sábado, 16 de maio de 2015

CLIMA MUDANDO E AUMENTAM PROBLEMAS COMO A POBREZA AQUI E EM TODO PLANETA


A loucura humana modifica e desequilibra o clima mais do que os fenômenos naturais


A repórter Bruna Escaleira do site Planeta Sustentável  enfoca de cara que a pesquisa científica e meteorológica revela que eventos climáticos extremos são cada vez mais frequentes em todos os lugares da Terra. Há uma série de fatores sociais e ambientais que influencia estas mudanças. Nesse ponto, é importante questionar o papel da atividade humana. A quantidade de gases causadores do efeito estufa lançada na atmosfera já é maior que a capacidade de absorção dessas substâncias pelo planeta: o aquecimento global chegou. Informações das agências americanas Nasa e Noaa, que monitoram os oceanos e a atmosfera, indicam que 2014 foi o ano mais quente do planeta desde o início das medições, em 1880 e esta tendência continua crescente através de 2015 e dos anos seguintes.Não é um caso isolado: o Século 21 tem nove das dez maiores médias de temperatura anuais, o que configura uma tendência de aumento. Com o aumento de temperatura, a atmosfera procura um reequilíbrio diante da nova situação. "Essa busca se manifesta como uma agitação atmosférica, que resulta em fenômenos climáticos extremos: furacões cada vez mais fortes, tempestades, enchentes e secas", explica Tércio Ambrizzi, professor de Ciências Atmosféricas da USP. Para o especialista, o aumento da temperatura da superfície do mar ao sul do Oceano Atlântico pode ter influenciado a bolha de calor na região sudeste brasileira, pois esses eventos mundiais, atmosféricos e oceanográficos não são isolados. A sugestão é começar pela escala regional, pois é nela que estão os fatores que geraram as mais nítidas alterações climáticasOs meteorologistas concordam que as chuvas de verão não chegaram ao sudeste do país porque uma bolha de calor de alta pressão "estacionou" sobre ela no verão do ano passado. Neste ano, há indícios de que o fenômeno possa se repetir. Geralmente, uma massa de ar quente tem baixa pressão atmosférica. Nesse caso, o contato dela com um fluxo de ar frio favorece a formação da chuva. Mas essa bolha tinha alta pressão, o que impedia a aproximação de ventos úmidos, já que o ar flui de áreas com mais pressão para outras com menos pressão. Ninguém sabe explicar ao certo o que causou a formação dessa bolha de calor de alta pressão atmosférica e por que ela estacionou ali. Para investigar as hipóteses, é preciso mudar para da escala regional para a global, planetária. Uma alternativa para se reequilibrar a situação do clima no planeta é uma meta supercomplicada, envolvendo diferentes ramos da ciência, a luta ecológica, mudanças na realidade socioambiental através de um desenvolvimento sustentável em vários setores. "Vale lembrar que é preciso ter cuidado quando a mídia anuncia causas impactantes para alguma catástrofe, desconfie, pois pode haver sensacionalismo ou também explicações de não especialistas", alerta Adriana Olivia Alves, que atua como professora de Geografia na Universidade Federal de Goiás (UFG) e tem pesquisado muito esta questão. Uma delas é que as mudanças do clima, além de outros problemas, aumenta os índices de pobreza aqui e em todos os lugares do mundo. "Todos estes lugares têm um ponto comum, são vítimas da ação ou da loucura dos homens, que já pode ser chamada de um ecocídio de nossa espécie de vida", comenta por aqui em nosso blog de ecologia e de cidadania Folha Verde News, Antônio de Pádua Padinha no momento em que editava estas informações e comentários que precisam entrar em pauta com urgência no dia a dia de todo mundo. 


Os fenômenos atmosféricos e climáticos têm origem também ...

...em erros e limites da atual estrutura da vida dos homens e dos países....

...o que agrava as mudanças do clima na Terra e gera problemas socioambientais profundos


Fontes: www.planetasustentavel.abril.com.br
              www.folhaverdenews.com 



6 comentários:

  1. A grosso modo de expressão, os problemas climáticos, oceanográficos, atmosféricos que estão acontecendo de forma crescente em todos os lugares do planeta, não ocorrem por acaso ou por conta somente de fenômenos naturais e sim, principalmente, por ação ou loucura dos homens e dos países na atualidade.

    ResponderExcluir
  2. Estas quatro linhas de comentário podem resumir a pauta de nosso blog de ecologia hoje: logo mais estaremos postando por aqui nesta seção mais informações e outros comentários. Aguarde nossa edição.

    ResponderExcluir
  3. Nesse meio tempo, mande você também a sua opinião sobre esta pauta urgente hoje em dia em qualquer lugar em que você esteja: envie o seu e-mail para a nossa redação navepad@netsite.com.br e/ou diretamente para o nosso editor de conteúdo padinhafranca@gmail.com

    ResponderExcluir
  4. "O que poderemos, a nossa atual geração, fazer para conter as mudanças mais agudas do clima e os problemas socioambientais que crescem mais do que nossa riqueza? Creio que é mudar radicalmente a civilização ou o nosso modo de viver": é a msm do ecologista Inácio Alves, de Belém do Pará, que é quem nos sugeriu esta pauta aqui em nosso blog neste fim de semana. Dê vc tb a sua opinião e vamos à luta para mudar esta realidade de desequilíbrios e problemas.

    ResponderExcluir
  5. "Li um artigo do Leonardo Boff defendendo uma revolução espiritual do ser humano agora (não exatamente religiosa) em que ele afirma que a atual geração está praticando um ecocídio ou um geocídio": a mensagem nos foi enviada por Josué Carvalho, de Petrópolis (RJ), que abandonou carreira de executivo e vive em uma chácara, cultivando alimentos orgânicos e cuidando da saúde, como nos explica.

    ResponderExcluir
  6. "A loucura dos homens é realmente o fim do mundo": comenta Elenice Soares, de Altinópolis (SP), que promove viagens de ecoturismo a points da natureza brasileira, levando gente da sua cidade e organizando toda a estrutura disso.

    ResponderExcluir

Translation

translation