segunda-feira, 13 de julho de 2015

PESQUISADORES BUSCAM USAR A ENERGIA CRIADA PELA EVAPORAÇÃO DA ÁGUA NO AR

Cientistas criam motor que funciona a partir da água evaporada na atmosfera e isso poderá vir a resultar num meio mais econômico e mais ecológico de poupar e produzir energia sustentável




Alertada sobre o valor da informação postada no Facebook por um produtor cultural que atua por aqui no interior, no nordeste paulista, a equipe do nosso blog de ecologia e de cidadania Folha Verde News resolveu divulgar esta reportagem do site Terra, ainda em tempo de enaltecer o trabalho dos pesquisadores norte-americanos que anunciaram ter usado somente a energia da evaporação da água para operar motores, uma solução barata e que respeita a luta para recuperar o equilíbrio ambiental do planeta. Um grupo de pesquisadores da Universidade Colúmbia, em Nova York, e da Universidade Loyola, em Chicago, fabricou dois pequenos gadgets experimentais que funcionam ambos de maneira autônoma na presença da umidade do ar. A chave da experiência, publicada pela revista Nature Communications, utiliza inofensivos esporos bacterianos, pequenas unidades esféricas que se formam no interior de uma célula bacteriana. Os esporos inflam com a umidade e encolhem uma vez secos. Este movimento de inchaço/retração é o motor da energia que poderá vir até a mover os menores veículos de nossas cidades e rodovias futuramente. Anos atrás um inventor chegou a desenvolver em Uberaba (MG) um carro movido a água mais ou menos dentro do princípio desta pesquisa sendo feita agora nos Estados Unidos: "Ainda é cedo para afirmar isso, que vamos fazer rodar carros só com o vapor d'água até agora só conseguimos capturar a energia da água que desce das nuvens, mas agora teremos que capturar a energia da evaporação da água a partir do ar, na atmosfera", foi o que explicou Ozgur Sahin, da Universidade de Colúmbia e co-autor do estudo, destacando-se na web em um vídeo que foi realizado pela Nature: "Esse processo é muito poderoso, mas até agora não fomos ainda totalmente capazes de capturar essa nova energia de forma eficiente”, afirmou o cientista com os pés no chão, evitando criar muita expectativa: "Precisamos afirmar que ainda estamos somente em fase experimental, pode ser que consigamos os melhores resultados". A equipe construiu alguns motores pequenos com finas tiras de plástico revestidas de esporos, são elas que abastecem um carro muito pequeno e diodos emissores de luz (LED). Expostos à umidade, os esporos expandem e fazem com que as tiras de plástico se movimentem. Elas se contraem muito rapidamente quando a fonte de umidade é removida. Este movimento para trás e para a frente pode movimentar as rodas e os pistões: "Quando você monta muitas, muitas tiras juntas, aumenta a força que elas produzem", declarou o pesquisador da Universidade de Colúmbia. Esta técnica ainda é experimental. Mas um dia poderia ser usada para próteses ou membros de robôs, baterias e geradores ou para projetar uma roupa esportiva que responda ao suor: quanto mais você suar, mais energia você produz. Ou até para equipamentos de transporte no interior ou no exterior dos shoppings e dos edifícios, um sonho de poupar mais energia e contribuir para recuperar a ecologia perdida em nossa vida urbana hoje em dia em meio à poluída e cara civilização dos veículos a gasolina e diesel que viraram até um pesadelo na atualidade. O motor funcionando a partir do vapor da água de repente poderá vir a desenvolver mais uma alternativa limpa e sustentável, como já são hoje as energias Eólica e Solar, sendo então assim mais uma chance de futuro para a economia e para a ecologia. Esta é a melhor perspectiva desta pesquisa.


O trabalho de construção do protótipo do motor à água é praticamente uma miniatura

O potencial de criação de uma energia limpa através do vapor da água é real

Todos pensam logo num carro movido à água mas a utilização do motor poderá ser para o lazer e o esporte


Fontes: www.terra.com.br
             www.folhaverdenews.com


8 comentários:

  1. Logo mais estaremos postando aqui nesta seção de comentários mais informações sobre esta pesquisa e outras similares, aguarde.

    ResponderExcluir
  2. Entre aqui nesta seção e faça o seu comentário ou envie sua mensagem por e-mail para a nossa redação navepad@netsite.com.br e/ou mande diretamente para nosso editor de conteúdo padinhafranca@gmail.com

    ResponderExcluir
  3. "Não me lembro do primeiro nome, o sobrenome era Porta, ele era um inventor que anos atrás chamou a atenção da imprensa de todo o país por ter criado em Uberaba, no Triângulo Mineiro, um carro movido à água, mas assim como o invento apareceu, desapareceu": é a mensagem que nos enviou José Fernandes, de Uberlândia MG).

    ResponderExcluir
  4. Estes pesquisadores da Universidade de Colúmbia, nos Estados Unidos, demonstraram que é possível construir motores alimentados pela evaporação da água. Eles construíram um motor rotativo que impulsiona um carrinho e um motor-gerador acionado por um pistão que gera eletricidade suficiente para acender um LED, ambos acionados pela umidade gerada pela evaporação de uma pequena quantidade de água.

    ResponderExcluir
  5. "A ideia destes pesquisadores é que essa técnica possa ser escalonada para grandes dimensões, gerando "energia verde" a partir de grandes geradores flutuantes instalados no mar ou em represas como as que existem ór aqui na região em volta do Rio Grande": o comentário é do engenheiro Marcus Lima que enviou uma colaboração de texto ao nosso blog, dando mais detalhes da energia do vapor da água.

    ResponderExcluir
  6. "A evaporação é uma força fundamental da natureza. Ela está em todos os lugares, e é mais potente do que outras forças, como as do vento e das ondas," disse o professor Ozgur Sahin, coordenador da equipe à mídia dos Estados Unidos para mostrar a viabilidade deste processo.

    ResponderExcluir
  7. Mais uma informação sobre os experimentos e a sua viabilidade. Nos experimentos em Nova York e em Chicago, uma superfície de oito centímetros quadrados de água produziu uma média de 2 microwatts de energia, embora a equipe relate ter medido picos de até 60 microwatts. Fazendo os cálculos, os pesquisadores estimam que uma versão com mais esporos e fitas com propriedades mais adequadas - eles usaram poliimida - poderá gerar mais energia por área do que uma fazenda eólica de aerogeradores.

    ResponderExcluir
  8. "De repente pode vir a ser mais uma alternativa de energia limpa, como a Solar e a Eólica, mais uma chance de futuro para a economia e para a ecologia": o comentário é de Marcelo Mendes, de São Paulo (SP) que está escrevendo um livro sobre energia e desenvolvimento sustentável.

    ResponderExcluir

Translation

translation