quarta-feira, 6 de maio de 2015

BRASIL LIDERA RANKING DE AMBIENTALISTAS MORTOS EM LUTA SEGUNDO RELATÓRIO INTERNACIONAL


Brasil lidera em mortes de ecologistas: em um ano foram 116 casos no planeta, 29 por aqui, segundo britânica Global Witness e com mais informações também do site jornalístico alemão Deutsche Welle





Três em quatro assassinatos de ativistas pelo meio ambiente aconteceram na América Latina, divulga ainda este relatório sobre esta forma crescente de violência: o Brasil foi o país mais perigoso do mundo para militantes ambientalistas pelo dados de 2014 divulgados nesta semana como uma das piores notícias de 2105. Em nenhum outro lugar do mundo foram assassinados mais ativistas, segundo relatório da organização não-governamental britânica Global Witness, apresentado agora em Londres, na Inglaterra. Este relatório cinza sobre o mundo verde é destaque também no jornal e site DW e por aqui no site de assuntos socioambientais Envolverde.  Os países da América Latina estão na região considerada extremamente perigosa pela organização, no ano passado foram registrados 116 casos em todo o mundo, número que é recorde histórico e 20% maior que o de 2013. Deles, 87 ocorreram em nações latino-americanas, 29 assassinados no Brasil. Honduras lidera a lista na relação número de casos por habitante, segundo o documento, intitulado How many more? (Quantos mais?). Entre 2002 e 2014, 111 pessoas morreram no país em decorrência de crimes contra ambientalitas.  Entre 2007 e 2011, os crimes contra ambientalistas registrados pela Global Witness triplicaram. Com isso, os militantes do meio ambiente são considerados o grupo de ativistas que mais corre riscos. entre todos os setores que vão à luta de cidadania. No planeta inteiro foram mortos, em função do seu trabalho ou do seu ativismo socioambiental, quase duas vezes mais ambientalistas do que jornalistas, por exemplo. Por mau exemplo, evidentemente. 

Muitos anônimos, os assassinados na luta ambiental no Brasil aumentaram 20% em um ano

Índios são 40% das vítimas verdes

Muitos casos na região amazônica

Em 2014, o nosso país infelizmente figura no topo da lista, com 29 mortes, seguido pela Colômbia, com 25, pelas Filipinas, com 15, e por Honduras, com 12. Cerca de 40% das vítimas são índios. Já para ativistas do direito à terra, o Sudeste Asiático é a região mais perigosa do mundo. "Um dos rankings que mais transferem imagem negativa ao Brasil no mundo, mesmo porque a ecologia é hoje um fator de desenvolvimento sustentável, de verdade", comenta por aqui no blog Folha Verde News nosso editor, o repórter e ecologista Antônio de Pádua Padinha. Ele cita Billy Kyte, da Global Witness, que a partir destes dados está exigindo que os governos façam mais pela proteção dos ambientalistas: "Em Honduras e no mundo inteiro, ambientalistas são mortos, sequestrados, ameaçados ou processados como terroristas, em plena luz do dia, porque se opõem ao chamado progresso". Segundo a Global Witness, os crimes são praticados tanto por grupos paramilitares, como pela polícia e por empresas de segurança privada. Entre os mandantes estariam grandes latifundiários, grupos privados, políticos e membros do crime organizado. "A maioria desses crimes, realizados em nome de uma poderosa combinação de interesses corporativos, de grupos econômicos e governamentais, fica impune", acrescentou Billy Kyte. Esta situação desperta também a atenção da entidade Anistia Internacional, que já vem criticando, no caso do Brasil, os métodos usados por policiais, que continuam agindo como se o país ainda fosse uma Ditadura e não um estado de direito, o que é oficialmente desde 1986...

Chico Mendes assassinado em 1989 é o caso mais famoso de violência contra ecologistas

No Brasil e em toda a América Latina este tipo de crime cresce segundo a Global Witness

Fontes: Global Witness
               www.dw.de
               www.envolverde.com.br
               www.folhaverdenews.com


5 comentários:

  1. Logo mais estremos postando aqui mais comentários e informações, aguarde.

    ResponderExcluir
  2. Envie você também a sua opinião, mandando a sua mensagem prá redação do nosso blog de ecologia e cidadania navepad@netsite.com.br e/ou pro e-mail do nosso editor padinhafranca@gmail.com

    ResponderExcluir
  3. "Mesmo que cada um de nós tenha riscos em sua segurança pessoal, isso não é nada comparado à insegurança ecológica no processo de destruição da natureza e do desequilíbrio ambiental: vamos à luta mas também para que se faça justiça e haja respeito aos direitos ambientais e de nossa vida": comentou por aqui o nosso editor de conteúdo Padinha.

    ResponderExcluir
  4. "Oi, Padinha, importante esta pauta, ainda agora no Paraná alguns verdes, ambientalistas e jornalistas, foram agredidos e correram muito risco de vida na manifestação dos professores": é a msm que nos enviou Clarice Santos, de Ponta Grossa.

    ResponderExcluir
  5. "29 defensores do meio ambiente mortos em um ano é algo que reflete bem a violência da atualidade no Brasil, realmente uma situação de mártires da natureza": é o comentário de Yvone Ferreira, de Santos (SP), ela diz se identificar com o movimento ecológico desde quando foi morto Chico Mendes: "Eu era criança e me despertei para o assunto".

    ResponderExcluir

Translation

translation