quinta-feira, 27 de agosto de 2015

JORNALISTA BRASILEIRO CRIA COM SUCESSO CANAL MUNDIAL PARA EXIBIR VIDEOS DE MÚSICOS DE RUA

Agora você já tem onde postar e divulgar gravação de algum talento que surpreende tocando na rua



Foi gravando este músico tocar abandura (violão com 55 cordas tipico da Ucrânia) que nasceu o StreetMusicaMap



Falamos por telefone com o jornalista gaúcho Daniel Bacchieri, que contatos visitando o site que ele criou para divulgar músicos de rua de todo o mundo: www.streetmusicmap.com Em resumo, ele confirmou ao nosso blog que "a motivação inicial tive pela emoção de ver tantos talentos sem chance e que não imaginava que o canal na web faria tanto sucesso". A BBC que fez uma reportagem especial com este produtor cultural brasileiro resumiu a sua história: há dois anos, durante uma viagem à capital da Ucrânia, Kiev, o jornalista ficou encantado com o som de um instrumento que nunca tinha ouvido. Era uma abandura, uma espécie de violão com 55 cordas tradicional daquele país. Quem a tocava era um músico de rua. Bacchieri gravou a cena por meio da então recém-lançada função vídeo do aplicativo Instragram. Quando voltou ao Brasil, concretizou o projeto de criar um canal que reunisse registros amadores de apresentações musicais de rua do mundo todo. Foi assim que, semanas depois, nasceu o StreetMusicMap. Inicialmente, Daniel conta que usava sua própria conta no Instagram para divulgar o conteúdo. Com o boca a boca ─ e a ajuda primordial das redes sociais na Internet, tornou-se um mapa colaborativo, em que os usuários registram em vídeo as performances e situam geograficamente onde elas ocorreram. "Inicialmente, o canal só tinha vídeos de músicos de rua que eu havia filmado, mas logo se tornou colaborativo porque amigos de amigos de amigos também começaram a enviar vídeos que haviam captado em diferentes cidades daqui e de vários países". Daniel Bacchieri pede às pessoas que, ao enviarem seus vídeos de músicos de rua, identifiquem o local da apresentação: "O grande barato dos internautas é geolocalizar assas apresentações". Como editor do seu webespaço, cabe a ele mesmo filtrar quais vídeos serão exibidos no site e nas redes sociais (Instagram e Facebook) ligadas ao canal. Atualmente, segundo ele, são mais de 800 registros, feitos por mais de 600 colaboradores de 80 países diferentes: "O lado bacana da plataforma é que nessa vida maluca que a gente vive, os 15 segundos do vídeo são suficientes para prender a atenção da pessoa e provocar interesse dela clicar em outros vídeos de 15 segundos de outros músicos". O jornalista brasileiro e gaúcho leva adiante um ditado dos tempo dos hippies e da cultura underground: seja onde for, cada vez mais com a tecnologia de hoje o palco pode ser em qualquer rua e a audiência pode estar em qualquer lugar do mundo, longe daqui ou aqui mesmo... 



Uma apresentação do Canal feita em São paulo onde vive agora o seu criador jornalista Daniel Bacchieri


Caso você enviar algum vídeo indique a geolocalização, o lugar onde encontrou o músico tocando


BBC avalia que o StrettMusicMap está dando visibilidade e chance a talentos musicais da rua



Você pode acessar a time line deste canal no Facebook com/streetmusicmap

A divulgação dos vídeos dá maior visibilidade aos músicos de rua, aproximando-os do público, no caso, internautas, e também até das gravadoras. Um dos objetivos principais do projeto é servir de ponte entre os músicos, os produtores musicais e os amantes de música. O canal mundial facilita esse meio campo, "essa triangulação, oxigenando a curadoria dos festivais e ampliando a possibilidade de monetização desses artistas", relata a reportagem o principal site de jornalismo da Europa.  "O primeiro passo foi criar uma conta no Instagram, o segundo, geolocalizar cada um desses músicos e o terceiro, criar um site que tenha os vídeos e a localização desses artistas, agora o projeto evolui por sia próprio graças à tecnologia atual e à cultura digital. Quase 100% dos videos são captados por celular: "O smartphone é o nosso grande parceiro", reconhece Daniel Bacchieri. O seu canal mundial de música de rua sempre agradece a existência destes celulares, nos lugares mais distantes do mundo, é possível a conexão, a captação que depois é compartilhada para internautas de todo o planeta como uma informação que ele classifica como emocionante. O jovem jornalista digital Daniel resume o resultado com somente uma palavra: show. 

Fontes: BBC
             www.streetmusicmap.com

             www.folhaverdenews.com 

8 comentários:

  1. Repórter amiga me enviou material feito durante o Festival Path, onde ela conferiu de perto um projeto que já vinha acompanhando a um tempo pelo Instagram, o StreetMusicMap, que é um projeto colaborativo que reúne performances de músicos de ruas ao redor do mundo,hoje com m ais mais de 650 performances de artistas, filmados em 221 cidades de 75 países por 463 colaboradores. A gente agradece aqui à Ignês Kanaut.

    ResponderExcluir
  2. No Brasil o projeto é representado com mais de 140 vídeos, dos quais 60 filmados nas ruas de São Paulo. Graças a isso o StreetMusicMap ganhou um palco na Praça dos Omaguás em Pinheiros durante os dois dias do Festival Path e foi responsável por apresentar um lineup incrível de músicos de rua para os participantes do festival e também o público da praça, já que os shows faziam parte da programação gratuita do evento.

    ResponderExcluir
  3. O StreetMusicMap, tema de hoje em nosso blog, foi criado para ser um “line-up global” de músicos de rua e ganhou impulso quando o jornalista Daniel Bacchieri mudou-se para São Paulo, no segundo semestre de 2013. A passagem diária pelo metrô Consolação, na Avenida Paulista (um dos pontos de maior circulação de artistas de rua da cidade) foi o estímulo inicial para que ele começasse, então, a registrar novos músicos e, a partir daí, criar uma série com a hashtag #streetmusicmap – logo transformada em canal próprio no Instagram.

    ResponderExcluir
  4. Agora, com a divulgação causada por reportagem na BBC o lance tende a crescer mais ainda. Não demorou muito para que o StreetMusicMap se tornar um canal colaborativo onde os fãs e entusiastas colaboram diariamente enviando seus próprios registros de músicos de rua, o que vem ampliando e muito o caleidoscópico mosaico sonoro proposto pelo StreetMusicMap, com grande destaque, a propósito, para os músicos que se apresentam pelas ruas das mais diversas e remotas regiões do Brasi ou de qualquer outro país. "O StreetMusicMap integra os vídeos alimentados na conta no Instagram, que, por sua vez, são integralmente geolocalizados por meio do Google Maps. A página tem por objetivo ampliar o intercâmbio entre músicos, fãs e amantes de música em geral e, também, transformar-se num veículo de comunicação sobre o vasto panorama mundial dos músicos de rua", explica um fã deste canal de música de rua, Isaías Medeiros, do Rio de Janeiro (RJ) que se define como pagodeiro profissional.

    ResponderExcluir
  5. Mande vc tb a sua mensagem, comentário ou opinião entrando aqui nesta seção do blog ou enviando seu e-mail p/ nossa redação navepad@netsite.com.br e/ou direto pro nosso editor de conteúdo aqui no blog padinhafranca@gmail.com

    ResponderExcluir
  6. "Ducaramba o StreetMusicMap, se eu fosse diretor de alguma TV colocaria tudo no ar": é a mensagem de Valdir Zaqui, formado em Sociologia e que atua como empresário de Informática na região de Campinas (SP).

    ResponderExcluir
  7. "Este jornalista gaúcho Daniel está sabendo aproveitar bem os recursos da era digital, mostra que há muito a se mudar e se conquistar também na área cultural": o comentário é de João José Souza Mendes, de Piracicaba (SP), que atua como compositor de músicas sertanejas, mantendo uma loja de tecidos em Taubaté (SP).

    ResponderExcluir
  8. "Está correto o jornalista Daniel de abrir este espaço de músicos de rua na web, aqui no Rio em cada esquina, de dia e de noite, a gente cruza com algum talento, nem todos tocam bem mas vale a iniciativa": a opinião nos foi enviada por e-mail por Janaína Ribeiro Costa, estudante, Rio de Janeiro (RJ).

    ResponderExcluir

Translation

translation