segunda-feira, 10 de agosto de 2015

A INTERNET (E O FACEBOOK TAMBÉM) AVANÇAM APESAR DE ALGUNS DESAFIOS E PROBLEMAS QUE AINDA EXISTEM NA WEB

Quase 60% da população brasileira têm acesso à Internet: relatório da Cepal mostra avanço da webmídia no país embora menor do que acontece em países vizinhos

O Brasil está atrás de outros países sul-americanos, como Chile, Argentina e Uruguai, mas se destaca por liderar o mercado 3G e 4G na região da América Latina e Caribe, fatores porém como a velocidade e a latência das conexões ainda preocupam. E há os desafios próprios da cultura digital, bem como alguns problemas políticos. O ex-Presidente Lula chegou a pedir o fechamento do Facebook por esta rede social permitir a continuidade de uma página que pede a sua morte. Mas em geral, o Face vem conseguindo significar para a maioria da população um meio de se comunicar rápido e econômico, até tendo liberdade de informação. "Há uma relativa liberdade se a gente comparar a web com a grande mídia no país e no planeta", comenta por aqui no blog da ecologia e da cidadania Folha Verde News o nosso editor Antônio de Pádua Padinha, postando aqui um resumo dos dados do novo relatório “La nueva revolución digital: de la Internet del consumo a la Internet de la producción” (A nova revolução digital: da Internet do consumo à Internet da produção) que foi enviado por e-mail para a gente pela UNIC que presta assessoria de comunicação à ONU. O Relatório da Cepal  mostra que o Chile é o país com a maior parcela da população com acesso à Internet na região da América Latina e Caribe, mais de 70% de sua população conectada. O Brasil (cerca de 58%) ocupa a quarta posição apenas um pouco à frente da Venezuela (cerca de 57%).De acordo com este novo relatório da Comissão Econômica para a América Latina e o Caribe (CEPAL), cerca de 58% da população brasileira têm acesso à internet, segundo dados mais recentes. Em 2006 esse número não chegava a 30%. Entretanto, a porcentagem é menor que outros vizinhos sul-americanos como Chile, Argentina e Uruguai. O estudo também mostra o impacto econômico das tecnologias digitais no crescimento do PIB dos países. Entre 2005 e 2010, a Internet representou entre 0,5% e 5,4% do Produto Interno Bruto nos países que estão em desenvolvimento e entre 1,7% e 6,3% na maioria das economias mais avançadas. Em nosso país, a contribuição é o poder de webconsumo é inferior a 2%, enquanto na Suécia – que lidera o ranking – chega a quase 7%. O relatório também aponta que, em 2014, 14,9% do acesso à Internet na região foi realizado por dispositivos diferentes do computador pessoal. Já entre maio de 2013 e maio de 2014, o acesso através do computador caiu de 92,8% para 85,1%, enquanto o acesso através de celulares aumentou de 5,2% para 12%, sendo que esta tendência está crescente. No mesmo período, na Argentina, Brasil, Chile e México, o acesso à Internet através de dispositivos móveis chegou a aumentar 100% ou mais.

Números e dados mostram crescimento brasileiro na web e bandas largas....

...mas na cultura digital e no consumo da Internet ainda há problemas

O Brasil tem a maior proporção de conexões 3G e de 4G na região, com um total de 133 milhões alcançados ainda em 2014 e a cobertura de 92% da população. Isso reflete uma muito rápida implantação das redes de tecnologia e um forte impulso na adoção de smartphones, que totalizaram 90 milhões de unidades. O Brasil é o quinto maior mercado de smartphones no mundo e também lidera o número de conexões da tecnologia 4G: 4,6 milhões. Segundo a Cepal, o aproveitamento das novas tecnologias implica melhorar sensivelmente as condições de acesso, em particular a velocidade e a latência. A maioria das aplicações avançadas requer larguras de banda entre 38 e 74 Mbps, ainda que alguns usos sejam menos exigentes, como por exemplo, os vinculados a outras tarefas como a preparação para emergências e para a segurança. Outros temas como mudanças de comportamento, aumento da violência e outros problemas na cultura digital e na realidade da Internet no país e no planeta devem ser objeto de um outro levantamento através da Organização das Nações Unidas
O novo Relatório da Cepal traz mais informações agora

As redes sociais são uma dos temas preferidos das charges e cartuns...

Fontes: www.onu.org.br
              www.folhaverdenews.com 

8 comentários:

  1. Logo mais estaremos postando aqui nessa pauta de importância hoje em dia mais informações e comentários. Aguarde e participe.

    ResponderExcluir
  2. Entre aqui nesta seção com o seu comentário ou envie a sua mensagem por e-mail para a redação do nosso blog navepad@netsite.com.br e/ou mande direto seu e-mail pro nosso editor padinhafranca@gmail.com

    ResponderExcluir
  3. "Bom que esteja havendo um avanço nas bandas e no acesso geral da população à web, isso é uma esperança também de se ampliar no país a liberdade de informação": é a mensagem que já nos enviou Tereza Santos, de Curitiba (Paraná) que mantém um blog sobre cultura digital.

    ResponderExcluir
  4. "A desigualdade social, infelizmente, também tem vez no mundo digital: entre os 10% mais pobres, apenas 0,6% tem acesso à Internet; entre os 10% mais ricos esse número é de 56,3%. Somente 13,3% dos negros usam a Internet, mais de duas vezes menos que os de raça branca (28,3%). Os índices de acesso à Internet das Regiões Sul (25,6%) e Sudeste (26,6%) constrastam com os das Regiões Norte (12%) e Nordeste (11,9%)": quem nos enviou estes dados foi Elenice Moreira, de Campinas (SP), que atua na área de Tecnologia da Informação.

    ResponderExcluir
  5. "O número de usuários de computador dobrou até 2012, chegando a 2 bilhões. A cada dia, 500 mil pessoas entram pela primeira vez na Internet e são publicados 200 milhões de posts. A cada minuto 48 horas de vídeo são disponibilizadas no YouTube. E a cada segundo um novo blog é criado no mundo": são ainda dados da especialista Elenice Moreira para o nosso blog, ela que por sinal é também blogueira no Post Web.

    ResponderExcluir
  6. "Vejo alguns pontos contraditórios nestas informações da Cepal da ONU, levando em conta o que diz, por exemplo, o Ibope Media, que somos 105 milhões de internautas tupiniquins desde 2013, sendo o Brasil o 5º país mais conectado. Em 2015, o Brasil deverá ser o 4º país mais conectado, ultrapassando o Japão, de acordo com a Fecomércio-RJ/Ipsos, que diz também que o percentual de brasileiros conectados à Internet aumenta mais do que em outros países. Mas mesmo assim, vejo muitas coisas positivas neste levantamento": quem comenta é José Luiz Pereira Borges, de São Paulo (SP), empresário no setor de Informática.

    ResponderExcluir
  7. "No Brasil, pelos dados que tenho, 57,2 milhões de usuários acessam regularmente a Internet, 38% das pessoas acessam diariamente, 10% de quatro a seis vezes por semana, 21% de duas a três vezes por semana, 18% uma vez por semana. Assim, 87% dos internautas brasileiros entram na Internet pelo menos uma vez por semana, tomara que 1% deste povo entre nesse blog Folha Verde sempre com coisas interessantes e sempre positivo": agradecemos as informações e o elogio que faz a nosso blog Maria Mendes Silva, que trabalha na área de telefonia em São Paulo e em cidades do interior paulista.

    ResponderExcluir
  8. "Nesse setor da Internet há muitas controvérsias, dados que se contradizem e isso porque é uma realidade nova, a web já disputa pau a pau com o rádio e a TV como o meio de comunicação de maior alcance, mas por interesse de uns e outros, falam que ela é a terceira força": o comentário é de Rafael Matias, que é do interior de Minas e estuda em BH na UFMG.

    ResponderExcluir

Translation

translation