sábado, 26 de setembro de 2015

AGORA PODE SER QUE OS PAÍSES ACORDEM PARA O URGENTE DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL DOS PAÍSES E DO PLANETA

ONU adota no encontro em Nova Iorque metas de uma economia mais ecológica para os próximos 15 anos em toda a Terra


Uma nova agenda global para acabar com a pobreza até 2030 e buscar um futuro sustentável para todos foi adotada, nesta sexta-feira agora, por unanimidade, pelos 193 Estados-membros das Nações Unidas, no início da Cúpula da ONU sobre o Desenvolvimento Sustentável 2015. Eles aprovaram formalmente os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável – 17 grandes metas que guiarão os próximos 15 anos na luta global contra a pobreza e as desigualdades, além dos desequilíbrios socioambientais. O processo de construção dessa meta nosso editor aqui do blog Folha Verde News, o repórter e ecologista Antônio de Pádua Padinha viu acontecer ao vivo, pois começou em 2012, na conferência Rio+20, onde ele estava fazendo um documentário sobre Não-ViolênciaA agenda compromete todos os países a tomarem uma série de ações que não somente atacam as causas profundas da pobreza, mas também pretendem aumentar o crescimento econômico e a prosperidade, além de abranger problemas ligados à saúde, educação e necessidades sociais das pessoas e, ao mesmo tempo, proteger a ecologia do meio ambiente. Equilibrar os interesses econômicos com os ecológicos é o caminho que leva à sustentabilidade. Durante a cerimônia de abertura da Cúpula, o secretário-geral das Nações Unidas, Ban Ki-moon, disse que "a nova agenda é uma visão universal, integrada e de transformação para um mundo melhor. Os 17 Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) são o nosso guia. Eles são uma lista de coisas a fazer para as pessoas e o planeta, e um plano para o sucesso", disse o secretário-geral, segundo comunicado sendo divulgado neste fim de semana. A adoção oficial da agenda aconteceu logo depois que o Papa Francisco se dirigiu à Assembleia Geral da ONU. Um alto astral tomou conta dos chefes de estado e demais representantes dos 193 países que estavam ali em Nova Iorque.


193 país membros da ONU aceitaram a meta de 15 anos por unanimidade

No sentido do Desenvolvimento Sustentável esta assembléia de 2015 em NY é histórica



A mensagem humanitária e ecológica do Papa Francisco motivou os países, disse Ban Ki-moon


A nova agenda de desenvolvimento sustentável substitui os Objetivos do Milênio, cujo ciclo se fecha este ano com algum sucesso em áreas como a redução da extrema pobreza, mas longe de cumprir outras metas e incapazes de conter a desigualdade no mundo. Os 17 objetivos de Desenvolvimento Sustentável incluem 169 metas concretas, cujo cumprimento será medido por 300 indicadores elaborados pela ONU. Os compromissos, negociados durante anos, afetam tanto os países ricos como os pobres e têm como eixo central a erradicação da pobreza extrema. O plano estabelece especificamente a meta de acabar até 2030 com a pobreza mais grave, onde estão todos que vivem com menos de US$ 1,25 ao dia, e a de reduzir pela metade o número de pessoas pobres, medida em função das definições aplicadas por cada país. A nova agenda se aprofundará também em outras áreas que registraram grandes progressos nos últimos anos, como a educação, a saúde e a luta contra a fome. Entre os objetivos está conseguir que em 15 anos chegue o fim da desnutrição, o acesso universal a alimentos suficientes, e que todas as crianças completem os estudos primários e secundários.  Também há metas ambiciosas para reduzir a mortalidade materna e infantil, acabar com a epidemia da Aids e facilitar a todos o acesso a serviços de saúde sexual e reprodutiva. Mas a nova estratégia procura responder também àquelas áreas em que os Objetivos do Milênio fracassaram, começando pelo problema da desigualdade e entrando pelas questões do meio ambiente. chegando também ao drama de todos, a violência da atualidade.


Só um desenvolvimento de verdade pode erradicar a pobreza que atinge muita gente ainda no planeta

Recursos naturais, como florestas e água, garantem a sustentabilidade


Nos bastidores da Assembléia da ONU, a Presidente do Brasil dialogou de novo com Ângela Merkel


Fontes: www.ambientebrtasil.com.br
              BBC
              G1
              www.folhaverdenews.com


9 comentários:

  1. É a boa notícia vindo de Nova Iorque nesta virada de semana, realmente, metas objetivas para implantar uma economia verde nos países podem provocar uma virada sustentável em todo país e no planeta.

    ResponderExcluir
  2. Esperamos que estes objetivos maiores da ONU, acordados por todos os 193 representantes dos países que estavam na Assembléia Geral da ONU em Nova Iorque, sejam efetivados, também por aqui em nosso país, em todo o lugar do mundo isso é uma urgência.

    ResponderExcluir
  3. Logo mais estaremos postando aqui nesta seção de comentários mais informações sobre ONU, desenvolvimento sustentável, metas para os próximos 15 anos, posição do Brasil, inclusive. Aguarde e participe de nossa edição de comentários.

    ResponderExcluir
  4. Você pode entrar aqui nesta seção e postar a sua mensagem desde já ou então enviar um e-mail para a redação do blog navepad@netsite.com.br e/ou mandar direto pro editor de conteúdo desta página de ecologia e de cidadania padinhafranca@gmail.com

    ResponderExcluir
  5. "A mensagem do Papa Francisco foi realmente motivadora e agora que muito mais gente está entendendo que desenvolvimento sustentável inclui o lado humanitário, social, creio que que o avanço de uma harmonia entre a economia e a ecologia fique mais viável": o comentário foi postado aqui por Eduardo Morais Santos, de Salvador, que passou pela Universidade Federal da Bahia e trabalha lá com educação socioambiental.

    ResponderExcluir
  6. "Muito importante mesmo esta questão do desenvolvimento sustentável, mas vale lembrar que na ONU Dilma vem defendendo um Conselho de Segurança mais representativo. Líderes do G4, Brasil, Alemanha, Índia e Japão divulgaram comunicado nesse sentido": José Antônio Salles, de Gaurujá (SP), atua no setor de turismo.


    ResponderExcluir
  7. "As conversas entre Angela Merkel, chanceler da Alemanha, com a presidente do Brasil, que tem sido visto juntas nos bastidores da Assembléia da ONU nos States, espero que não sejam só discussão sobre o poder ou o Conselho de Segurança, as duas precisam concretizar as parcerias ensaiadas há um mês em vários setores": Maria dos Santos Ribeiro é economista e atua em São Paulo (SP).

    ResponderExcluir
  8. "Segundo vi um site europeu, o Papa no seu discurso pronunciado em espanhol diante da Assembleia Geral, antes do início da Cúpula Mundial sobre o Desenvolvimento Sustentável, que reúne durante três dias cerca de 150 chefes de Estado e de Governo, Francisco falou da pobreza de milhões de pessoas, os juros exorbitantes, o clima, a cultura do descarte, os direitos de todos, a educação, a liberdade religiosa. Um estímulo muito importante para mudanças em todos os países": a mensagem nos foi enviada de Curitiba, Paraná, pelo professor universitário Manoel Barreto.

    ResponderExcluir
  9. "Eu não vi a superlua em compensação vi uma boa notícia no site Opera Mundi, espero que ela se realize na prática. É que na ONU, presidente Dilma anuncia meta do Brasil de reduzir em 42% emissão de gases estufa até 2030. E mais: entre as medidas para atingir o objetivo, está garantir que 45% da rede de geração energética seja composta por energias renováveis, até 2030,. aí sim, creio que isso será um fator sustentável de desenvolvimento": o comentário é de Jairo Santos, do Rio de Janeiro (RJ) que trabalha no mercado imobiliário.

    ResponderExcluir

Translation

translation