segunda-feira, 2 de fevereiro de 2015

O FUTEBOL PODERÁ SER UM LAZER INTERESSANTE PARA ADOLESCENTES SEM OPÇÕES DA GERAÇÃO ROLEZINHO?...

                                                    Torcedor do futuro

No caso de pequenas ou de médias cidades como Franca (SP) a sugestão de ingresso mais barato  para garotos em jogos de futebol está levantando a falta de lazer para a juventude

Não se trata somente de futebol, mas tem a ver com a ecologia do esporte, caso a entrada em estádios de futebol dos jovens até 18 anos tiver um desconto de 50% no valor do ingresso, este fato ajudará a criar uma nova (e até quase inexistente) alternativas de diversão para a garotada, em especial, jovens e adolescentes com menos recursos, que normalmente vivem na periferia do espaço urbano e quase não tem opção nenhuma de lazer na comunidade. Importante que a meia entrada seja concedida e se vier a ser, que beneficie os jovens que estejam estudando também. De toda forma, um estímulo à participação da garotada nos jogos de futebol também ajudará os clubes, aumentando a média de público nos estádios e até garantindo torcedores para o futuro.  A gente cita este conteúdo para defender esta proposta de meia entrada para garotos e garotas sem opções de lazer, uma das causas dos chamados rolezinhos em shoppings ou do aumento do uso de drogas ou da criminalidade ou até da marginalização juvenil. Confira a seguir este conteúdo no contexto de Franca, no nordeste paulista, quase divisa com o sudoeste mineiro, onde a garotada quase não tem lazer e o clube da cidade (a Francana, que disputa atualmente o Campeonato Paulista da Série A3) quase não tem tido público em seus jogos, depois que foi rebaixada, caiu da Série A1 para a A2 e agora para a A3. De repente este torcedor do futuro pode agilizar o caminho da volta aos bons tempos. Além de vir a ser também um canal para a cidadania das novas gerações, integrando mais a garotada com a população.



Com muitos problemas e crises, a Francana sobrevive na Série A3 e tenta voltar aos bons tempos
Em geral o estádio municipal (Lanchão) fica quase vazio e esta pode ser uma chance para lazer juvenil

De repente a Geração Rolezinho pode vir a ter no futebol um canal de lazer e cidadania



Notícia sobre o jogo da Francana sob este enfoque do projeto torcedor do futuro

Com muitos desfalques com alguns jogadores ainda sem registro na FPF e com o técnico Adnan Soares (ex-Corinthians, da empresa de marketing esportivo FootStar) tendo podido treinar o grupo de atletas por só 2 semanas (e em Nuporanga, estância hidromineral vizinha)), até que a Francana conseguiu um empate honroso, o time saiu vaiado no 1º tempo mas terminou aplaudido pela garra, depois do gol de empate do Douglas de Paula a nova Vetarana partiu prá cima do São José e por pouco não virou. A foto aqui do jogo é do site aafrancana.net e cedido pelo GCN. Na sequência do campeonato, diante do Taubaté, com mais gente podendo jogar (como Diego Bife, que pode até  equilibrar melhor defesa, meio e ataque pelas características do seu jogo) a torcida espera um bom resultado no Vale do Paraíba na quarta-feira. Volta a jogar no Lanchão contra a Santacruzense daqui uns dias e Franca precisa abraçar a Francana, mais gente ir ao estádio (há uma idéia nos bastidores de se cobrar meio ingresso de estudantes com até 18 e sem lazer na cidade). Com o calor da torcida, também dos torcedores mais jovens, essa rapaziada que mostrou pelo menos garra e responsabilidade, poderá ter uma força a mais para atuar melhor, quem sabe levando à Francana para a Série A2, indo em busca da Série A1 e dos melhores dias deste clube histórico do interior. A chance existe. Franca precisa saber transformar este sonho em realidade, o que será bom para todos na cidade e na região. A vizinha e simpática Nuporanga fez a sua parte, agora falta Franca apoiar mais a Francana. E no caso de estímulo aos jovens e adolescentes de irem aos estádios (como o Lanchão e tantos outros por aí), isso irá melhorar o lazer da garotada, da geração Rolezinho, além de criar o futuro do futebol no jogo da vida...(Antônio de Pádua Padinha) 

Fontes: www.aafrancana.net
             www.folhaverdenews.com

10 comentários:

  1. Tanto Marcos Rogério, da Hertz AM, como Gil Dias, assessor de imprensa da Francana consideram positiva esta proposta de estímulo a jovens estudantes participarem de jogos oficiais no Estádio Municipal Lancha Filho, Lanchão.

    ResponderExcluir
  2. Vamos discutir melhor este tema em outro post e na sequência do Campeonato Paulista da Série A3 e também levar esta proposta para a Federação Paulista de Futebol no sentido de sua implantaçao em outras cidades.

    ResponderExcluir
  3. Envie você também o seu comentário ou opinião sobre este post, jovens tendo o futebol como alternativa de lazer, com desconto no ingresso: mande sua msm para navepad@netsite.com.br ou direto pro e-mail do nosso editor padinhafranca@gmail.com

    ResponderExcluir
  4. "Uma boa idéia essa de facilitar o ingresso de jovens estudantes em jogos de futebol, como da Francana por aqui, onde tem diminuido também jogo a jogo a presença do torcedor, a falta de dinheiro de alguns setores da população é uma das causas, com certeza": o comentário é de Afrânio Nobre, que se prepara para cursar a Faculdade de Direito de Franca, ele que veio de Araraquara (SP), onde diz existir um problema semelhante.

    ResponderExcluir
  5. "Vejo que encontrar nova opção de lazer, no caso o futebol, prá garotada sem diversão nas cidades e envolvida com rolezinhos e outros bichos, acho que é uma questão de esporte e também de cidadania, merece ser debatida e apoiada": o comentário foi de Daniel Dônega, técnico em informática em Franca (SP).

    ResponderExcluir
  6. "Acho que até somente do ponto de vista futebolístico e esportivo, o projeto é muito válido, ainda mais com estes ingredientes da atualidade": quem comenta é Ana Luíza Magalhães, de São Paulo (SP), que atua em empresa de publicidade e marketing.

    ResponderExcluir
  7. "Essa proposta pode dar samba, pode dar jogo, rap no jogo da vida": a msm é do rapper Xis, ao que parece enviando o e-mail de São Paulo.

    ResponderExcluir
  8. "Muito importante o texto de Aline de Moraes, no jornal Comércio da Franca, terapeuta ocupacional, ligada à Ufscar, considerando que o problema do rolezinho na verdade é fruto da desigualdade social", é o comentário de Alberto Santos (de Franca/SP), que conclui: "Mais uma razão para que um projeto apresentado aqui neste blog seja levado em conta e apoiado pela comunidade".

    ResponderExcluir
  9. O comerciante Alberto Santos, no mesmo e-mail, ainda nos envia a decisão judicial que proibe menores de 18 anos irem só ou em grupos ao Franca Shopping desacompanhados de pais, mães ou responsáveis, para evitar que aconteçam ali os Rolezinhos de todos finais de semana: "Esta proibição deixa claro que a questão envolve lazer dos adolescentes e então a proposta de facilitar o acesso aos jogos de futebol é positiva, creio que isso poderia também acontecer nos jogos de basquete, ampliando as opções de diversão, diminuinmdo assim também os problemas".

    ResponderExcluir
  10. "Concordo com essa matéria e com outra que foi postada aqui nesse mesmo blog no final de janeiro, enfocando a importância de eventos culturais para garotas e garotos de bairros com menos recursos para o lazer, algo fundamental pros jovens e toda população": a opinião nos foi enviada por e-mail por Jurandir Ribeiro, ortopedista que atua em São Paulo e se formou na Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto.

    ResponderExcluir

Translation

translation