sábado, 7 de fevereiro de 2015

SATÉLITE PRODUZIDO POR ESTUDANTES DE ENGENHARIA DO ITA NO INTERIOR DE SP JÁ ESTÁ EM ÓRBITA NO ESPAÇO




O cubesat Aesp - 14 foi posto em órbita da Estação Espacial Internacional (ISS) e é o 1º satélite inteiramente brasileiro



O primeiro satélite de pequeno porte desenvolvido integralmente no Brasil foi colocado em órbita a partir da Estação Espacial Internacional (ISS) na quinta-feira desta semana, 5 de fevereiro. A produção do satélite foi fruto de uma parceria entre o Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe) e o Instituto Tecnológico de Aeronáutica, ambos em São José dos Campos, no interior de São Paulo. Batizado como cubesat  Aesp-14 o nanosatélite transmitirá dados através de seu modem, em frequência de rádio amador. O objetivo da experiência é capacitar mão de obra para a fabricação deste tipo de satélite no país, além de possuir um modelo embrião para o desenvolvimento de outras plataformas. A Agência Espacial Brasileira (AEB) investiu R$ 250 mil para desenvolver o pequeno satélite. Com o formato de um cubo, ele tem as seguintes medidas: 10 centímetros nas laterais, e o peso gira em torno de 700 gramas. O equipamento tem uma vida útil estimada em três meses, como informou o site JB. Por sua vez o portal G1 comentou que qualquer estação poderá receber o sinal, desde que opere na mesma frequência de recepção, inclusive, o experimento vai ser contatado por integrantes do Clube de Radioamadores de Americana (SP) . As imagens que serão enviadas são relacionadas às áreas de ciência, tecnologia, engenharia e matemática. O cubesat AESP-14 vai operar na frequência de 437.600 MHz e transmitirá informações com uma taxa de 9600 bps padrão G3RUH na modulação GFSK. Através de uma base espacial no Japão desde  janeiro o nanosatélite brasileiro já estava no espaço, mas o equipamento desde então aguardava uma autorização para ser lançado em órbita. "Do solo enviamos para estação espacial no começo de janeiro, mas só conseguimos lançá-lo hoje em órbita porque estávamos dependendo de um registro especial de telecomunicações, que autoriza a emissão de radiofrequência", explicou Lídia Hissae Shibuya Sato, pequisadora e colaboradora do projeto. Agora, finalmente, nesta primeira semana de fevereiro, foi realmente posto em órbita no espaço na Estação Espacial Internacional (ISS), foi a informação do blog Brazilian Space, que deu o seguinte detalhe, que foi uma operação realizada com sucesso através do dispositivo de ejeção "JEM Small Satellite Orbital Deployer (J-SSOD)".


O AESP-14 foi desenvolvido por estudantes de Engenharia do ITA, com apoio do INPE


O satélite brasileiro já está e ficará em órbita da Terra durante 3 meses


+ informações sobre o AESP-14

Tipo:  Nanosatélite (cubesat) Tecnológico
Operadores: Instituto Tecnológico de Aeronáutica e o INPE-SJC
Medida do satélite: 10cmx10cmx10cm
Massa Total: 1 Kg
Tempo de vida: 1 ano
Experimento:  Experimento de Radio Amadores
Lançamento (Primeira Fase): 10/01/2015
Local: Base da Força Aérea Americana em Cabo Canaveral (EUA)
Foguete:  Falcon 9 (EUA)
Lançamento (Segunda Fase): 05/02/2015
Local: Módulo Japonês Kibo
Lançador: JEM Small Satellite Orbital Deployer (J-SSOD)
Situação Atual: Operacional



Fontes: http://brazilianspace.blogspot.com.br 
             www.jb.com.br
              G1
             www.folhaverdenews.com 


8 comentários:

  1. Esta notícia foi dada ontem por alguns sites e até algumas TVs nacionais mas sem o devido destaque que merece um feito históric e tecnológico da nova geração de engenheiros aeronáuticos do Brasil.

    ResponderExcluir
  2. O Instituto Tecnológico de Aeronáutica e o INPE operadores destes satélite estão sendo muito mais destacados no exterior do que aqui no país, onde só há espaço para corrupção, violência e problemas de todo tipo, em especial, os socioambientais, por falta de gestão dos governos.

    ResponderExcluir
  3. Os estudantes de engenharia do ITA mostram definitivamente o valor dessa rapaziada da nova geração, agora nestes tempos de estado de direito no Brasil, onde os jovens e toda a população (inclusive, as autoridades) precisam se ligar em ações positivas, como esta, para criar o futuro da Nação, através do Desenvolvimento Sustentável, equilibrando os recursos naturais da nossa última ecologia com o potencial econômico e tecnológico.

    ResponderExcluir
  4. Postamos esta matéria em tom de parabéns e esperamos aqui o seu comentário ou opinião, envie a sua msm para navepad@netsite.com.br e/ou para o e-mail do nosso editor de conteúdo padinhafranca@gmail.com

    ResponderExcluir
  5. "Só agora estou sabendo desta notícia, este blog está sempre dando furo de reportagem na grande mídia, antecipando informações e valorizando temas positivos como essa pauta: parabéns aos novos engenheiros do ITA, esperança para todo o país": a mensagem é de Rose Almeida, que estudou Jornalismo na Unesp e que está em SP atuando em agência de publicidade.

    ResponderExcluir
  6. "Enquanto a grande mídia só se preocuoa com escândalos crimes, corrupção e dando espaço aos BBs e UFCs da vida, parabéns a este blog trazendo esta notícia tão positiva para a ciência e o avanço do país": é a msm de Eurípedes Mazeto, engenheiro e arquiteto, a quem agradecemos o elogio, respondendo que sim, estamos na luta cult para mudar essa realidade.

    ResponderExcluir
  7. "A cada boa notícia como essa tem mais de cem negativas para o país e que nos deprimem, mas vamos à luta, fiquei contente com a inteligência dos estudantes de engenharia do ITA, que poderão ajudar muito ainda o Brasil a avançar": é a msm que nos enviou Geraldo Mariano, professor aposentado, que tem como hobby tecnologia e vive em Mococa (SP).

    ResponderExcluir
  8. "Deveríamos abrir mais espaços em todas as áreas e setores para os jovens, a nova geração brasileira é uma esperança de verdade para toda a população": é o comentário de Altair Sousa, que ainda escreveu na msm: "Sou também jovem e sinto que que em muitas situações e profissões há preconceito ou barreiras contra a juventude".

    ResponderExcluir

Translation

translation