quarta-feira, 19 de agosto de 2015

MEIO AMBIENTE, CLIMA E ENERGIA NA PAUTA DA VISITA DE ANGELA MERKEL AO BRASIL AGORA

A Alemanha quer debater com o Brasil o ambiente e o clima além de buscar uma aproximação entre os dois países em inovação tecnológica: ela poderá investir mais em infraestrutura aqui


Arte sobre a visita feita por brasileiros de Santa Catarina descendentes de alemães

Uma reportagem de Paul Carrel foi realizada em Berlim para a agência de notícias Reuters sobre os objetivos da visita da chanceler alemã Angela Merkel que começa oficialmente hoje:  ela vai pressionar o Brasil nesta semana para garantir melhores condições de investimentos para empresas alemãs que colocaram 19 bilhões de euros na economia brasileira e reclamam da alta nos custos de energia, explicaram autoridades do governo alemão nesta matéria. Merkel chega à Brasília na quarta-feira e fica no país até sexta-feira, está  aqui acompanhada de uma delegação que inclui representantes de 11 departamentos do governo e de grandes empresas da Alemanha. Nenhum grande acordo empresarial deve ser anunciado durante a visita agora, mas o cenário para os investimentos deverá ser um dos principais itens da agenda para os alemães, que têm 1.300 empresas ativas no Brasil, onde a economia está em recessão na visão alemã: "Acho no geral que o astral para investimentos poderá até vir a ser melhorado para torná-lo mais atrativo para investimentos alemães", disse uma importante assessora de Angela Merkel envolvida na agenda desta viagem, que é a quarta desta chanceler ao nosso país. Ela chegou a ver a economia brasileira como "um motivo para preocupação", mas acrescentou: "O Brasil é um parceiro importante com o potencial de muitos acordos, projetos e avanços". Entre os avanços, as autoridades alemãs esperam trabalhar com representantes oficiais do Brasil para encontrar consenso sobre políticas públicas e programas sobre o clima, o meio ambiente e o desenvolvimento sustentável, desde já, bem antes da conferência mundial da Organização das Nações Unidas (ONU) em dezembro na França, quando em Paris cerca de 200 países buscarão um acordo para limitar o aumento da temperatura global e uma forma de resgatar a ecologia do planeta sem prejudicar a economia, o que resume a busca da sustentabilidade para os alemães, que esperam assinar nestes dias acordos conjuntos com o governo brasileiro sobre mudanças que possam reequilibrar o clima, bem como estabelecer uma cooperação Alemanha-Brasil também no setor de projetos de inovação tecnológica, incluindo as áreas de meio ambiente e de energia. Na agenda, também eventuais investimentos em infraestrutura no Brasil e a questão do Conselho da Segurança da ONU, entre outros temas da pauta desta visita bastante rápida para tantos assuntos de grande importância.


1º lugar no ranking da revista Forbes (mulheres mais poderosas do mundo) pela 8ª vez... 

Angela Merkel se encontra com Dilma Rousseff em crise no Brasil











A natureza e o meio ambiente podem aliviar a tensão do encontro com agenda intensa


Fontes: www.br.reuters.com
             www.folhaverdenews.com


10 comentários:

  1. Nosso blog está assim hoje adiantando alguns pontos da agenda de Angela Merkel no Brasil, à frente de muitos espaços da grande mídia. Alguns críticos da atuação desta chanceler na Europa chegam a acusá-la de "atitudes nazistas", mas há também avaliações que a colocam como uma pessoa de posições firmes e honestas, o que interessa agora é a gente estimular os avanços potenciais desta sua visita ao nosso país.

    ResponderExcluir
  2. Na agenda de Merkel, que fica menos de 24 horas no Brasil, segundo a Folha de S.Paulo, estão conversas sobre as mudanças climáticas e o papel das potências e dos outros países no cumprimento das metas, o que pode ajudar um avanço ambiental em nível planetário.

    ResponderExcluir
  3. De acordo com o site G1, Dilma Rousseff deve apresentar à comitiva alemã - composta por Merkel e por mais dez ministros - o plano de concessões em infraestrutura, para motivar empresas alemães a participarem das obras. Desde 2012, a Alemanha é o principal parceiro do Brasil na Europa. É também o quarto parceiro comercial do Brasil no mundo - atrás da China, dos EUA e da Argentina.

    ResponderExcluir
  4. De acordo com o porta-voz do governo alemão, Steffen Seibert, a visita expressa um desejo de ambos os países de desenvolverem uma cooperação mais estreita de longo prazo em áreas como a tecnologia, ciência e meio-ambiente. A questão da privacidade na internet também deve ser tema do encontro entre as duas mandatárias. Tanto Merkel quanto Dilma tiveram comunicações espionadas pelos Estados Unidos.

    ResponderExcluir
  5. Logo mais, mais informações por aqui sobre este evento e seu alcance diante dos problemas brasileiros de agora: entre nesta seção e deixe o seu comentário ou mande a sua opinião para a redação do nosso blog através do e-mail navepad@netsite.com.br e/ou envie sua mensagem direto para o nosso editor padinhafranca@gmail.com

    ResponderExcluir
  6. "Se Angela Merkel avançar a metade da pauta que está aqui neste blog já será bom demais para o Brasil, mas duvido que consiga, de toda forma, é importante esta página independente adiantar a agenda da visita": quem comenta é Geraldo Mendes, empresário na área de tecnologia em São Paulo: ele diz que procurou no Google notícias sobre Merkel no Brasil e encontrou este post do Folha Verde News com mais informações do que muitos sites.

    ResponderExcluir
  7. " Verdes alemães fazem parte da coligação social democrata liderada por Angela Merkel, ela pode até ser meio durona mas não é Hitler, mesmo porque ama a natureza, que felizmente é o seu fraco": o comentário é de Salvador Mathias, ligado ao PV em São Paulo (SP) e técnico de som.

    ResponderExcluir
  8. "O Brasil é o 6º consumidor mundial de tecnologia e quer se afirmar como polo de inovação, tem que aproveitar e avançar isso com a visita de Angela Merkel, que veio defender os investimentos de empresas alemãs já feitos e que poderão aumentar aqui, caso o preço da energia melhore: ela defende uma agenda de meio ambiente capaz de ajudar a recuperação da ecologia no planeta, isso, por conta de pedidos feitos pelos Verdes do seu próprio país": é a informação e comentário a nós enviado por Gabriela Cesar, de Campinas (SP), ligada à Unicamp.

    ResponderExcluir
  9. "Parabéns a este blog de ecologia, não dá para entender o pouco espaço da mídia brasileira a este evento Alemanha-Brasil de tanta importância em variadas áreas, a bem da economia, da ecologia, de nosso país. Os dois países têm interesses comuns em diversas áreas, como meio ambiente, reforma do Conselho de Segurança da ONU, privacidade da Internet, ciência e tecnologia, direitos humanos e investimentos em infraestrutura": o comentário é de Silas Saldanha, de São Paulo (SP), empresário que está em Brasília para acompanhar as negociações bilaterais: "A abertura para produtos do Mercosul na Europa é algo fora do comum".

    ResponderExcluir
  10. "Aqui em Brasília fui informado pela Rádio Nacional da Amazônia que o texto divulgado pela presidente Dilma Rousseff e a chanceler da Alemanha, Angela Merkel, inclui o compromisso com a descarbonização da economia até o fim deste século, o que significa reduções drásticas de emissões de gases de efeito estufa por meio de cortes significativos no uso de combustíveis fósseis. Espero que a alternativa sejam as energias limpas como a Solar e a Eólica": quem nos envia a informação é Paulo Pedro Miranda, que está nestes dias no Distrito Federal para trabalhos em sua área de publicidade empresarial.

    ResponderExcluir

Translation

translation