sexta-feira, 14 de agosto de 2015

HÁ MAIS DO QUE AVIÕES E QUE ESTRELAS NO CÉU SEM SER OVNI OU LIXO ESPACIAL

Fotógrafo foi registrar chuva de meteoros e acabou mostrando em seu selfie feito em floresta da Holanda uma imagem linda e rara da Estação Espacial Internacional (ISS) em movimento 


Aqui o fotografo de arte (e de sorte), Albert Dros
Pela primeira vez se registra a Estação Espacial vista da Terra e não do espaço como nesta foto

Albert Dros
O fotógrafo alemão Albert Dros é o primeiro a conseguir documentar caminho  noturno da ISS






Fenômeno visível uma vez por ano daqui da Terra, a chuva de meteoros Perseidas teve seu pico de visibilidade na Europa há duas noites atrás. Planejando usar o fenômeno como cenário para um ensaio fotográfico, o fotógrafo alemão Albert Dros acabou também registrando a Estação Espacial Internacional em uma selfie bem diferente. Inspirado em fotógrafos especializados em registrar a Via Láctea à noite, que normalmente se posicionam em locais com grande visibilidade como Austrália e Nova Zelândia, Dros arriscou fazer fotos noturnas nos Países Baixos, onde a visibilidade não é assim tão grande, mas suficiente para um belo registro do céu. O fotógrafo escolheu um local chamado Kootwijerzand, uma floresta repleta de paisagens fantásticas e com uma vista limpa do céu. Segundo ele, até foi possível ver a Via Láctea no céu a olho nu. A imagem foi capturada pelas lentes de Albert Dros, onde podemos ver o profissional posando em frente à Via Láctea, à chuva de meteoros Perseida e à Estação Espacial Internacional.  




Albert Dros
 Dros afirma que foi sem querer que conseguiu esta imagem que entra na história da fotografia




Enquanto fotografava, Albert notou uma "estrela" lentamente se movendo, desaparecendo em seguida. A tal estrela era, na verdade, a Estação Espacial Internacional, localizada a cerca de 400 km de distância da Terra. A informação foi posteriormente confirmada por astrônomos contatados pelo artista e a informação EXIF da foto revela que a posição exata da "estrela" é a mesma da localização da ISS. Assim, o fotógrafo sortudo conseguiu fazer um auto retrato com a Via Láctea, a chuva de meteoros Perseida e a Estação Espacial Internacional ao fundo.  O tempo de exposição necessário para o registro incrível foi de apenas 20 segundos, usando uma Sony A7II equipada com uma lente Samyang 14mm f2.8. As configurações utilizadas para conseguir a exposição perfeita foram f/2.8 de abertura e ISO 3200. "Um flash que entra na história da fotografia, que é uma cultura essencial atualmente na civilização da imagem", comenta em nosso blog Folha Verde News o nosso editor, o ecologista e repórter Padinha, sempre documentando variados lances da luta cult, hoje, este avanço na era da imagem, conseguido por um fotógrafo de arte. E de sorte. 


FontesPetapixel
              www.canaltech.com.br
              www.yahoo.com.br
              www.folhaverdenews.com

9 comentários:

  1. Recebemos esta postagem de hoje via Canaltech e entendemos este trabalho fotográfico como um furo de reportagem.

    ResponderExcluir
  2. "No céu há mais do aviões, estrelas, OVNIs ou discos voadores, há também o lixo espacial, mas este blog tem razão ao valorizar esta foto da ISS, por ser a primeira foto deste marco da nossa era, o ser humano saindo pro espaço": o comentário é de Geraldo Chaves, professor de Matemática e de Física na rede pública e particular, na região de São José dos Campos (SP).

    ResponderExcluir
  3. É grande o interesse sobre a ISS, existe até o serviço “Veja a Estação Espacial” (Spot the Station) da NASA. A Estação Espacial marca a presença humana contínua fora dos limites da Terra, o projeto tem como objetivo ajudar as pessoas a ver o laboratório mamute orbitando a uma altura de 325 quilômetros acima da Terra. Foi esta a motivação da foto feita por Albert Dros.

    ResponderExcluir
  4. Logo mais estaremos postando aqui mais informações e alguns comentários: aguarde e participe, coloque aqui a sua mensagem sobre esta foto ou sobre a ISS ou sobre a civilização da imagem ou a era espacial.

    ResponderExcluir
  5. Você pode mandar a sua mensagem também para a redação do nosso blog navepad@netsite.com.br e/ou enviar seu e-mail direto pro nosso editor padinhafranca@gmail.com

    ResponderExcluir
  6. “É realmente notável ver a estação espacial voando acima da sua cabeça e perceber que os humanos construíram um complexo orbital que pode ser visto da Terra por quase qualquer pessoa que esteja olhando no momento certo”, disse William Gerstenmaier, administrador associado da Nasa para explorações e operações humanas, ao elogiar a foto rara de Albert Dros.

    ResponderExcluir
  7. A ISS é o maior posto humano de alta tecnologia no espaço, desde 2000 tem sido uma casa longe de casa para os astronautas a bordo, que vivem em um ambiente de gravidade reduzida e trabalham em experimentos de biologia, física e astronomia que não poderiam ser realizados na Terra. E lá eles estão realizando pesquisas na estação espacial que estão ajudando a melhorar a vida aqui na Terra, além de pavimentar o caminho do homem para a futura exploração das profundezas do espaço. Todo este conteúdo valoriza a foto de Albert Dros.

    ResponderExcluir
  8. "O espaço-laboratório (ISS) é aproximadamente do tamanho de um campo de futebol e geralmente pode ser visto ao amanhecer e ao anoitecer. É o objeto mais brilhante no céu à noite que não seja a Lua, e se assemelha a um avião em movimento rápido": é o que nos explica Maria Lúcia Ferrari, que pretende se espacializar em Astrofísica na USP.

    ResponderExcluir
  9. "Essa foto de Albert Dros me fez pensar não que a gente esteja vivendo o apocalipse da humanidade mas sim que estamos na pré história duma era em que o homem vai interagir com a vida espacial e cósmica": quem comenta é Paulo Benetti, artista plástico que diz curtir " imagens que fogem do dia a dia da gente e nos ligam ao Universo".

    ResponderExcluir

Translation

translation