sábado, 24 de janeiro de 2015

MAIS TRUCULÊNCIA POLICIAL E PRISÕES DE JOVENS NA VELHA GRANDE SAMPA COM 461 ANOS DE HISTÓRIA E DE VIOLÊNCIA

Festa com show e futebol pelo aniversário de São Paulo mais uma vez poluida pela reação violenta a uma manifestação de cidadania em defesa da condição de vida da população: 4 jovens presos, um ferido com gravidade, assim como um jornalista que cobria o evento


A história da violência em São Paulo que nesse domingo comemora com show e futebol 461 anos teve na sexta-feira à noite mais um capítulo da interminável série de violências que abalam a maior cidade da América do Sul: com o pretexto de "acabar com a manifestação" a PM ao final de um  protesto do Movimento Passe Livre, que estava sendo pacífico, usou bombas de efeito moral e balas de borracha para dispersar os jovens manifestantes, nesta ação truculenta, o jornalista Edgar Maciel, de O Estado de São Paulo, foi ferido na perna por estilhaços de bomba e está internado, quatro dos participantes da manifestação foram presos. O quatro protesto do MPL contra o aumento das tarifas em São Paulo voltou a terminar em confronto entre manifestantes e policiais militares no centro da cidade. Pelo que se sabe dois manifestantes ficaram feridos e quatro foram detidos com a denúncia de carregar rojões para atirar contra os PMs. Durante o confronto, uma agência do Bradesco e outra do Santander foram depredadas pelos manifestantes na praça da República, onde o ato estava previsto para encerrar. O ato foi interrompido por ação precipitada dos policiais. O protesto começara por volta das 19h e seguia pacificamente por diversas vias do centro da capital paulista. A forte chuva na região não impediu que as cerca de 1.200 pessoas, segundo estimativa da PM (ou 15 mil, segundo os coordenadores do MPL) continuasse no ato. Correspondentes de agências internacionais de notícias divulgaram que houve "falta de tato" da PM em abortar a manifestação que estava tranquila. Quando o ato estava na rua Conselheiro Crispiniano, uma bomba explodiu e desencadeou o confronto entre manifestantes e policiais. Foram lançadas dezenas de bombas de gás e efeito moral, enquanto alguns  manifestantes revidaram com pedras. Durante o confronto, lixo foi espalhado por várias ruas do centro, como a Barão de Itapetininga. Adeptos à tática Black Bloc que estavam entre os jovens manifestantes usaram escudos de madeira para se proteger da PM. Um jovem teve um sangramento na cabeça, aparentemente grave. O Movimento Passe Livre já marcou o próximo protesto para a próxima terça-feira (27 de janeiro). A concentração será no largo da Batata, próximo à estação Faria Lima, na zona oeste da capital paulista Mais violência à vista? À véspera do 461º aniversário de Sãso Paulo na histórica esquina da avenida Ipiranga com a São João, ao invés de música, violência mais uma vez.

Festa de aniversário da Velha Grande Sampa tem futebol, música e baixaria da violência


Esta notícia foi destaque também no site Futebol Brasileiro (Amo Futebol), onde nosso editor de conteúdo o repórter e ecologista Padinha aqui do Folha Verde News comentou que 3 a 0 foi demais para quem viu a vitória do Corinthians sobre o São Paulo na semifinal da Copinha 2015, os 2 times têm bons jogadores mas o que fez a diferença foi a maior "experiência" dos corinthianos (todos perto de 20 anos ainda) contra os meninos tricolores (com média só de 18 anos). Vale destacar Osmar Loss que tem dirigido bem o Sub20 do Corinthians (atual campeão paulista e brasileiro desta categoria com bons valores e agora na final da Copa SP + 1 vez, pela 16 vez, foi campeão 8 vezes). O treinador são-paulino foi infeliz ou omisso não soube acalmar a garotada e com objetividade a rapaziada corinthiana fez 3 X 0. Mas a final do domingo às 11h no Pacaembu (461 anos de Sampa) Corinthians X Botafogo de Ribeirão Preto (valorizando toda a região nordeste paulista) será difícil: o jovem treinador Rodrigo Fonseca do Bota conta com talentos como Alex e Isaac e sabe controlar os nervos da equipe, o que não aconteceu com o técnico do Palmeiras, que mesmo com destaques como Gabriel de Jesus e Cristhofer foi eliminado por 2 X 1 perdendo para o próprio nervosismo. Futebol é força e perna mas também cabeça. Aliás, é o que dizia ainda nos anos 80 Dr. Sócrates: "Futebol se joga com os pés sim, mas principalmente com a cabeça"...


Mais uma vez o ato público estava pacífico e aí chegou a PM...

...mais uma vez jovens e mais um jornalista ferido...

...na ação precipitada da PM

Jovens talentos do Corinthians farão a festa da Copinha no aniversário de Sampa?
A garotada do Botafogo de Ribeurão Preto, a força do futebol do interior
 

 
VIOLÊNCIA NÃO, ALEGRIA SIM - Confira aqui a opinião que desde ontem nosso editor está emitindo neste blog da ecologia e da cidadania: "Nem precisamos comentar a irresponsável desorganização da FPF e a violência policial ou de alguns torcedores em Limeira depois de Corinthians 3 X 0 SP na semifinal da Copinha Sub20, local cheio de crianças no estádio Major Sobrinho. Prefiro comemorar alguns bons talentos cos 4 times semifinalistas (como estes aí nas fotos acima) porque o Brasil está  na verdade despreparado para a arte da bola e desesperado no jogo da vida em São Paulo e em todo lugar. Um dos maiores problemas socioambientais é a violência no dia a dia, faz parte desse triste universo as enchentes que se sucedem com a seca ou a falta d'água, dilemas que tornam a grandeza da cidade de São Paulo um desafio maior, 461 anos não foram ainda suficientes para resolver isso. E então, o futuro da vida por aqui (e de resto em todo o planeta) está superameaçado de extinção antes mesmo de existir". (Antônio de Pádua Padinha)
 

Fontes: www.gazetadopovo.com.br
             www.folhaverdenews.com

11 comentários:

  1. A seguir estaremos postando aqui comentários e mensagens que recebemos por e-mail aqui no blog. Aguarde.

    ResponderExcluir
  2. Envie vc tb a sua opinião: navepad@netsite.com.br

    ResponderExcluir
  3. Recebemos aqui mais 9 mensagens, comentários e informações que por problemas técnicos só poderemos postar amanhã. Confira então depois.

    ResponderExcluir
  4. "Esse blog sempre dá um enfoque da hora prá gente, até o futebol que anda tão ruim fica mais interessante aqui": o comentário, que agradecemos, é a estudante de Engenharia na USP, Mariângela Amaral, de Rio Preto (SP), vivendo hoje na Grande São Paulo.

    ResponderExcluir
  5. "Acompanhei o Mauro Naves na Arena Sportv falando que a taça da final Corinthians X Botafogo na Copa SP de Juniores deveria se chamar Troféu Dr. Sócrates porque, por coincidência, foi nestes dois times que el mais jogou": o recado é de Oliveira Júnior, que mantém um programa de radioesportivo na região de Araraquara (SP).

    ResponderExcluir
  6. "O Mauro Naves e esportistas que pediram que o troféu da Copa SP a ser disputado nesse domingo tenha o nome do Sócrates, que jogou no Corinthians e no Botafogo, que fazem a final hoje, não sei se eles serão ouvidos pela Secretaria de Esportes de São Paulo, seria uma homenagem da hora. Ontem, no jogo-festa Corinthians 3 X 0 Corinthians Casuals no Itauqerão foi dado um troféu Sócrates": é o comentário que nos enviou de São Bernardo do Campo (SP), Irineu Olavo, ex-jogador de futebol.

    ResponderExcluir
  7. "O Coronel da PM Mário Marinho defende a PM e a Federação, dizendo que a culpa da violência não é deles, porém, depois de tantos anos e de tantas ocorrências, é urgente mudar este discurso e em especial, a realidade": Mário Moreira, de São José do Rio Preto (SP) diz concordar com a Anistia Internacional que, "além do mais, os métodos errôneos da Polícia remontam à época ditatorial".

    ResponderExcluir
  8. "O mesmo erro, a mesma estratégia errada e fora de tempo foram causadores da confusão e violência em 3 dos 4 protestos do MPL em São Paulo nestes dias, na sexta para sábado foi uma vergonha, a PM precisa atualizar seus métodos ao estado de direito e descobrir uma nova forma menos violenta de atuar em eventos de massa": a opinião é de Ary Santos, de São Paulo (SP), comerciante na área central da capital paulista.

    ResponderExcluir
  9. "Infeliz e tragicamente, basta você falar São Paulo ou Rio de Janeiro, que a primeira imagem na cabeça das pessoas é a violência, hoje, um sinônimo de Sampa, uma grande cidade em todos os sentidos, pequena só em condição humana de vida": o comentário é de Laís Teodoro, que nos enviou de sua pesquisa neste tema, ela que busca fazer uma pós graduação em Sociologia na USP ou na UNESP.

    ResponderExcluir
  10. "A partir de junho de 2013, com as manifestações de cidadania dos jovens em todo o país, depois também do desaparecimento de Amarildo e outros cidadãos ou cidadãs no Rio e em São Paulo, tem aumentado a violência policial. Terminada a Copa do Mundo, marcada também por intervenções errôneas das autoridades policiais, houve uma calmaria, agora voltaram os protestos e a violência sempre quando a PM chega": o comentário é de Cleonice Pereira, formada em História pela Unesp de Franca (SP), que se tornou empresária de calçados em São Paulo.

    ResponderExcluir
  11. "Um dos pontos essenciais para mudar a realidade brasileira, que precisa ainda se adequar ao estado de Direito, é o comportamento da polícia, já criticada pela ONU e pela Anistia Internacional": a crítica é de Fernando Sanches, de São José do Rio Preto (SP), advogado ligado à regional da OAB.

    ResponderExcluir

Translation

translation