quarta-feira, 4 de fevereiro de 2015

CONFIRA AQUI UM RESUMO SOBRE O ALCANCE DA CRISE DA ÁGUA, DO CLIMA E DO AMBIENTE NO PAÍS

Especialistas debatem raízes da crise hídrica e questionam medidas adotadas ou anunciadas


Esta charge de Nani tambe´m faz uma síntese deste problemaço brasileiro de agora


 Uma reportagem de Priscilla Mazenotti resume na edição de hoje no site EcoDebate de forma bem rápida mas profunda a crise da água e do clima: confira a seguir. Você que acessa direto o Folha Verde News  já está informado essencialmente desta questão, porém, vale conferir, "nesse caso nem se trata de um resumo mas de uma verdadeira síntese deste problema que pode se transformar num caos, caso não seja compreendido exatamente", comenta o repórter e ecologista Antônio de Pádua Padinha ao editar este blog de ecologia e de cidadania hoje. A seguir a síntese desta situação caótica.
Racionamento de cinco dias por semana em São Paulo, multa para o consumo acima da média em Minas Gerais, apelo para as grandes empresas usarem outras fontes de captação de água no Rio de Janeiro. As medidas são urgentes para tentar controlar a crise hídrica vivida pelo país. Mas, o que está acontecendo com o nosso abastecimento de água? A estiagem é apontada como a principal responsável pela crise da água em boa parte do país, mas a especialista em gestão de recursos hídricos, sustentabilidade e meio ambiente, Marússia Uêiteli, o problema também é de gestão. E aponta questões como a falta de recuperação das áreas de preservação permanente e da vegetação em torno das represas. Marússia alerta, ainda, que o desperdício agrava a crise. Em São Paulo, as perdas com tubulações velhas e vazamentos não consertados chegam a 30%. E a falta de chuvas afeta outro serviço básico: o de energia. Se não tem água, as hidrelétricas não têm como funcionar. O resultado é o abastecimento por meio de termelétricas, que são mais poluidoras, e até a importação de energia de países vizinhos como a Argentina. O professor de Engenharia Elétrica da Universidade de Brasília, Mauro Severino, diz que o erro é não apostar em fontes alternativas. Especialistas dizem que 2015 será um ano com chuvas na média ou abaixo da média. As ações para reduzir o consumo e também conscientizar a população devem ser rápidas. É o que alerta o professor do departamento de geologia da Universidade de Brasília, Geraldo Rezende. Lideranças do movimento ecológico, científico e de cidadania conclamam que se recupere a ecologia perdida, através de medidas mais profundas, como a despoluição e revitalização de todas nossas águas (a começar do Rio São Francisco, morrendo), com um plantio em massa de espécies nativas em torno de nascentes, rios, represas, lagoas e brejos.


Esta foto dispensa legendas, palavras

A despoluição e revitalização de todas nossas águas é superurgente...

...já afeta o abastecimento, a saúde do povo e a economia do país


Fontes:  www.ecodebate.com.br
              Agência Brasil (EBC/Radioagência Nacional)
              www.folhaverdenews.com

4 comentários:

  1. Não há muito a acrescentar neste resumo excelente sobre a crise hídrica, que envolve também o clima e o meio ambiente.

    ResponderExcluir
  2. Precisamos descobrir alternativas para agilizar soluções sustentáveis, que sejam rápidas e estruturais, capazes de afastar o caos.

    ResponderExcluir
  3. Já estamos recebendo mensagens e comentários, mande você também a sua opinião, nas próximas horas vamos editar aqui um resumo de todas elas.

    ResponderExcluir
  4. Mande para o e-mail do nosso blog navepad@netsite.com.br ou então envie diretamente para nosso editor padinhafranca@gmail.com

    ResponderExcluir

Translation

translation