quarta-feira, 15 de abril de 2015

ENTRE MARTE E JÚPITER O MISTÉRIO DE CERES NA ZONA DE CINTURÃO DE ASTEROIDES PESQUISADO PELA NASA

A última imagem divulgada pelo veículo espacial Dawn, da Nasa, intriga cientistas e ufologistas: o planeta anão Ceres, que fica entre Marte e Júpiter, está no meio de um cinturão de asteróides e de uma nova polêmica envolvendo a possibilidade de vida extraterrestre depois desta respeitada agência espacial divulgar fotos onde uma intensa fonte de luz aparece na superfície do pequeno planeta. (As informações são do Daily Mail reproduzidas aqui no Brasil também pelo site Terra e aqui no blog da ecologia e da cidadania Folha Verde News), onde chegou também um e-mail dando conta de pesquisas ou especulações de esotéricos ou ocultistas e pesquisadores de Ufologia: Ceres seria o que resta de um hipotético planeta Juno que teria existido entre Marte e Júpiter, ali exatamente no ponto do mistério?...O mistério continua no ar, pelo menos agora está sendo pesquisado com a tecnologia mais contemporânea, confira aqui informações sobre este assunto que divide a opinião de astrofísicos, astrônomos, ufólogos e já com uma operação sendo executada agora neste momento por técnicos da Nasa. 


As duas fontes de luz fotografadas na superfície de Ceres pelo Dawn da Nasa
Há ainda mistérios, dúvidas e especulações em nosso Sistema Solar e em todo o Universo


As fotos dos pontos de luz em Ceres foram capturadas a 45 mil quilômetros de distância e mostram que o par de brilhos têm propriedades diferentes de temperaturas – após terem sido capturadas em infravermelho. As imagens fazem parte do primeiro mapa colorido deste planeta, mostrando para os especialistas variações de materiais da superfície, e revelando os diversos processos que ajudaram a moldá-la. "O planeta anão não é somente uma pedra inerte. É ativo, tendo sofrido processos que resultaram em diferentes materiais em diferentes regiões”, explicou Chris Russel, da Universidade da Califórnia.  Apelidadas como luzes alienígenas na superfície, ou como Feature 1 e Feature 5, elas mostram raios brilhantes em relação ao resto de Ceres, No mês passado, cientistas disseram que este par de pontos brilhantes misteriosas poderia ser altaneiro 'vulcões de água’, os flashes cativaram a atenção de cientistas. Apesar das novas descobertas desta semana, a origem ainda continua sendo desconhecida. “Os pontos brilhantes continuam a fascinar a equipe de cientistas, mas vamos ter que esperar até que nos aproximamos e formos capazes de determinar a sua origem”, disse Chris Russell. Imagens recentes da sonda Amanhecer revelam a Feature 5 em vários ângulos como a rotação de asteroides. Os raios de luz são visíveis mesmo quando eles estão perto da borda de Ceres, o que sugere que eles devem estar muito acima da superfície e não no fundo de uma cratera de impacto, como se acreditava anteriormente. Em meio as especulações, a Nasa não conseguiu explicar de maneira científica a presença da luz no planeta. Por enquanto, cientistas acreditam que o ponto brilhante pode ser a presença de algum material refletivo e, provavelmente, se trata de gelo.      "Agora, tudo o que podemos dizer é que o material reflete 40% ou mais da luz que bate dele. Isso porque a resolução da câmera é limitada devido à distância de Ceres. Se no final a resposta for mesmo um reflexo, é muito provável que seja gelo", afirmou um membro da missão Dawn, o astrônomo Chris Russell. Russell que acrescentou que pode haver uma origem das manchas por movimentos vulcânicos, mas isso a ciência espacial terá de esperar até uma melhor resolução, antes de fazer interpretações geológicas. Usando seu sistema de propulsão iônica, Dawn entrou na órbita de Ceres em 6 de março, tornando-se a primeira sonda feita pelo homem a visitar o planeta Ceres – ou “Estrela da Morte” - e os cientistas esperam que se descubram os segredos por trás de sua mancha branca misteriosa.  A última imagem divulgada pelo veículo espacial Dawn, que viaja ao encontro do planeta anão, mostra a fonte de luz brilhante a mais de 46 mil quilômetros. O ponto de luz, parecido ao de um holofote, é apontado por ufologistas como “sinal alienígena”. Em meio as especulações, a Nasa não conseguiu explicar de maneira científica a presença do fenômeno no planeta. Por enquanto, cientistas acreditam que o ponto brilhante pode ser a presença de algum material refletivo. "Sem trocadilho temos mais que refletir e também com bom senso manter expectativa sobre a conclusão desta pesquisa em andamento, a gente questiona esta situação esperando que ela avance a compreensão sobre a vida de nossa espécie humana, a bem da Terra e do nosso futuro", comenta por sua vez  aqui no blog FVNews nosso editor, o repórter e ecologista Antônio de Pádua Padinha ao postar na web estas informações que intrigam a ciência na atualidade. 

Aqui mais notícias sobre o mistério Ceres enquanto se esperam as últimas informações

No início da década de 1990, a NASA iniciou o Programa Discovery, destinado a ser uma série de missões científicas com custos reduzidos. Em 1996, a equipe de estudos do programa recomendou uma missão de alta prioridade para explorar o cinturão de asteroides utilizando uma sonda com propulsão de íons. O financiamento para esta missão permaneceu problemático por vários anos, mas em 2004 a sonda espacial Dawn conseguiu viabilizar o projeto. A sonda foi lançada em 27 de setembro de 2007, como a primeira missão espacial destinada a Ceres. Em 3 de maio de 2011, Dawn fez a primeira imagem do seu destino, a 1,2 milhão de quilômetros de Vesta.  Após orbitar Vesta por 13 meses, Dawn utilizou sua propulsão de íons para partir em direção a Ceres, com inserção orbital ao redor do planeta anão ocorrida recentemente em 6 de março de 2015, quatro meses antes da missão New Horizons chegar a outro planeta anão, Plutão, em julho de 2015, tornando assim Ceres o primeiro planeta anão já visitado por uma sonda espacial. A gente, cientistas, jornalistas e pesquisadores em geral estamos aguardando as últimas informações. A sonda deve entrar em órbita de Ceres a uma altitude de 5 900 km. Posteriormente, a sonda vai reduzir sua distância para 1 300 km após cinco meses de estudo, e depois para somente 700 km após mais cinco meses. A sonda Dawn levou sete anos e meio para chegar ao planeta, enquanto a missão deve se estender por pelo menos quatorze meses. É um longo prazo. A instrumentação da sonda inclui uma câmera, um espectrômetro visual e infravermelho e um detector de raios gama e nêutrons. Estes instrumentos vão obter dados sobre a forma e a composição do planeta anão. Em 13 de janeiro de 2015, Dawn fez as primeiras imagens comparáveis à resolução do telescópio Hubble, revelando pelo menos duas crateras de impacto importantes, além de pequenos locais com altos albedos, nos mesmos locais de observações anteriores. Sessões adicionais de fotos foram sendo tomadas em resoluções cada vez maiores de janeiro a abril, antes da captura gravitacional da sonda, quando começam as observações completas. A Agência Espacial Chinesa planeja uma missão para retorno de amostra de Ceres mas que ocorreria somente durante a década de 2020. Por enquanto, só se pode esperar e especular, para não dizer sonhar com o que acontece ali naquele ponto que está a 45 mil quilômetro de distância da sonda espacial da Nasa, numa região de muito mistério espacial


  Fontes: Nasa - Daily Mail
                www.terra.com.br
                www.folhaverdenews.com

7 comentários:

  1. Tivemos dificuldades aqui na redação do blog de postar os textos, de fontes diversas e diferentes, sobre esta pequisa em andamento sendo feita pela Nasa.

    ResponderExcluir
  2. O mistério de Ceres, que envolve variadas teorias, hipóteses e especulações, tanto de esotéricos sobre uma eventual existência há 4 bilhões de anos do planeta Juno (desaparecido ou destruído), tudo isso intriga e divide opiniões, causando polêmica entre cientistas e ufólogos ou jornalistas que investigam esta pauta.

    ResponderExcluir
  3. Procuramos com equilíbrio e bom senso resumir as informações e as hipóteses, apresentando o que há de mais objetivo neste programa da Nasa cheio de conotações e interrogações.

    ResponderExcluir
  4. Mande vc tb a sua informação ou comentário, enviando a sua msm pro e-mail da nossa redação navepad@netsite.com.br e/ou diretamente para o nosso editor padinhafranca@gmail.com

    ResponderExcluir
  5. Logo mais estaremos postando aqui outras informações e comentários, aguarde.

    ResponderExcluir
  6. "Todos os detalhes que estão reunidos neste blog sobre a sonda espacial da Nasa ilustram bem a dificuldade dos cientistas da Terra para terem um avanço de informação sobre Ceres e o Universo da vida, paranormais, espíritas, esotéricos têm conseguido respostas mais rápidas porém não tão seguras": o comentário é de Alaor Moreira, do Rio de Janeiro, executivo de multinacional e que se dedica por lazer à Astronomia e se considera um "visionário", como ele mesmo diz.

    ResponderExcluir
  7. "Infelizmente, vamos ter que esperar muitos anos e décadas para ter a respostas que já procuramos, isso porque a tecnologia terrestre está bem menos avançada do que a necessidade de avançar, os governos não investem o suficiente em pesquisa e menos ainda de sentido espacial": o comentário é de Eneida Sanches, de Curitiba, Paraná, que se especializou em ficção científica após ter feito Comunicação na USP em São Paulo.

    ResponderExcluir

Translation

translation