domingo, 24 de maio de 2015

A QUALIDADE DOS PRODUTOS ORGÂNICOS É RECONHECIDA PELOS CONSUMIDORES MAS O PROBLEMA É O PREÇO


Começa por todo o Brasil mais uma edição da Semana dos Alimentos Orgânicos mas não há sinal de uma gestão pública e sustentável que venha a diminuir o preço e ampliar o consumo destes produtos mais saudáveis



Em relação ao principal problema dos alimentos orgânicos, o preço mais alto para o consumidor, a primeira mudança a ser implantada na agricultura familiar deveria ser uma linha de financiamento para a agroecologia. Os produtos agrícolas com agrotóxicos e com adubos químicos contam com este canal de apoio: por que os orgânicos não? O nosso editor de conteúdo aqui do blog da ecologia e da cidadania Folha Verde News andou pesquisando este problema para fazer este post neste domingo (24 de maio) em que começa oficialmente a 11ª edição da semana nacional dos Orgânicos. O repórter e ecologista Antônio de Pádua Padinha, que é vegetariano há muitos anos e procura consumir de preferência alimentos orgânicos, comenta por aqui que "o que eu percebi é que a produção e a distribuição de alimentos orgânicos têm dois grandes inimigos que explicam em boa parte estas dificuldades, o agronegócio que domina o setor e o lobby das indústrias químicas, que são multinacionais poderosas demais no Brasil".  Mesmo assim, Padinha completa este comentário, observando que "com uma organização maior e mais ampla no mercado de produção e de venda dos orgânicos, estes alimentos poderiam conseguir um maior consumo e um preço bem mais baixo do que têm hoje". Esta estrutura organizacional é algo que cabe ao governos federal e estadual, bem como à intermediação de parlamentares "que infelizmente, estão submissos a lobbies que não se interessam por esta revolução de qualidade". No sentido de apoiar a luta do movimento ecológico, científico e de cidadania a favor dos alimentos orgânicos, a seguir nosso blog divulga uma série de perguntas e respostas, que foram elaboradas por técnicos da Embrapa e do Ministério da Agricultura. E vamos à luta para aumentar o consumo em nosso país dos produtos mais saudáveis, o que fará diminuir também a crise do setor da saúde, com a redução da quantidade de doenças, isso além de ajudar a que se faça uma recuperação do equilíbrio ecológico do meio ambiente brasileiro. Se é tudo de bom, porque os orgânicos não têm a necessária estrutura organizacional para avançar a qualidade de vida no Brasil? Esta questão é apenas o começo da luta por um desenvolvimento sustentável no país, equilibrando os interesses ecológicos com os econômicos. 


Para todos estas imagens de agricultura familiar  e de...

...produtos orgânicos, cabe uma mesma legenda...

...ou questionamento: por que não há a mesma estrutura governamental...

...para os orgânicos que só existe pros alimentos com agrotóxicos e adubos químicos?...

Confira as perguntas e respostas sobre o alimento orgânico

 

Para ser considerado orgânico, o produto deve ser cultivado em um ambiente que considere sustentabilidade social, ambiental e econômica e valorize a cultura das comunidades rurais A agricultura orgânica não utiliza agrotóxicos, hormônios, drogas veterinárias, adubos químicos, antibióticos ou transgênicos em qualquer fase da produção.

Como a produção orgânica cuida do ambiente de cultivo para evitar problemas com pragas e doenças sem o uso de materiais produzidos artificialmente?


O sistema orgânico busca o equilíbrio do ecossistema para resultar em plantas mais resistentes a pragas e doenças. Para impedir a disseminação de doenças, outras culturas são utilizadas durante o cultivo ou alternadas com a produção. Plantas consideradas daninhas para muitas lavouras são usadas na agricultura orgânica por atraírem para si as pragas e enriquecerem o solo, fortalecendo as plantações e evitando doenças.

Quais práticas são comuns no processo de plantio dos produtos orgânicos?
 

Os produtores de orgânicos utilizam o rodízio de culturas e diversificação de espécies entre e dentro dos canteiros. Nas lavouras são aplicados cordões de contorno com plantas diversas, que ajudam a proteger a plantação de pragas e doenças, servem como quebra-vento e também protegem o solo contra erosão.
Praticam o plantio direto, caracterizado pelo cultivo em cima do resíduo da cultura anterior, sem que o trator limpe o solo. Outras técnicas, como a adubação verde, também contribuem para o enriquecimento do solo, fornecendo o equilíbrio necessário para a geração de alimentos saudáveis. O
solo é enriquecido com adubo orgânico que promove o desenvolvimento da vida neste solo, como minhocas, bactérias e fungos benéficos, que contribuem para o equilíbrio do sistema.

Todo alimento cultivado sem o uso de agrotóxicos é orgânico?


Não. A produção orgânica vai além da não utilização de agrotóxicos. O cultivo deve respeitar aspectos ambientais, sociais, culturais e econômicos, garantindo um sistema agropecuário sustentável.

Frutos grandes e bonitos indicam o uso de agrotóxico?
 

O mito de que o produto orgânico é menor, ou mais feio, já foi superado pela produção orgânica. O consumidor deve exigir qualidade ao adquirir esses produtos.

Há plantio de produtos orgânicos em grande escala?


A agricultura orgânica costuma ser relacionada a produções em pequena escala. Desde a década de 1970, quando o processo orgânico começou a ser difundido no meio acadêmico e científico, novas tecnologias foram desenvolvidas e estudos realizados para possibilitar produções em grande escala e evitar pragas e doenças sem a utilização de agrotóxicos. Esse processo evolutivo pode ser observado em culturas como a do café, cana-de-açúcar e morango.

Por que produtos orgânicos são mais caros?
 

O produtor orgânico se preocupa com a preservação do meio ambiente e tem compromisso com a qualidade de vida de seus empregados. O produto, então, pode ter seu custo de produção um pouco maior, acrescido destas responsabilidades cidadãs. A oferta em relação à procura por produtos mais saudáveis, também eleva o preço no mercado. Mas, tanto em supermercados como nas feiras livres é possível adquirir produtos orgânicos com preços compatíveis. Escolher produtos orgânicos estimula o crescimento desta prática, aumenta a oferta e diminui seu preço ao consumidor.

O que é adubação verde?


É o plantio de certas espécies de plantas, geralmente leguminosas, simultaneamente ou em processo alternado com o plantio de culturas de interesse econômico. Quando cortados, os adubos verdes são misturados ao solo e deixam esses nutrientes disponíveis para o produto orgânico que será cultivado. Também protegem o solo da erosão e podem ser repelentes naturais de pragas e doenças.

Qual a diferença entre orgânicos e hidropônicos?


Alimentos hidropônicos têm um processo de produção diferente ao processo proposto pela agricultura orgânica. Na hidroponia podem ser utilizados agrotóxicos. Os hidropônicos são caracterizados pelo cultivo direto na água, enquanto a agricultura orgânica trabalha com o solo como organismo vivo. Na hidroponia, fertilizantes altamente solúveis, proibidos pela agricultura orgânica, são colocados na água e absorvidos pelas raízes das plantas.

Como saber se o produto que estou comprando é realmente orgânico?
 

Conforme a legislação brasileira, em vigor desde janeiro de 2011, o consumidor reconhece o produto orgânico através do selo brasileiro ou pela declaração de cadastro do produtor orgânico familiar. Todo produto orgânico vendido em lojas e mercados tem que apresentar o selo em seu rótulo. Já o agricultor familiar precisa vender seus produtos diretamente, para que o consumidor possa estabelecer uma relação de confiança com ele ao comprar seus produtos na feira.

Quais são as certificadoras credenciadas no Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento?


O ministério tem, atualmente, oito certificadoras credenciadas: Instituto de Tecnologia do Paraná (TECPAR), IBD Certificações, Ecocert Brasil Certificadora, Instituto Nacional de Tecnologia (INT), Instituto Mineiro de Agropecuária (IMA), Insituto Chão Vivo de Avaliação da Conformidade, Agricontrol (OIA) e IMO Control do Brasil. A fiscalização das propriedades produtoras de orgânicos é feita por essas empresas, que assumem a responsabilidade pelo uso do selo brasileiro. Cabe ao Ministério da Agricultura fiscalizar o trabalho dessas certificadoras.

O que é Sistema Participativo de Garantia?


Os Sistemas Participativos de Garantia - SPG são grupos formados por produtores, consumidores, técnicos e pesquisadores que se auto-certificam, ou seja, estabelecem procedimentos de verificação das normas de produção orgânica daqueles produtores que compõe o SPG. Precisam ser credenciados no Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento que fiscaliza seu trabalho. Os produtos do SPG recebem o selo brasileiro.

É possível encontrar produtos orgânicos industrializados?


Sim. Para serem considerados orgânicos, o processo de industrialização deve respeitar as normas de fabricação para evitar qualquer contaminação do produto com substâncias indesejadas. Seus ingredientes devem ser inofensivos à saúde do consumidor. Para ser considerado orgânico, o produto deve ser composto de no mínimo 95 % de ingredientes orgânicos. Os que têm proporção menor só podem ser chamados de “produto com ingredientes orgânicos” e essa porção tem que ser de, no mínimo, 70 %. Já os com menos de 70 % de ingredientes orgânicos não podem ser vendidos como tal e não podem ter o selo brasileiro.

Podemos encontrar produtos orgânicos sem o selo brasileiro?
 

O selo brasileiro deve ser colocado em todos os produtos orgânicos comercializados em lojas, sites, supermercados, etc, quer sejam produzidos ou não no Brasil. Apenas os produtos vendidos direto nas feirinhas, onde o produtor é cadastrado junto ao MAPA e está ligado a uma Organização de Controle Social, podem ser comercializados sem o selo. Mas, neste caso, o consumidor pode pedir que o produtor apresente sua Declaração de Cadastro para confirmar sua condição. Produtos importados que cheguem ao Brasil sem o selo, não podem ser comercializados como orgânicos no país. A única exceção é para os produtos com longa validade, que foram produzidos ou importados até dezembro de 2010 (ex. café, açúcar), que estavam sem utilizar o selo na ocasião de sua produção, uma vez que a obrigatoriedade do uso só passou a valer desde  1º de janeiro de 2011, há mais de 4 anos atrás. Mas esta e outras leis que amparam o setor são cumpridas? Bem, esta é outra questão fundamental.



Estes dados reforçam a necessidade duma estrutura de avanço dos orgânicos no país


Fontes: www.agricultura.gov.br
              www.folhaverdenews.com 


9 comentários:

  1. Nesta seção estaremos postando mais informações e comentários, envie vc tb a sua mensagem para nossa redação: navepad@netsite.com.br

    ResponderExcluir
  2. Você pode também mandar o seu e-mail direto para o nosso editor de conteúdo padinhafranca@gmail.com

    ResponderExcluir
  3. Em todas as cidades já há feiras ou pelo menos feirinhas de produtos orgânicos ou ainda entrepostos de vendas e restaurantes deste setor, que disseminam esta tendência no mercado de alimentação, que cresce cerca de mais de 30% ao ano.

    ResponderExcluir
  4. A questão nº 1 que nossa equipe do blog coloca é a urgência de uma nova estrutura organizacional no Brasil para a produção e venda dos orgânicos, o que só se vai conseguir sem os lobbies das indústrias multinacionais de agrotóxicos e adubos químicos.

    ResponderExcluir
  5. A luta é grande demais mas o objetivo maior ainda, uma melhor saúde para a população brasileira.

    ResponderExcluir
  6. "Infelizmente, o que a gente percebe é que os alimentos orgânicos são em média 40% mais caros": é a msm de Isabela Morais, de São Paulo (SP), lamentando "a falta de um programa governamental para apoiar a produção e mercado deste produtos mais saudáveis".

    ResponderExcluir
  7. "Acredito como ouvi muitos engenheiros agrônomos e técnicos agrícolas falarem que se aumentar a produção dos orgânicos, os preços cairão. O que fazer então? Os governos e os políticos já sabem o caminho": quem comenta é João Pedro, de Altinópolis (SP), que ressalta também a questão do lobby dos agrotóxicos e adubos químicos no Congresso Nacional.

    ResponderExcluir
  8. "É urgente criar uma estrutura de avanço da agroecologia para ampliar o consumo dos alimentos orgânicos e o país recuperar também o seu equilíbrio do meio ambiente": a msm nos foi enviada de Vila Velha (ES), que cultiva orgânicos e os vende na feira em Vitória nos finaios de semana.

    ResponderExcluir
  9. "Ótima esta matéria, aqui mais um dado, há muito espaço para a produção de alimentos orgânicos crescer, no Brasil temos cerca somente de 1000 hectares de agroecologia, menos de 5 mil unidades de agricultura familiar, espaço tem, mas o problema são outros, bem colocados neste post der hoje aqui": o comentário é de Mário Bianchi, a que,m agradecemos os elogios. Ele diz que assistiu nesta semana uma palestra sobre este problema em Curitiba (Paraná).

    ResponderExcluir

Translation

translation