sábado, 20 de junho de 2015

LUTA PELAS NASCENTES PRECISA VIRAR UM PLANO NACIONAL: É A POSIÇÃO HOJE DA WWF

Este blog apóia o movimento ecológico e de cidadania em busca da ecologia perdida no Brasil: o primeiro passo é a luta pelas nascentes por aqui e em todo país


Segundo postagem que é destaque em sua webpágina, a entidade ambientalista WWF (Fundo Mundial da Natureza) quer que seja urgentemente implantado um Plano Nacional das NascentesO plano ajudaria a aumentar a quantidade e a qualidade da água para consumo da população  e também a reequilibrar o ambiente: o Brasil tem hoje uma economia de base rural altamente dependente de água, assim como a indústria e grande parte da população que vive em centros urbanos, todos enfrentam um colapso de abastecimento sem precedentes, que é provocado pelo desmatamento e três faltas: falta de planejamento, de gestão pública sustentável e de foco nas questões climáticas. 


A Agência Nacional de Águas alerta que metade dos municípios brasileiros poderão sofrer com falta de água em 2015


  O nosso país deverá seguir uma tendência mundial de aumento no consumo de água nos próximos anos, tanto nas cidades quanto no campo. Para enfrentar esta crise e buscar soluções reais e duradouras, o WWF-Brasil e outras organizações formaram a Aliança Pela Água: "O momento é de urgência e todos precisamos nos empenhar para garantir este recurso natural tão importante, hoje e no futuro. E você pode dar um apoio fundamental para solucionar a crise hídrica: assine e divulgue a petição que está em nosso site: juntos vamos defender nossas nascentes, rios e outros mananciais, a bem de nossa vida futura e já agora na próxima seca pós-inverno, que poderá ser maior ainda do que a do ano passado, por sua vez, a mais profunda nos últimos 100 anos. Confira a seguir o texto integral da carta sendo encaminhada ao Governo Federal por este movimento, você pode participar acessando o site www.wwf.org.br


A proteção ou recuperação das nascentes significa vida para a população, a economia e a ecologia do país


A iniciativa da WWF Brasil coincide com a luta de nosso blog Folha Verde News


Aqui a carta da WWF: "Apesar de ser um país abundante em água doce – que tem no azul da nossa bandeira uma referência explícita ao precioso recurso natural –, o Brasil vive a pior crise hídrica em 85 anos. A crise ganhou imensa repercussão nacional e internacional, principalmente porque, desta vez, atingiu drasticamente o Sudeste, uma das regiões mais ricas e populosas do país, responsável por grande parte da economia brasileira. Mas no dia a dia, cerca de 40 milhões de brasileiros em todas as regiões enfrentam problemas com o abastecimento ou a qualidade da água. Parte dessa dificuldade está na governança da água. Usamos mal e desperdiçamos o recurso vital para a sobrevivência. Por falta de percepção de que estamos comprometendo o futuro dos mananciais, poluímos rios, lagos e reservatórios. A represa Billings, em São Paulo, por exemplo, é o maior reservatório da região, com capacidade de abastecer mais de 4 milhões de pessoas, mas sua água não estava sendo utilizada devido à poluição por esgotos não tratados. Mas o mais grave é que estamos deixando de proteger as nascentes brasileiras. Se um rio é poluído ou degradado, mas suas nascentes estão preservadas, há boas chances de recuperarmos todo corpo hídrico. Por outro lado, se as nascentes forem destruídas, pouco se pode fazer. Elas são a fonte necessária à vida e devem ser preservadas ou recuperadas a qualquer custo. E o país está perdendo suas nascentes de modo veloz e irreversível. A imagem da nascente seca do rio São Francisco em 2014 foi só um alerta que nunca tínhamos visto antes. Em vários municípios, as nascentes já não servem mais à população. Ruas, casas e bairros inteiros são construídos sobre áreas de preservação permanente, onde as nascentes são drenadas e aterradas. No meio rural as fontes são degradadas pelo mau uso do solo na atividade agropecuária, além da construção de estradas e obras de infraestrutura sem planejamento. Sem contar que recentes leis criadas no país pioram a situação. É o caso do novo Código Florestal. O inciso IV do seu artigo 4º excluiu as nascentes intermitentes (que secam periodicamente) da obrigatoriedade de proteção de faixa de matas no seu entorno. Pela lei, apenas as nascentes permanentes são incluídas na faixa de proteção permanente, num raio mínimo de 50 metros. Como as nascentes que eram perenes estão secando – por problemas de manejo e mal uso do solo –, elas são, automaticamente, consideradas intermitentes e, portanto, podem ser desmatadas com permissão da lei. É uma contradição para um país que precisa da água para alimentar seu povo, gerar produtos agropecuários para exportação - atividade responsável por 5% do PIB do país), produzir energia (70% da matriz energética do país é de geração hidrelétrica, totalmente dependente da água) e abastecer toda a sociedade. O Plano Nacional de Segurança Hídrica lançado em 2014 pela Agência Nacional de Águas e o Ministério da Integração Nacional não prevê a proteção e recuperação de nascentes e mananciais. Só a construção de novos reservatórios e de outras obras de infraestrutura hídrica não será suficiente. É preciso ampliar a oferta por meio da proteção e recuperação das nascentes que abastecem os reservatórios. As ameaças que pairam sobre as áreas protegidas também podem agravar o quadro hídrico nacional. Criadas para conservar serviços ambientais essenciais – como a produção de água –, essas áreas podem ser abertas à mineração e outros usos econômicos, contrariando seu papel constitucional. Por todas essas razões, presidente, o WWF-Brasil propõe que o país crie e implemente um Plano Nacional de Proteção das Nascentes do Brasil". 

Recentemente nosso blog enfocou reaproveitamento de nascente no Condomínio Ecoville

Cresce por aqui e em todas as regiões a luta para resgatar a ecologia perdida no país


Fontes: www.wwf.org.br
              www.folhaverdenews.com 

9 comentários:

  1. Se a Seleção Brasileira principal, que não está com a bola toda na Copa América do Chile, vencer hoje a Venezuela, não muda nada o tom de nossas críticas, não terá feito senão a obrigação.

    ResponderExcluir
  2. Vencendo a Espanha, a Seleção Feminina mostrará aos marmanjos do Brasil que se póde ter um melhor rendimento com dedicação, com raça e com inteligência em campo, do que o selecionado brasileiro tem carecido.

    ResponderExcluir
  3. "A performance de Neymar no Barcelona é quase perfeita, mas ele não é o protagonista, apenas completa a equipe de Messi, não tem a faixa de capitão e tem que jogar quietinho, tudo o que não faz na Seleção, onde é tratado como dono do time" é a crítica de José Mangueiro, que foi jogador de futebol em clubes do norte do Brasil antes de ser agente de turismo.

    ResponderExcluir
  4. "O problema do Brasil não é só Neymar, mas principalmente os dirigentes da CBF e a falta de uma gestão de verdade do nosso futeboi": quem comenta é Mauro Silva Santos, comerciante de Campinas (SP): "O futebol anda muito mediocre ultimamente, aqui também nos times da minha cidade".

    ResponderExcluir
  5. "Torço por Marta e pelo futebol feminino mas do jeito como as coisas andam na CBF e na Seleção, sou capaz de torcer pro Brasil perder": é o desabafo de Ana Maria, estudante da USP de Ribeirão Preto (SP).

    ResponderExcluir
  6. "As seleções de jovens no Brasil sempre tem treinadores que ainda estão aprendendo, futebol é uma arte e um jogo difícil, teriam que ser escolhidos os melhores treinadores e os melhores jogadores, agora, basta jogar na Europa para ser selecionado": é o comentário de Pedro Paulo Lopes, que é lojista em São Paulo e nada por esporte.

    ResponderExcluir
  7. "As investigações e até prisões de cartolas, também brasileiros, pelo FBI e pela Justiça, deveriam levar a mudanças radicais na CBF, nas federações estaduais e em toda a estrutura do futebol, o que não acontece, parece que há grandes interesses em cima disso": o comentário é de Berenice Moreira que é redatora de propaganda em Araxá (MG).

    ResponderExcluir
  8. "Um blog como este nem deveria falar de futebol, esses caras são todos mercenários": a opinião é do internauta Cláudio Guimarães, que é um industrial de calçados em Jaú e manda detalhes sobre os problemas do XV, clube daquela cidade que já foi grande no interior paulista.

    ResponderExcluir
  9. "Realmente, cuidar do futebol no Brasil por ser uma tradição cultural e tão popular como é, envolve a cidadania, mas acho que é mais mesmo um caso de polícia, o dinheiro da Seleção deveria ser colocado é na educação de nosso povo": o comentário é de Agenor Santos, professor de Educação Física na rede pública na região de Sorocaba (SP), ele relata ainda que "falta tudo para nosso trabalho na rede até rede".

    ResponderExcluir

Translation

translation