quarta-feira, 15 de julho de 2015

JOGO ONLINE FAZ A DEFESA NA LINGUAGEM DIGITAL DO AMEAÇADO BOTO COR DE ROSA

Criado pela entidade World Animal Protection é educação ambiental de ponta usando a força que a cultura digital tem hoje em todos os lugares até nas florestas da Amazônia 


Com edição de Stênio Ribeiro, Alana Gandra faz mais uma reportagem de valor socioambiental através da Agência Brasil, divulgando um jogo online gratuito, criado pela organização não governamental  World Animal Protection, a cultura digital usada como ferramenta de educação e comunicação em comunidades da Amazônia para conscientização de crianças e jovens sobre a necessidade de preservação do Boto Cor de Rosa, animal símbolo da região e um dos ícones da natureza do Brasil. Denominado Apú e o Espírito do Rio, o jogo é parte da campanha lançada na América Latina para proteção dessa espécie rara de Golfinho. O problema, disse o coordenador de campanhas de vida silvestre da ONG, Roberto Vieto, é que “o boto cor-de-rosa está sendo caçado de forma cruel, em uma atividade completamente ilegal, para ser usado como isca para a pesca da Piracatinga”, que é uma espécie de bagre muito consumido na Colômbia. “A gente está trabalhando bem perto das comunidades do Amazonas em projetos educativos, porque a partir de janeiro deste ano, o governo brasileiro decretou uma moratória em relação a essa pesca”, disse ele. Por isso, esta entidade ambientalista procura encontrar alternativas para os pescadores, ao mesmo tempo que define uma forma de atuar que possa ajudar nos esforços de conservação e proteção do Boto Cor de Rosa nas comunidades, gerando conscientização em toda a América Latina. Sobretudo, porque o boto é além do mais cercado de lendas e mitos em toda a região amazônica, que abrange também na Colômbia, Bolívia, no Peru e Equador. A entidade fez uma petição pública para que o governo da Colômbia tome medidas para fechar a fronteira ao peixe Piracatinga. A petição já conta com 188 mil assinaturas de pessoas que passam a ser vistas como protetoras do Boto Cor de Rosa. Os ganhadores do jogo se convertem também em guardiães do animal e pedem ao governo colombiano que se alinhe à moratória brasileira. Além de vítima da caça ilegal, este Boto sofre outros problemas ligados ao bem estar animal e à violência na floresta, disse Vieto. Foi lançado também um projeto de educação no município de Uarini (AM), onde o jogo vai ser utilizado como ferramenta para plantar a semente da importância que o Boto tem na sua função ecológica e no folclore brasileiro. O objetivo é resgatar o valor dessa espécie entre as crianças, jovens e até adultos com a força de comunicação dos jogos online, uma das formas de diversão mais crescentes até mesmo entre na aldeias junto às florestas.  


O objetivo da Word Animal Protection é resgatar o valor desta espécie...


...um Golfinho cor de rosa e que ainda sobrevive em rios da Amazônia


Nas festas populares como Bumba Meu Boi eles são personagens importantes...



...e no imaginário, a lenda do Boto Cor de Rosa que se transforma em amante das garotas ribeirinhas

Oi, garotada: vocês podem baixar gratuitamente este jogo do Boto acessando http://antesqueanaturezamorra.blogspot.com.br/2015/07/lancamos-um-jogo-sobre-protecao-do-boto.html



Fontes: Agência Brasil


             www.folhaverdenews.com 

8 comentários:

  1. Na classificação dos biólogos, não há nenhuma diferença entre Golfinho e Boto, sendo só uma questão de nomenclatura regional. "O termo Boto ganhou força no Brasil para nomear o pequeno cetáceo encontrado nos rios da Amazônia. A partir daí, passou a se difundir que Boto era de água doce e Golfinho, de água salgada. Mas essa diferença não existe", afirma o biólogo Marcos César Santos, coordenador do Projeto Atlantis, que luta pela preservação desses animais.

    ResponderExcluir
  2. Algumas espécies de cetáceos recebem outros nomes, como é o caso do Boto-Tucuxi (Sotalia guianensis), também conhecido como Golfinho-Cinza. Animais muito inteligentes e ótimos nadadores, os Golfinhos, ou Botos, podem atingir velocidades de até 40 quilômetros por hora e saltar 5 metros acima da água, dependendo da espécie.

    ResponderExcluir
  3. No jogo online que estamos apresentando aqui no blog e que se chama "Apú e o Espírito do Rio", a trama populariza a campanha lançada para proteção dessa espécie rara de Golfinho. O problema principal, disse o coordenador de campanhas de vida silvestre da ONG, Roberto Vieto, é que “o boto cor-de-rosa está sendo caçado de forma cruel, em uma atividade completamente ilegal, para ser usado como isca para a pesca da Piracatinga, que é uma espécie de bagre muito consumido dentro da região amazônica na Bolívia, na Colômbia, no Peru,também no Brasil".

    ResponderExcluir
  4. Depois vamos editar aqui mais informações e comentários sobre o Boto Cor de Rosa e a luta pela sua preservação: aguarde e participe, enviando uma mensagem.

    ResponderExcluir
  5. Você pode entrar aqui nesta seção e deixar a sua opinião ou enviar o seu e-mail para a redação do blog navepad@netsite.com.br e/ou direto pro nosso editor de conteúdo padinhafranca@gmail.com

    ResponderExcluir
  6. Foi o que fez Marília Seixas, de Santos (SP), que pretende fazer uma faculdade de Biologia ou de Oceanografia no ano que vem, em resumo, ela diz que "Os Botos são fascinantes, merecem mesmo uma campanha de preservação da espécie e uma maior divulgação no nosso país, que pouco valoriza nossa natureza".

    ResponderExcluir
  7. Você pode baixar gratuitamente este jogo do Boto acessando direto ou via Google http://antesqueanaturezamorra.blogspot.com.br/2015/07/lancamos-um-jogo-sobre-protecao-do-boto.html

    ResponderExcluir
  8. "Uma tristeza": o comentário é de Amauana de Pádua Barbosa, de Jundiaí (SP), advogada, que se manifestou sobre os Botos da Amazônia via o Facebook.

    ResponderExcluir

Translation

translation