sábado, 12 de setembro de 2015

POR AQUI EM TODA A REGIÃO DO CERRADO ESTÃO 80% DAS ÁGUAS DO BRASIL




Ecologista da Fundação Mais Cerrado defende mais informações e um maior diálogo sobre nossos recursos naturais

 



80% dos recursos hídricos do Brasil se encontram no Cerrado, no interior do país


Em tempos de busca do desenvolvimento sustentável (equilibrando os interesses econômicos com os ecológicos),  necessidade de soluções para as mudanças climáticas e de pressão para a produção de mais alimentos, uma maior informação sobre estes assunto com a abertura de diálogo entre os diversos setores produtivos e de conservação é a melhor forma de promover nova realidade no Cerrado. Esta é a posição defendida pelo ambientalista e criador da Fundação Mais Cerrado, Bruno Mello: "Não dá para os diferentes setores ou interesses caminharem sozinhos, hoje, o ambientalista tem que conversar com o agricultor e ver a melhor forma de ter um desenvolvimento sustentável, o governo tem que dialogar com o empresário, o consumidor com o produtor para que se preservem os recursos naturais". Até também para o Cerrado poder manter por muitos anos mais a produção e as comunidades em volta não sentirem tanto impacto e tantos desequilíbrios socioambientais, Bruno Mello acredita que é urgente ampliar a informação e aumentar o diálogo entre todos.  O Cerrado, segundo o ambientalista, é considerado pelo agronegócio uma boa área para plantio, já que as existem em comparação com outros biomas como a Amazônia ou a Mata Atlântica menos florestas e poucas árvores, sendo além do mais as áreas planas, havendo ainda boa oferta de água. "A imagem de que a agricultura é a solução para o país coloca mais pressão sobre este bioma que ocupa grande parte do interior do Brasil, inclusive por aqui entre a Serra da Canastra e os rios Grande, Paraná, Pardo, São Francisco entre tantos outros. Mello defende uma evolução ambiental no Cerrado para que a sociedade não venha sofrer com outras crises naturais que redundaram numa crise de seca, a maior deste século. "Nós vemos a atualidade como um novo momento mesmo. Temos essas crises climática e hídrica e logo mais vamos ter a crise das pestes, gerando um caos. Esse calor e falta de água favorecem a proliferação de mosquitos, queimadas e outros problemas, o que traz doenças para a população. É o que já vem acontecendo em São Paulo e outros lugares que têm problema de infestação de pestes e uma onda de doenças sem que a saúde pública tenha a estrutura necessária".



O movimento ecológico e de cidadania está mais alerta sobre o Cerrado  

A proteção de nascentes, rios e águas subterrâneas do Cerrado é fundamental...

...para não agravar a crise do clima e da seca que já abala nossa economia e ecologia

A fauna e flora do Cerrado (como o ícone Lobo Guará) são vítimas a violência ambiental de hoje


O Cerrado é o segundo maior bioma da América do Sul, ocupando no todo uma área de mais de 2 milhões quilômetros quadrados. Desse total, segundo Bruno Mello, pesquisadores e ambientalista somente 20% estão preservados e 5% são áreas prioritárias, com uma grande biodiversidade e aquíferos (é o caso do Aquífero Guarani que tem em nossa macrorregião uma zona vital desta reserva de águas subterrâneas).  Originalmente, este bioma abrange os estados de São Paulo, Paraná, Goiás, Tocantins,  Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Minas Gerais, da Bahia,  Maranhão, Piauí,  Rondônia e Distrito Federal, além de pequenas porções no Amapá, em Roraima e no Amazonas. As nascentes das três maiores bacias hidrográficas da América do Sul - Amazônica/Tocantins, São Francisco e Prata – estão no Cerrado. "Praticamente 80% da água de todo país nascem no Cerrado. Ele acabando, essa água vai acabar junto", alerta Bruno Mello, que explicou que o solo do Cerrado é muito poroso, devido às grandes raízes das árvores, e assim consegue armazenar muita água. "Pelo fato de interligar estes três biomas do Brasil, mexer com o Cerrado, mexe com todos ecossistemas brasileiros". 

Integrantes da Fundação Mais Cerrado tentam ampliar diálogo entre população e governo...

...no objetivo de recuperar e preservar o Cerrado ameaçado em sua sobrevivência


O ambientalista Bruno Mello participou hoje da inauguração do Centro de Excelência do Cerrado, também chamado de  Cerratenses, no Jardim Botânico de Brasília. O espaço, segundo o governo do Distrito Federal, será dedicado para pesquisas em cooperação com várias entidades governamentais e não governamentais, para a valorização deste bioma fundamental do interior do país, de toda a sua cultura e em busca dum desenvolvimento de novas tecnologias para a proteção e para a sustentabilidade. Agora, quando
se dá a inauguração do Cerratenses em Brasília, isso faz parte da 1ª Virada do Cerrado, que ocorre até este domingo (13 de setembro), com atividades em várias regiões da capital federal. Já é uma iniciativa com o objetivo de ampliar as informações e o diálogo para mudar a realidade atual e criar um futuro sustentável.



Fontes: www.jb.com.br
             Agência Brasil
             www.folhaverdenews.com

9 comentários:

  1. Logo + estaremos postando por aqui nesta seção + informações e mensagens, confira e participe desde já sobre a luta pelo Cerrado.

    ResponderExcluir
  2. Entre aqui nesta seção e deixe o seu comentário sobre esta pauta e o movimento pela sobrevivência dos recursos naturais e hídricos do Cerrado e sobre a necessidade da gente implantar já seu futuro sustentável.

    ResponderExcluir
  3. Outra alternativa é você enviar a sua mensagem para a redação do nosso blog de ecologia e de cidadania navepad@netsite.com.br e/ou mandar o seu e-mail direto pro nosso editor de conteúdo padinhafranca@gmail.com

    ResponderExcluir
  4. "Estou procurando a Universidade Federal de Uberlândia com um projeto de resgate sobre a fauna e flora do Cerrado, numa palestra conheci uma pesquisa sobre as plantas medicinais deste bioma que todos devemos defender sob pena de um caos no meio ambiente do país": o comentário é do agrônomo Antônio Pedro Pires, de Uberaba (MG).

    ResponderExcluir
  5. Péricles Souza, estudante de Geologia na Unesp, nos enviou um texto com uma análise profunda e completa sobre o Cerrado:é um artigo que foi escrito por Jorge Enoch Furquim Werneck Lima, pesquisador da Embrapa que atua na área de hidrologia, com mais de cem trabalhos publicados. Entre seus enfoques, estudos hidrológicos, a gestão de recuros hídricos, hidrossedimentológicos,modelagem matemática, irrigação, geoprocessamento, qualidade da água, física de solos. Vamos resumir na sequência informações de Jorge Lima sobre o Cerradi, confira.



    ResponderExcluir
  6. "O Cerrado é o segundo maior bioma brasileiro em extensão, com cerca de 204 milhões de hectares, ocupando aproximadamente 24% do território nacional. Sua maior parte está localizada no Planalto Central Brasileiro que, conforme sua denominação, compreende regiões de elevadas altitudes, na porção central do país. Assim, o espaço geográfico ocupado pelo bioma Cerrado desempenha papel fundamental no processo de distribuição dos recursos hídricos pelo país, constituindo-se o local de origem das grandes regiões hidrográficas brasileiras e do continente sul-americano, fenômeno apelidado de "efeito guarda-chuva".

    ResponderExcluir
  7. Mais informações de Jorge Enoch Furquim Werneck Lima, da Embrapa, para você, aqui. "As águas do Cerrado vertem para oito das doze regiões hidrográficas brasileiras. Em termos da produção hídrica superficial em nível global, para as regiões Amazônica e Atlântico Norte Ocidental, o Cerrado pouco contribui para a vazão gerada, 3,8% e 8,6%, respectivamente. No caso da região Atlântico Leste, essa contribuição já é maior, representando 21% da vazão que é lançada no oceano. Na região do Paraná, o Cerrado responde por quase 50% da vazão total gerada em território brasileiro, enquanto na região Tocantins-Araguaia essa contribuição atinge mais de 60%. Ainda mais relevantes que esses últimos dados são os resultados obtidos para as regiões do São Francisco, Parnaíba e Paraguai, em que o Cerrado é responsável, respectivamente, por aproximadamente 94%, 105% e 135% da vazão gerada nessas regiões, o que implica numa forte dependência hidrológica dessas áreas em relação a esse bioma do interior do país.

    ResponderExcluir
  8. Jorge Enoch Furquim Werneck Lima: "De uma forma geral, a situação dos recursos hídricos do Cerrado pode ser classificada como boa, contudo, principalmente no entorno de cidades e em áreas de grande ocupação agrícola, conflitos pelo uso da água já se fazem presentes. O uso adequado dos recursos hídricos do Cerrado, conforme apresentado, é fundamental, não apenas para a população e o meio ambiente da região, mas para grande parte do país, em termos sociais, econômicos e ambientais, uma vez que o bioma ocupa a parte mais alta de suas grandes regiões hidrográficas. Muitos desafios ainda devem ser superados para o atendimento das condições necessárias para a adequada gestão dos recursos hídricos do Cerrado, o que tem sido uma preocupação frequente de toda a sociedade brasileira".

    ResponderExcluir
  9. "Estes comentários de Jorge Enoch Furquim Werneck Lima, da Embrapa, mais o post sobre a proposta da Fundação Mais Cerrado podem ajudar a se criar no país um movimento para defender este bioma das águas, cada vez mais fundamental para o futuro da vida no interior brasileiro": este é o comentário que nos enviou por e-mail Américo Santos, médico que atua em Florianópolis (SC) e argumenta que "na natureza e também por extensão na saúde da população o Cerrado é vital para nosso país".

    ResponderExcluir

Translation

translation