domingo, 13 de setembro de 2015

FILMES DA AMÉRICA DO SUL OS MAIS PREMIADOS NO FESTIVAL DE CINEMA DE VENEZA 2015

Venezuela conquista o prêmio Leão de Ouro, Argentina o de Prata e o Brasil se destaca em mostra paralela com "Boi Neón" além de 5 mulheres premiadas em "Mate-me Por Favor"


A gente aqui do blog da ecologia e da cidadania Folha Verde News está sempre atento à luta cultural e devido a isso recebemos e-mail do jovem cineasta catarinense Leo Franco com esta notícia boa para a América Latina, confirmada depois com a relação completa e todos os dados do 72º Festival de Veneza em um post do site especializado adorocinema.  Lorenzo Vigas, diretor venezuelano, principal vencedor deste evento de muito prestígio cult na Europa, fez um filme sobre uma aventura gay, "Desde Allá", enquanto que "El Clan" (relato sobre a violência em Buenos Aires, nos anos 80) também foi premiado. Assim, uma produção cinematográfica da Venezuela e outra da Argentina dividiram os principais prêmios, o Leão de Ouro e o Leão de Prata. Na mostra paralela Orizzonti (os novos horizontes do cinema), vencida por "Free In Deed" (de Jake Mahaffy), o longa-metragem do Brasil, "Boi Neón" conseguiu o Prêmio Especial do Júri para o jovem cineasta Gabriel Mascaro, que conta a realidade e o sonho de um vaqueiro do sertão (ator Juliano Cazarré), um mestre da vaquejada que acaba virando um costureiro. Nada a ver com os temas políticos do tempo do Cinema Novo, no Festival de Veneza agora, o representante brasileiro entrou na onda das novas alternativas atuais de comportamento sexual, tema sempre polêmico e que domina o mundo fashion, mas um vaqueiro que vira costureiro é sempre um choque, seja no Nordeste, na Itália, onde for. Entre os curtas-metragens também chamou a atenção da mídia uma produção lá da Bahia, "Tarântula", dirigido em dupla por um jovem talento da Bahia com outro do Paraná (Aly Murityba e Marja Calafange). Cinco mulheres brasileiras também foram premiadas, no caso, as quatro atrizes Valetina Herszage, Marli Oliveira, Júlia Rolit e Dora Freind, num filme sobre assassinatos no Rio de Janeiro, "Mate-me Por Favor", da cineasta estreante e carioca Anita Rocha da Silveira, assassinatos que marcam a atualidade terrível da Cidade Maravilhosa. Confira na sequência aqui a relação dos principais premiados no 72º Festival de Veneza que desta vez abriu na Europa um caminho para as produções do Brasil através do cinema e de um canal cult de Veneza. Vamos lá que toda luta do nosso país e nosso continente precisa mesmo avançar.  (Antônio de Pádua Padinha, repórter, ecologista e editor deste blog).


Parte do elenco com o diretor do filme brasileiro premiado na Mostra Paralela em Veneza

Juliano Cazarré em "Boi Neón" é um vaqueiro do sertão que sonha virar...um costureiro

 

LEÃO DE OURO
Desde Allá

GRANDE PRÊMIO DO JÚRI
Anomalisa

MELHOR DIRETOR
Pablo Trapero (El Clan)

MELHOR ATOR
Fabrice Luchini (L'Hermine)

MELHOR ATRIZ
Valeria Golino (Per Amor Vostro)

PRÊMIO ESPECIAL DO JÚRI
Abluka

PRÊMIO MARCELLO MASTROIANNI DE REVELAÇÃO
Abraham Attah (Beasts of No Nation)

MELHOR FILME - MOSTRA ORIZZONTI
Free in Deed

MELHOR DIRETOR - MOSTRA ORIZZONTI
Jake Mahaffy (The Childhood of a Leader)

MELHOR ATOR - MOSTRA ORIZZONTI
Dominique Lebornein (Tempête)

PRÊMIO DO JÚRI - MOSTRA ORIZZONTI
Boi Neón

MELHOR CURTA-METRAGEM - MOSTRA ORIZZONTI
Belladonna, de Dubravka Turic


Fontes: www.adorocinema.com
            www.folhaverdenews.com

8 comentários:

  1. Logo mais estaremos postando aqui mais informações sobre o Festival de Veneza e os filmes da América Latina que foram bem lá: entre aqui e desde já coloque aqui a sua mensagem.

    ResponderExcluir
  2. Outra opção é você enviar mensagem para navepad@netsite.com.br para nossa redação e/ou mandar um e-mail direto pro editor de conteúdo do nosso blog padinhafranca@gmail.com

    ResponderExcluir
  3. "Importante que a mídia européia nesse festival de prestígio esteja abrindo os olhos para o cinema da América Latina", é parte do e-mail que nos enviou Leo Franco, de Florianópolis (SC), que nos deu a notícia do que rolou em Veneza. Obrigado, paz aí na luta cult.

    ResponderExcluir
  4. "Muito importante pro Brasil, ainda que sejam prêmios secundários, o Festival de Veneza é muito respeitado desde a época dos filmes de arte, mas vale também nestes tempos de cinema business": o comentário é de Helena Matta, de Belo Horizonte (Minas Gerais), que fez pesquisa sobre o Cinema Novo junto à UFMG.

    ResponderExcluir
  5. "Concordo com Leo Franco, a gente está aqui em Floripa sempre torcendo pela produção cultural brasileira, seja em que arte ou que país for, mas também tem a ver as críticas de que o cinema bussiness não tem muito espaço pros filmes políticos tipo Cinema Novo, é uma pena, eu acho que as novas linguagens e mensagens são ainda mais importantes agora nesse tempo de consumismo, até nos filmes do Brasil": é o comentário de Izabel Santos, de Santa Catarina, que recebeu em primeira mão a notícia da premiação de "Boi Neón", pela sua amizade com a equipe deste filme.

    ResponderExcluir
  6. "Que estes prêmios sirvam de estímulo a um avanço do cinema brasileiro e da América do Sul também, que salvo exceções, deixam muito a desejar pela qualidade, pelo conteúdo, pela forma": o comentário éde Jarbas Manoel, que atua em departamento de criação de agência publicitária em São Paulo e anos atrás realizou um curta-metragem.

    ResponderExcluir
  7. "Não basta só quantidade de filmes ou impacto no mercado, é preciso mais em nosso cinema": quem comenta é Ary Pedro Vieira, que se dedica à engenharia eletrônica mas se considera um cinemaníaco: ele é da Bahia e vive atualmente na região de Sorocaba (SP).

    ResponderExcluir
  8. "Parabenizo Gabriel Mascaro, o elenco e a equipe de Boi Neón, é superdifícil realizar um longa e ainda mais ser premiado na Europa, o cinema brasileiro carece de melhor estrutura, talentos têm": a opinião é de Flávio Antônio de Souza, professor de Matemática, que mora em Ribeirão Pires (SP).

    ResponderExcluir

Translation

translation