terça-feira, 24 de fevereiro de 2015

UMA PEQUENA VITÓRIA DEPOIS DE TANTAS DERROTAS DA AMAZÔNIA PARA A VIOLÊNCIA DO DESMATAMENTO

PF e Ibama prendem o maior desmatador da Amazônia, o grileiro Castanha, e o movimento ecológico e de cidadania do país e do planeta espera que este tipo de ação continue por lá

 

Momento em que Castanha estava sendo preso na região de Novo Progresso no Pará


O Ibama e a Polícia Federal Ambiental do Pará assumiram hoje que mantém preso desde sábado o grileiro Ezequiel Antônio Castanha, considerado o maior desmatador da Amazônia, segundo hoje confirmaram sites como Ambiente Brasil e Uol. A prisão chegou a contar com apoio da Força de Segurança Nacional. Castanha é acusado de dirigir uma quadrilha de grileiros que se apoderava ilegalmente de terras de titularidade pública na Amazônia para depois desmatá-las e vendê-las como pasto a um preço elevado. A quadrilha operava na região ao redor da BR-163, no Pará, e segundo cálculos do Ministério Público estadual, era responsável por 20% do desmatamento ocorrido na Amazônia brasileira nos últimos dois anos. Somente a família do grileiro seria responsável por quase R$ 47 milhões em multas junto ao Ibama, sem incluir os autos de infração em nome dos demais integrantes da quadrilha que pode ter também desdobramentos em outros países amazônicos  como Peru, Venezuela, Bolívia. A prisão de Castanha é parte de uma operação contra vários desmatadores realizada em agosto do ano passado, na qual o líder da quadrilha não tinha sido detido. Ezequiel Antonio Castanha será julgado pela Justiça Federal e poderá receber pena de mais de 46 anos de prisão pelos crimes de desmatamento ilegal, formação de quadrilha, lavagem de dinheiro e uso de documentos falsos, entre outros crimes, sendo que o ambiental é o que tem maior gravidade, com certeza, dada a importância de toda a amcrorregião do Rio Amazonas, vital para recuperar a ecologia do Brasil e da América do Sul.


Ambientalistas do país e do planeta todo esperam que haja uma sequência nesta ação contra desmatamento
 
Fontes: www.ambientebrasil.com.br
             www.folhaverdenews.com

8 comentários:

  1. Nem toda a imprensa regional em torno do Novo Progresso no Pará acredita que o agora preso Castanha seja mesmo responsável por 20% de todo o desmatamento ocorrido na Amazônia brasileira nos últimos dois anos. A mídia nacional repete esta informação veiculada por fonte do Ibama.

    ResponderExcluir
  2. De toda forma, superimportante esta operação conjunta de forças policiais, do Exército e do MP, se bem que o desmatamento não será detido apenas com prisões de quadrilheiros mas com uma nova gestão socioambiental na Amazônia e no Brasil.

    ResponderExcluir
  3. Já recebemos dois e-mails aqui na redação do blog sobre esta ocorrência ao mesmo tempo policial e ecológica...Mande a sua opinião, comentário ou informação sobre o desmatamento ou sobre a prisão de desmatadores aqui para nosso e-mail navepad@netsite.com.br ou direto pro endereço na web do nosso editor de conteúdo padinhafranca@gmail.com

    ResponderExcluir
  4. "Em alguns países orientais ou muçulmanos um criminoso como este seria fuzilado, no Brasil, periga dele vir a ser até endeusado e liberado da prisão com tantos recursos judiciais que por aqui existem, além da força política dos ruralistas, a quem interessa o desmatamento": quem comenta por e-mail é o produtor cultural Aritana, de São Luiz, no Maranhão, que vem acompanhando este caso do Castanha há dias, tendo nos enviado ao blog já no domingo uma 1ª informação.

    ResponderExcluir
  5. "Oi, Folha Verde, continue atenta e mobilizada que um desmatador grande foi preso mas o desmate continua": o alerta nos foi feito pelo ecologista e defensor dos Kaipós e outras tribos paraenses, Belchior. A gente agradede o toque, paz aí p/vc tb na luta.

    ResponderExcluir
  6. "Se realmente, Ezequiel Antonio Castanha for julgado pela Justiça Federal e receber pena de mais de 46 anos de prisão pelos crimes de desmatamento ilegal, isso será excelente ferramenta de justiça ambiental e tb uma forma de brecar este megacrime na Amazônia": o comentário é de José Almeida, advogado, ligado à OAB, em SP.

    ResponderExcluir
  7. "Cada pequena vitória é importante no caminho para uma realidade mais sustentável no Brasil": quem comenta é Nazaré Santos, que se diz filiada ao PV e acredita que a Presidenta Dilma deveria seguir firme por este rumo para, segundo diz Nazaré, "endireitar o país, antes que ele caia nas mãos da direita ruralista".

    ResponderExcluir
  8. "Levando em conta a importância de toda a macrorregião do Rio Amazonas, vital para recuperar a ecologia do Brasil e da América do Sul. esta prisão é histórica, tomara que o Governo do Brasil continue a sua ação e faça uma gestão sustentável aqui": o comentário é do professor de História Contemporânea (formado pela Unesp), Mario Vitor, que atua agora na regiãi de Manaus.

    ResponderExcluir

Translation

translation