quinta-feira, 28 de maio de 2015

ESTAS ÚLTIMAS CHUVAS DE MAIO AGORA VÃO AUMENTAR O FRIO NO INVERNO AQUI NO SUDESTE?

Apesar de toda tecnologia o tempo está quase imprevisível afirmam os meteorologistas





Um internauta de Araraquara (SP) se assustou com pancadas de chuca e frio repentino nesta cidade no centro do estado de São Paulo e nos enviou por e-mail esta pergunta: "Estas últimas chuvas de maio agora vão aumentar o frio no inverno chegando por aqui no Sudeste?", foi a mensagem de José Manuel Pereira, que estuda Letras na Unesp. Para tentar responder ao seu questionamento, acabamos por fazer esta matéria. Aqui em Franca (SP). a 200km de onde está José Manuel nesta quinta-feira aconteceram duas pancadas de chuva leve e fria, com a queda da temperatura em relação aos dias anteriores deste outono por aqui no nordeste paulista, um clima similar ao de Araraquara e de boas parte do interior paulista, mineiro e fluminense. Uma passagem entre o verão e o inverno, o outono costuma ser visto no meio rual como o tempo das colheitas, uma época que combina momentos de calor  e de frio, em geral, em todo o Sudeste do Brasil com diminuição das chuvas, mas também ocorrem algumas modificações repentinas do clima, com névoas em algumas regiões e até a chegada de frentes polares e ainda de chuvas, como está acontecendo agora nestes dias por aqui. O professor Hilton Silveira Pinto, que atua como pesquisador do Centro de Pesquisas Meteorológicas e Climáticas Aplicadas à Agricultura (Cepagri) da Unicamp foi entrevistado pelo G1 da Globo e de cara, adiantou que previsões muito antecipadas podem não ser confiáveis. Em termos de crise hídrica e volume de chuvas, ele crê que 2015 estará dentro da média histórica mas a seca de 2014 foi grande demais e esta anormalidade poderá levar 10 anos para o tempo ou o clima se normalizar.  Ele explicou que hoje a previsão no mundo é tranquila, inclusive em nosso país. A nossa previsão se equipara com países como Japão e Alemanha. Qual é o problema do Brasil? Nós somos um país tropical. E fazer uma previsão aqui em São Paulo, por exemplo, é muito mais difícil do que no Rio Grande do Sul. O clima temperado lá é mais divididinho. No inverno vai fazer frio e vai chover. Aqui para nós dá uma diferença. Pode chover ou pode não chover. O país é muito grande e muito instável. Agora, a previsão do tempo no Canadá, que é a segunda maior área do mundo, é quase 100% certa porque o clima é mais homogêneo. No Brasil não, você tem mudanças que são complicadas de se prever. A metodologia que nós temos é muito boa. Hoje em termos de tecnologia nós estamos acompanhando o mundo. Mas os desafios climáticos brasileiros parecem ser maiores do que na maior parte dos lugares, avalia Hilton Silveira Pinto. Para continuar buscando uma resposta para o internauta de Araraquara, que ficou assustado com as pancadas de chuva fria nesta quinta-feira, 28 de maio, a gente foi também pesquisar no site do Climatempo. A informação que os meteorologistas que atuam neste instituto muito respeitado nos passa pode ser captada no comentário que eles fazem que muita gente nos estados do Sul, do Sudeste e do Centro-Oeste já está esperando a chegada das massas polares mais fortes, capazes de antecipar o inverno. Informam que o último outono-inverno realmente frio no Brasil foi o de 2013, quando ocorreu um número de eventos de neve sem precedentes. Só em agosto de 2013, foram quatro eventos de neve e em um deles nevou de forma generalizada no Sul. Voltou a nevar em Curitiba, o que não ocorria desde 1975. O outono de 2015 começou com a chegada de uma massa de ar polar moderada a forte sobre o centro-sul do Brasil. A queda de temperatura foi acentuada. Mas entrada desta massa polar logo no inicio do outono foi apenas uma coincidência. E o fato do outono começar com uma brusca queda da temperatura não significa que o calor irá embora de vez. Ainda teremos dias que possam sewr relativamente quentes neste outono.  No plantão diário da Climatempo, a informação é que hoje nesta quinta-feira, 28 de maio, o tempo começou com chuva na Grande São Paulo e também nas demais áreas do estado. O avanço das instabilidades chegou a todo interior e provocou pancadas de chuva com intensidade entre fraca e moderada. Nas imagens do satélite meteorológico é possível ver o avanço das instabilidades chegando do interior do estado, inclusive por aqui na região que estamos enfocando neste post agora aqui no blog.

6 comentários:

  1. Logo mais estaremos postando aqui nesta seção de comentários mais informações sobre esta pauta, bem como opiniões e mensagens.

    ResponderExcluir
  2. Enquanto você aguarda esta edição, envie o seu e-mail para a redação do nosso blog navepad@netsite.com.br e/ou diretamente pro nosso editor padinhafranca@gmail.com

    ResponderExcluir
  3. Caso você tenha alguma informação ou estudo sobre como será o inverno ou a seca de 2015, envie para a gente que estamos preparando um post especial sobre este tema. Obrigado, paz.

    ResponderExcluir
  4. "Tempo imprevisível e isso já era previsto pelos especialistas, também em meio ambiente, enquanto não houver uma gestão ambienbtal sustentável no Brasil, o clima será uma incógnita, com certeza, um problema, se não for uma tragédia": a opinião é do ecologista José Amaro, de São José dos Campos, que anda pesquisando juntos a vários institutos a meteorologia e nos enviou informações,

    ResponderExcluir
  5. "Este tipo de matéria ajuda a gente a organizar o dia a dia e o trabalho na cidade e no meio rural": agradecemos o elogio de Maria Beatriz, de Itu, São Paulo, ao nosso blog, ela escreve "sinto que os jornais, rádios, TVs e até os sites de notícias não aprofundam a questão do clima".

    ResponderExcluir
  6. "Na Índia centenas de pessoas morrendo de calor, espero que no Brasil, em especial no sul, não haja vítimas de um frio excessivo": comenta Hugo Nabut, de Curitiba (Paraná), que se dedica à importação e exportação, ele critica ainda "o caos ambiental que toma conta do planeta".

    ResponderExcluir

Translation

translation