Um mix de imagens em placas de borracha sobre o trabalho dos borracheiros na indústria Amazonas em Franca (SP): a criação de Atalie Rodrigues Alves atinge a metalinguagem


 
Um borracheiro observa o processo de seu trabalho no seu dia  exposto no saguão da indústria

 
As linoleogravuras de Atalie Rodrigues Alves têm traços bem sutis

 

Conforme explicam o release e no local a assessora de marketing Jéssica Ferracioli, a empresa Amazonas em parceria com a artista plástica, que também é de Franca, Atalie Rodrigues Alves, está ali apresentando uma série de artes em linoleogravura na exposição Operário da Borracha, montada no saguão de entrada da administração da fábrica: o trabalho de Atalie, artista já consagrada no interior paulista e ligada ao Laboratório de Artes, registra o processo de trabalho na produção industrial do Grupo Amazonas, em especial os que têm algum conteúdo artesanal também, com criatividade. Atualmente, com aproximadamente 2 mil colaboradores, o Grupo Amazonas é o maior fabricante de componentes para os setores de calçados, móveis e colchões, embalagens, gráfico, construção civil, automobilístico e artesanato da América Latina, sendo uma das maiores empresas em seu setor no planeta. Ela atua desde 1947 em Franca, comercializa seus produtos por todo o Brasil, exportando para cerca de 60 países, já patrocinou a equipe de Basquete de Franca, sempre está apoiando eventos de cidadania ou algumas iniciativas de valor da comunidade. Desta vez, no clima de final de ano agora em 2014, promove esta exposição Impressões Amazonas, divulgando em arte a cultura da borracha, valorizando o trabalho dos operários e o talento de Atalie Rodrigues Alves. O fotógrafo David Radesca, da equipe do Folha Verde News, documentou a mostra de linoleogravuras que estarão expostas na indústria até 19 de dezembro e sempre de dia, abertas à visitação pública (entre 7h30 e 17h15, na sede à Avenida Rio Branco, 745, em Franca). A gente resume um pouco por aqui para os nossos internautas o clima da exposição, que é feita no mesmo horário de trabalho dos operários, que então se tornam personagens. Nós procuramos contatar alguns que foram ali  no saguão conferir as artes e curtiram muito, as gravuras não só documentam como interpretam a imagem do dia a dia deles. No caso da criação de Atalie, feita com uma técnica não muito comum no país, cada imagem do processo de trabalho dos operários é montada em um linóleo e colada em madeira, usando placas de borracha, ela integra a sua arte ao ambiente da própria fábrica. Atalie Rodrigues Alves tem sutileza nas imagens documentais, é cleam mas com calor humano. Ela interpreta a realidade destes homens e mulheres ali no seu artesanato industrial de todos os dias. A criatividade desta artista atinge a metalinguagem, uma arte em borracha para falar dos borracheiros. Tem um sentido assim contemporâneo, o meio expressando a mensagem, documenta o cotidiano de uma fábrica com pessoas do povo em uma cultura tradicional na cidade de Franca, a capital dos calçados. Em qualquer lugar do mundo as linoleogravuras vão ser com certeza muito admiradas mas ali, na própria indústria Amazonas, Atalie comunica mais ainda e alcança meio que assim um ápice de expressão, flagra a cultura da borracha ao vivo na arte da vida.  (Antônio de Pádua Padinha)

 

Uma arte que mistura a pré-imagem do passado com um enfoque atual

 
Arte de Atalie, do trabalho e da vida: clique sobre imagens para ampliar e ver detalhes

 
 
 
                                           Dois mestres da linoleogravura, uma arte rara
 
No Brasil, Lasar Segall...

...e na Europa, Pablo Picasso



Fonte: www.folhaverdenews.com
 


9 comentários:

  1. Trata-se de uma arte difícil para documentar o ambiente e em geral procura sintetizar um foco da mensagem, as gravuras de todos os tipos me parecem ser intermediárias entre a fotografia e a pintura.

    ResponderExcluir
  2. No caso daslinoleogravuras de Atalie Rodrigues Alves elas enfocam o artesanato industrial com uma arte em borracha.

    ResponderExcluir
  3. Isso e outros detalhes sutis criam na série de artes uma atmosfera de metalinguagem.

    ResponderExcluir
  4. Mande a sua opinião sobre este post, que sai um pouco da rotina das matérias de ecologia mas enfocam uma arte de cidadania: envive para o e-mail do blog navepad@netsite.com.br ou para o nosso editor de conteúdo padinhafranca@gmail.com

    ResponderExcluir
  5. "Eu achei muito interessante esse tipo de imagens, nunca tinha visto uma linoleogravura, bom saber que tem artistas no país ligados hoje em dia na pesquisa de outras formas de arte": é o comentário de Mário Santos, executivo no setor de Informática em São Paulo (SP): "Bom saber que tem algo além do digital".

    ResponderExcluir
  6. "A realização desta artista com o apoio desta empresa aí em Franca dimensiona o que diz aquela música, a gente quer também diversão, amor e arte...Muita boa a idéia do trabalho dos borracheiros virar gravuras": o comentário é da estudante da ECA da USP, Marina Carvalho, que é de Botucatu e estuda em São Paulo.

    ResponderExcluir
  7. "Nunca tinha ouvido falar de linoleogravuras, só mesmo uma artista de vanguarda como parece ser Atalie e uma empresa de ponta no interior para realizarem um projeto cultural destes": a mensagem nops foi enviada por e-mail por Ricardo Furini, que é da região de Franca (SP) mas hoje trabalha como servidor público em Brasília (DF).

    ResponderExcluir
  8. "Padinha, superlegal este post e curti também as fotos do David Radesca, depois que cliquei em cima e ampliei, pude ver a beleza das linoleogravuras da Atalie, já conhecia o trabalho dela de muita qualidade sempre": o comentário de é Rafael Xisto, de Franca (SP) que se prepara para fazer vestibular na UFMG em BH.

    ResponderExcluir
  9. "Muito bom todo este trabalho, a exposição e do blog": quem comentou foi o repórter fotográfico João Noronha, que é francano mas atua profissionalmente com a empresa Image Press em Curitiba, no Paraná, ele se manifestou via o Facebook.

    ResponderExcluir

Translation

translation