quarta-feira, 8 de julho de 2015

UM EXEMPLO DAS SEQUELAS DA VIOLÊNCIA CONTRA OS PALESTINOS NA FAIXA DE GAZA

Um ano após bombardeios israelenses na guerra menino palestino que sobreviveu à violência das bombas quase não sai, deixou a escola e tem medo até de ir à praia




A violência em Gaza custou a vida de 500 crianças e deixou as sobreviventes marcadas para sempre

Esta pequena notícia é um grande alarme para todos os que amam a não violência e a paz, comenta por aqui no blog da ecologia e da cidadania Folha Verde News Antônio de Pádua Padinha, ao editar por aqui neste webespaço da gente a informação que se destaca hoje na BBC. Hoje, há exatamente um ano, forças israelenses e grupos militantes da Palestina davam início à mais um conflito na Faixa de Gaza, guerra que deixou mais de 2 mil mortos e entre os mortos, mais de 500 crianças. A Organização das Nações Unidas diz que ambos lados podem ter cometido crimes de guerra, porém, a violência de Israel é criticada mesmo também pelos judeus em Jerusalém, tanto eles como os palestinos sonham com a paz e a liberdade, mas os interesses políticos e econômicos, que estão também fora do Oriente Médio, tornam esta realidade mais distante. A correspondente internacional-chefe da BBC, Lyse Doucet, conversou com crianças em Gaza e no sul de Israel afetadas pelo conflito e no vídeo, ela se encontra com um menino de 12 anos, ele sobreviveu a um ataque, porém, perdeu o irmão e três primos. Isso resume a situação de medo e de violência que destroem  a infância, lá em Gaza como por aqui na periferia de grande cidades como São Paulo e Rio de Janeiro, em permanente estado de guerra, ainda que com menor intensidade, mas com maior constância no dia a dia da vida no Brasil. 

A violência em Gaza não pode ser esquecida mas ela ocorre também em outra proporção em nosso país

Fontes: www.bbcbrasil.com.br
              www.folhaverdenews.com 

7 comentários:

  1. Logo mais estaremos postando aqui nesta seção mais informações e comentários sobre esta sequela da violência na Faixa de Gaza.

    ResponderExcluir
  2. Mande você também a sua informação ou comentário, entrando aqui ou enviando o seu e-mail para nossa redação navepad@netsite.com.br e/ou direto pro nosso editor de conteúdo padinhafranca@gmail.com

    ResponderExcluir
  3. Buscaremos também postar o vídeo do menino vítima de bombardeio na Faixa de Gaza que sobreviveu mas guarda muita sequelas da violência, reportagem realizada por Lyse Doucet, da BBC.

    ResponderExcluir
  4. "Em Gaza ou aqui seja onde for a criança é a maior vítima da violência da realidade atual": nos envia esta mensagem Mariana Godói de São Paulo, mandando informações sobre o sufoco de meninos e meninas nas ruas da capital paulista.

    ResponderExcluir
  5. "Por ser com criança a gente sente mais, serve como um alerta contra a violência atual da vida seja onde for": a msm nos foi enviada por Pedro Peres, de Ribeirão Preto (SP), analista de sistemas.

    ResponderExcluir
  6. "Seja judeu ou palestino, negro ou branco, corinthiano ou palestrino, o ser humano está numa fase péssima por causa da violência": é a mensagem de Dirceu Pereira Alves, de Pirassununga (SP), ele que trabalha no meio rural com Topografia,

    ResponderExcluir
  7. "Minha família tem ancestrais judeus, são cristãos novos, e recentemente contatamos parentes que têm ligação com a comunidade em Israel, eles nos informaram que até o povo judaico é contra a violência em geral e em especial contra os palestinos, os povos se entendem independente dos governos e de outros interesses que os submetem lá": a mensagem foi enviada por Isaias Moreira, que mora em São Paulo (SP) e assistiu palestra sobre este tema num clube israelita.

    ResponderExcluir

Translation

translation