segunda-feira, 23 de fevereiro de 2015

FLORESTA AMAZÔNICA SE TRANSFORMANDO NUM PASTO SERTANEJO AUMENTARÁ A DESTRUIÇÃO DE TODO O PLANETA

 

O gás metano da Amazônia, responsável por 4 a 5% das emissões em todo o mundo, tem origem nos rebanhos e na queima de biomassa, informa a Agência USP de Notícias: nosso blog está encaminhando este post à Presidência da República




A região da bacia amazônica é responsável por 4 a 5% das emissões de gás metano (CH4) em todo o planeta: esta é a manchete hoje no site de assuntos socioambientais EcoDebate, a partir de pesquisa e informação da Universidade de São Paulo. Esta análise, apresentada agora ao Instituto de Pesquisas Energéticas e Nucleares (Ipen) está aqui também no nosso blog de ecologia e de cidadania, como mais um alerta sobre a realidade antiecológica atualmente no país, "onde até a Floresta Amazônica, a bem somente dos lucros dos grandes agronegociantes, está desequilibrando de vez o meio ambiente e virando um pasto sertanejo", comenta por aqui o nosso editor, o repórter e ecologista Antônio de Pádua Padinha, que edita esta página com estas informações das melhores fontes. Aqui também, ele faz um pedido aberto e público à Presidência da República, em nome do movimento ambientalista, científico e de cidadania, que reconsidere os rumos do atual Ministério da Agricultura: "Com um pouco mais de desequilíbrio, o Brasil que era o país da natureza, sofrerá o maior caos do clima da história do meio ambiente na Terra. É urgente uma gestão sustentável neste setor".


queimada na amazônia
Esta imagem tem sido compartilhada na web a partir desta pesquisa da USP apresentada ao Ipen

Responsável por 4% a 5% das emissões de metano (CH4) — um dos gases do efeito estufa —  a Amazônia virou hoje notícia negativa em todo o mundo. Os dados são de pesquisa do Instituto de Pesquisas Energéticas e Nucleares (Ipen), entidade associada à USP, que vem classificando a emissão de metano entre os anos de 2010 e 2013, a partir da coleta de amostras de ar em quatro pontos da floresta, feita em aviões de pequeno porte. O trabalho da bióloga Luana Santamaria Basso aponta também que o manejo de rebanhos é responsável por 19%, em média, das emissões estimadas para cada um dos locais de estudo, enquanto a queima de biomassa contribui com 8% a 10% da emissão estimada para a área da amazônia brasileira.  O estudo, descrito em tese de doutorado apresentada no Ipen, faz parte de um grande projeto de pesquisa que tem como objetivo entender e determinar as emissões dos principais gases do efeito estufa da Amazônia. "Foram realizadas coletas em quatro localidades distribuídas na Amazônia brasileira, formando um grande quadrante representando toda a Bacia, próximos às cidades de Santarém (Pará), Alta Floresta (Mato Grosso), Rio Branco (Acre) e Tabatinga (Amazonas)", relata a bióloga: "Os estudos procuram observar como a Amazônia contribui e quais são os processos que interferem nestas emissões, de modo a compreender como a região pode responder às futuras alterações climáticas". O trabalho foi orientado pela professora Luciana Vanni Gatti, coordenadora do projeto no Laboratório de Química Atmosférica (LQA) do Ipen. Na pesquisa foram realizados perfis verticais para as coletas de ar, utilizando aviões de pequeno porte, desde aproximadamente 300 metros (m) da superficie até 4,4 quilômetros (km), nos quatro locais de estudo na Amazônia. "Foram realizados quatro anos de medidas contínuas em escala regional, sendo que quinzenalmente, totalizando 293 perfis verticais realizados”, conta a pesquisadora: "Os perfis verticais são realizados tendo como base um plano de voo, preparado previamente, que indica para o piloto a localização e em quais altitudes devem ser feitas as coletas".  A coleta tem inicio no ponto mais alto e desce em uma trajetória helicoidal de aproximadamente 5 km de diâmetro. "Os quatro anos de estudo mostraram que a Amazônia atua como uma importante fonte de metano, com uma emissão de 25,4 Teragramas (Tg) por ano”, aponta Luana. “Isso representa de 4% a 5% da emissão global, considerando a área amazônica brasileira, que é de 4,2 milhões de quilômetros quadrados".




Foram quatro anos de pesquisa para se levantar estes dados


19% das emissões de metano provém dos rebanhos nos pastos amazônicos
"Atualmente existem poucos estudos realizados sobre a emissão de metano na Amazônia”, diz a pesquisadora Luana Santamaria Basso. Para estimar algumas contribuições de atividades humanas nas emissões observadas na pesquisa, foram realizados alguns estudos complementares. "Hoje, cerca de 60% das emissões globais de metano são de origem antrópica, ou seja, relacionada com atividades humanas, como por exemplo a criação de rebanhos de animais que emitem metano a partir da fermentação entérica, as queimadas, os cultivos". O monóxido de carbono (CO), que foi quantificado na mesma amostra de ar coletada nos locais estudados, foi usado para estimar qual a contribuição da queima de biomassa nas emissões de metano. "Os resultados mostraram que a queima representara entre 8% e 10% da emissão total estimada para a Amazônia brasileira”, ressalta a cientista. Também foi realizada uma estimativa das emissões provenientes da fermentação entérica e do manejo dos dejetos dos rebanhos de animais ruminantes: "Elas representam em média 19% da emissão de metano estimada para cada local estudado". Durante os quatro anos do estudo, foi possível observar uma variação anual das emissões, indicando uma relação com as variações climáticas, como por exemplo a variação de chuvas e de temperatura. "Os resultados obtidos ressaltam a importância da realização de estudos de longa duração, durante períodos de dez anos, por exemplo", conclui a pesquisa: "A comparação destes resultados com dados de temperatura, precipitação, número de focos de queimada, dentre outros, ajudarão a obter um melhor entendimento das fontes de metano e também da variabilidade em suas emissões ao longo dos anos, que atualmente não é ainda compreendida por completo". "Outros especialistas na realidade amazônica querem já um plano de desenvolvimento sustentável para a região, considerando a importância da floresta, da agricultura e da população", comenta ainda aqui sobre esta pesquisa da USP e do Ipen o ecologista Antônio de Pádua Padinha.
Segundo Luana Basso, os perfis de avião mostram a resultante de todos os processos que ocorreram desde a costa brasileira até o local da coleta, mostrando a região amazônica como um todo, mas não permitem entender exatamente todas as fontes, sumidouros e os fatores que vêm influenciando nestes processos: "São necessários e urgentes estudos complementares que mostrem mais detalhadamente o funcionamento de cada compartimento da floresta, por exemplo das áreas alagáveis, dos rios. Os resultados mostraram variações anuais nas emissões, porém é necessário mais tempo de estudo, em torno de dez anos, pelo menos, para poder considerar estas variações e observar uma tendência maior de aumento ao longo das próximas décadas". Enfim, é um desafio para agora, antes que tarde demais.


As queimadas e os agrotóxicos aumentam os índices desta violência ambiental amazônica


Fontes: Agência USP de Notícias
              www.ecodebate.com.br
              www.folhaverdenews.com 

 

6 comentários:

  1. Assim que a equipe de nosso blog de ecologia e de cidadania postou aqui estas informações, está encaminhando este post à Presidenta do Brasil, Dilma Rousseff, na esperança de motivar mudanças no setor e também na expectativa destes problemas gerar uma gestão positiva, socioambiental e sustentável, equilibrando a economia do agronegócio com a ecologia do país.

    ResponderExcluir
  2. Mande vc tb a sua msm, comentário ou informação sobre esta pauta: já recebemos alguns comentários e os estaremos postando aqui também em breve, aguarde e participe deste esforço por um avanço brasileiro.

    ResponderExcluir
  3. Você pode mandar o seu e-mail para navepad@netsite.com.br e/ou direto para o nosso editor de conteúdo padinhafranca@gmail.com

    ResponderExcluir
  4. "Vamos juntos, todos os que amam a Nação e querem mudanças ou avanços", é em resumo a proposta deste post aqui no Folha Verde News. Mande a sua opinião sobre esta pauta.

    ResponderExcluir
  5. "De repente, este tipo de mudança pode mudar para bem melhor a situação política no Brasil": a opinião é de Alberto Moreira, que estuda na UFMG.

    ResponderExcluir
  6. "Esse clip aí do Christian e Ralf na página junto a esta pesquisa da USP e do Ipen dá um lance interessante, mexe também com a emoção brasileira da gente": a opinião nos foi enviada por msm via smartphone por Júlia Santos, de Cuiabá, Mato Grosso. Obrigado por curtir e compartilhar no Facebook.

    ResponderExcluir

Translation

translation