terça-feira, 22 de setembro de 2015

NO DIA MUNDIAL SEM CARRO POR AQUI HOMENAGEM A BETO PEREIRA (RADIALISTA E BIKER)

Sem poluição, com bicicleta, seja a pé, de carona solidária ou no transporte público e até de moto desde o ano 2000 em nosso país e em todo o planeta acontece nesta data luta contra a poluição do ar e a favor da mobilidade urbana




Por aqui em Franca (SP), ciclistas estão aproveitando o dia de luta para homenagear o radialista e também biker, Beto Pereira, que foi vítima recentemente da violência do nosso trânsito em transe, algo que também precisa avançar para melhor qualidade de vida de todas as pessoas: no caso do jornalista Beto Pereira(Rádio Imperador AM e editor do jornal de Patrocínio Paulista), dias trás ele foi derrubado próximo à rotatória da Vila Hípica por um caminhão que fez a curva em velocidade excessiva e o atingiu quando ele pedalava na mão e junto à guia da calçada. Graças a Deus e para a alegria de seus amigos e amigas que oram por ele (como sua esposa Lyla Jacintho), Beto está com chances de sair da UTI: ele não teve perda encefálica e foi socorrido imediatamente por um Bombeiro que atua no resgate, isso ajudou a salvar a sua vida. Apesar da perda de sangue e do traumatismo craniano que sofreu, para alegria da cidade e da região, que ele ajuda muito com suas reportagens no rádio e matérias no jornal, Beto Pereira poderá voltar ao seu trabalho: é a esperança de todos os que oram por ele e hoje, a expectativa dos bikers que esperam a boa notícia nesteDia Mundial Sem Carro por aqui no interior de São Paulo, onde a poluição do ar já chegou e o transe do trânsito já imita o problema da imobilidade e da violência urbana das grandes cidades.  

Em mais de 200 cidades do Brasil e em cerca de outras 1000 em todo o planeta rolaram manifestações de bikers

Beto Pereira, jornalista, radialista e biker da ecologia



















A gente se lembra nesta data de luta dos pedestres, do transporte coletivo sem condição, da poluição, da luta pelo ar puro e é claro, da querida magrela, a bicicleta, bem como das paradas de bike pela ecologia e na sequência, aí nos lembramos do Beto Pereira, acidentado dias atrás: que Deus o abençoe e salve para que assim não vigore mais uma vez a violência da cidade contra as asas de todos os bikers na liberdade de voar e de viver como os pássaros 

(Antônio de Pádua Padinha, editor deste blog, repórter, ecologista e também biker)




MOBILIDADE URBANA JÁ - Essa é uma luta desde 2000 em todo os países, a partir da Europa, para que melhore o transporte coletivo, seja mais econômico e menos poluente, a tecnologia dos carros e o tipo de combustível menos agressivo à saúde das pessoas e do ambiente: enfim, o Dia Mundial Sem Carro luta por uma realidade urbana mais ecológica. Mais ecológica e mais econômica, isto é, sustentável, ou seja, tudo o que não acontece nem aqui e quase em nenhuma cidade do Brasil. "Quem não consegue ir de bike nem arrumar uma carona solidária, pode ir a pé, que vale da mesma forma", comenta Leonardo Rodrigues Silva, estudante de Direito na Unifran (Universidade de Franca) que todos os dias tenta escapar do carro e usar a sua bike: neste dia, ele orientou nossa equipe sobre locais na cidade onde quem usa a bicicleta como lazer pode pedalar sem perigo, como no Loteamento Santa Luzia, entre o Parque Castelo (perto do clube Castelinho) e a Avenida Major Nicácio, uma das campeãs em todo tipo de acidentes, com ciclistas, pedestres, motoqueiros e motoristas. Em Franca (SP) com 400 mil habitantes, apesar das rampas e colinas no espaço urbano, topografia similar a das cidades de Minas Gerais, pelo menos 50% da população usa a bike, um dia ou mais vezes na semana ou como lazer ou como esporte ou para manter a forma e até como alternativa de transporte, nesta época de crise financeira que afeta também a maioria do povo, que trabalha em fábricas de calçados. Por sinal, um dos points negros do trânsito francano é o Distrito Industrial. Contando acidentes com ou sem vítimas fatais que ocorrem nessa cidade acontecem cerca de 15 ocorrências por semana com ciclistas. Há algumas poucas ciclovias mas muita falta de educação socioambiental dos motoristas, isso e mais os problemas de má condição do transporte coletivo, tudo colabora para a violência do trânsito em transe todos os dias: este é um conteúdo que dá sentido ao Dia Mundial Sem Carro, por aqui e em todo o mundo. Por aqui na região aconteceu uma bicicleata pela liberdade para os bikers nas ruas em São Carlos (SP).


E atenção, a Nova TV Franca na edição do seu jornal local às 19h mostra reportagem sobre o Dia Mundial Sem Carro e sobre Carona Solidária, que é uma outra opção de economizar no trânsito e de ecologizar a cidade por iniciativa da população e da cidadania diante da falta de gestão das autoridades públicas, locais, estaduais, nacionais e até...planetárias com felizes exceções em especial nas cidades do chamado 1º Mundo  





AQUI UMA CORREÇÃO E UM COMENTÁRIO QUE COMPLETA A INFORMAÇÃO



Em Campinas foi implantado um combustível para poluir menos a cidade...

...algo sustentável como em Amsterdan (Holanda) onde mais de 50% do povo usa bikes no transporte


Nesta entrevista aí em cima, que dei para a equipe 10 da Nova TV Franca sobre esta pauta aqui do nosso blog, cometi um erro de expressão, onde falei transporte urbano, queria falar transporte coletivo, que realmente precisa ser aprimorado, para dar uma opção mais econômica de locomoção à população e também, diminuindo a poluição e o volume de tráfego, ajudar a ecologia e a segurança no trânsito, em transe mesmo. A gente agradece ao Cássio Freires, Luiz Brasil, Thiago Câmera e toda equipe da Nova TV Franca pela divulgação da proposta do Dia Mundial Sem Carro, por aqui, e também da mensagem sobre a Carona Solidária, iniciativas que a cidadania precisa tomar diante da inação das autoridades públicas para avançar as condições gerais da mobilidade. Por exemplo, por que não fazer como Campinas? Lá existem mais microônibus que ocupam menor espaço que os grandes ônibus, com um detalhe, todos os veículos de transporte público naquela cidade usam biodiesel, para poluir menos. Não é algo impossível ou utopia, é viável melhorar a segurança e a saúde do ambiente e das pessoas em quaisquer cidades. Em alguns lugares do 1º Mundo, como em Amsterdan, a maioria dos cidadãos e cidadãs se locomovem com bicicletas. Havendo gestão, isso pode ser implantado em muitos locais do Brasil, ajudando a economia, a ecologia, a saúde ambiental e das pessoas, além da segurança da população. (Padinha)


Em vários lugares do mundo (também em Sampa e no Rio) ciclistas nus protestaram contra violência do trânsito
  

Fontes: www.novatvfranca.com.br
              www.folhaverdenews.com 


9 comentários:

  1. Logo + por aqui nesta seção de comentários + informações: aguarde a nossa edição, em breve.

    ResponderExcluir
  2. Participe desde já, poste aqui nesta seção a sua mensagem, sua opinião sobre esta pauta ou seu comentário sobre a situação enfocada nessa luta dos bikers e dos ecologistas.

    ResponderExcluir
  3. Outra opção é você enviar a sua mensagem para a equipe de redação do nosso blog de ecologia e cidadania via o e-mail navepad@netsite.com.br

    ResponderExcluir
  4. Há ainda outra alternativa + para você participar desta edição: mande a sua mensagem direto pro editor do nosso blog padinhafranca@gmail.com

    ResponderExcluir
  5. Depois, postaremos mais mensagens, aqui, a 1ª que chegou por aqui na nossa redação: "Ducaramba a iniciativa dos bikers de tudo quanto é lugar e por outro lado, nota 0 para as autoridades do trânsito e das cidades onde cada vez mais cresce a violência de todo tipo contra a população". Este comentário nos foi enviado por Alexandre Moreira, que é estudante de Tecnologia da Informação (Unesp de Bauru).

    ResponderExcluir
  6. "Seria perfeito se unissem as forças os dois movimentos de cidadania dos jovens, Tarifa Zero e Bikers, aí sim, poderia dar uma virada nessa realidade de violência urbana": o comentário é de Maria Lucca, que é do interior de São Paulo mas está em São cursando a ECA da USP.

    ResponderExcluir
  7. "Protesto nu é bom prá quem vê, dependendo também de quem vê, se for criança ou adolescente, pode pegar mal: de toda forma, funciona porque chocando ou não mobiliza as atenções gerais": o comentário é de Joelma Mattos sobre uma das fotos postadas em nosso blog nos protestos dos bikers contra a violência do trânsito em São Paulo.

    ResponderExcluir
  8. "Fui olhando o blog, os textos, as fotos, as informações e ao mesmo tempo com o clip rolando, achei a página cheia de vida, revelando bem esse movimento muito importante da cidadania, mobilidade urbana e liberdade pros ciclistas": o comentário (que agradecemos por sintetizar legal o nosso trabalho aqui no blog) é de Aurélio Magnani, filho de italianos que escolheu morar no Brasil, atualmente, pesquisando a arte culinária brasileira, que registra em video.

    ResponderExcluir
  9. "Concordo com a fala do Padinha, já que as autoridades das cidades não tomam medidas estruturais, a população, a cidadania têm que tomar iniciativas como essa campanha dum dia sem carro": o comentário, a que agradecemos, é de Isabel marques, de Franca (SP), que atua na área de educação em escola privada.

    ResponderExcluir

Translation

translation