quinta-feira, 1 de outubro de 2015

A AMÉRICA LATINA E O BRASIL LIDERAM O RANKING DE PREOCUPAÇÃO COM MUDANÇAS DO CLIMA

Crise de quê? É o que questiona Marilena Lavorato que é diretora executiva de Mais Projetos Corporativos e preside o comitê de sustentabilidade do instituto Mais 



"Desde que me entendo por gente ouço falar de crises: existenciais, econômicas, ambientais, politicas etc. etc. “Desesperar jamais” é o meu mantra para enfrentá-las. Até porque cheguei à conclusão de que crise é algo contemporâneo a todas as épocas e todas as gerações", começa assim o texto de Marilena Lavorato no site Pensamento Verde. Nós abrimos o nosso blog de ecologia e de cidadania Folha Verde News para a mensagem desta especialista em sustentabilidade, gestão e educação ambiental, idealizadora e organizadora do Programa Benchmarking Brasil (um selo de sustentabilidade que certifica as melhores práticas). Ao final de sua argumentação, Lavorato explica que este seu estudo "foi realizado agora meses antes da conferência internacional sobre a mudança climática, que será realizada em Paris, em dezembro deste ano". Ela então dá uma informação que surpreende a muitos: "No Brasil, as mudanças climáticas preocupam 75% dos entrevistados, e a instabilidade da economia global, 60%".  "Se nós nos basearmos na mídia de todos os dias, tanto a tradicional como na web, mas especialmente nas notícias e manchetes de grandes redes de comunicação, no que dizem os maiores jornais, parece o contrário, que a população está mais preocupada com a economia do que com a ecologia", comenta agora aqui no blog da gente o nosso editor, o repórter e ecologista Antônio de Pádua Padinha, especializado em Não Violência. 





Para fundamentar mais e divulgar melhor estas informações, sugerimos que o internauta do nosso movimento consulte a pesquisa publicada pelo instituto Pew Research Center, em 14 de julho de 2015, que via este link pode ser vista na íntegra aqui.





Existem crises e crises: precisamos saber o grau de risco de cada um delas para nós agora 




"Eu não estou sozinha nesta movimento", diz com toda razão Marilena Lavorato




"Com o passar dos anos, amadurecemos e vemos que as crises são grandes instrumentos de aprendizado, de desenvolvimento e de conquistas. É assim que as coisas acontecem e que a humanidade avança. Claro que quando estamos no centro do furacão não temos esta calma toda, e o período da crise, por menor que seja, nos parece uma eternidade. Mas existem crises e crises. E a espécie humana, para sua sobrevivência, tem a necessidade de identificar o grau do risco e da dificuldade de superação de cada uma delas", argumenta ainda a comunicadora, professora universitária, diretora executiva de Mais Projetos Corporativos, presidente do comitê de sustentabilidade do Instituto Mais, Marilena Lavorato: "Mudanças climáticas lidera o ranking das preocupações globais, de todas as crises que ouvi e vivi, a mais séria, no meu entender, é a ambiental, mais precisamente as mudanças climáticas. E eu não estou sozinha neste movimento. Em recente pesquisa realizada em 40 diferentes países, com 45.435 pessoas entrevistadas no período de 25 março a 27 maio de 2015, esta também foi a maior preocupação. Para 46% dos entrevistados, as mudanças climáticas ficaram em 1º lugar no ranking das maiores preocupações globais, superando até a instabilidade econômica mundial". 





Há a crise socioambiental ligada à violência do clima, ao stress hídrico e ao caos do ambiente (Padinha) 


Fontes: www.pensamentoverde.com.br
              www.folhaverdenews.com

8 comentários:

  1. Logo mais estramos postando aqui mais informações, comentários e mensagens sobre esta pauta de grande importância na atualidade e que bate com a luta do nosso blog do movimento ecológico, científico e de cidadania.

    ResponderExcluir
  2. Entre aqui nesta seção de comentários e poste a sua mensagem ou opinião ou se preferir mande um e-mail para o redação do nosso blog webendereço navepad@netsite.com.br

    ResponderExcluir
  3. Outra opção: envie o e-mail direto pro nosso editor de conteúdo deste blog padinhafranca@gmail.com

    ResponderExcluir
  4. O primeiro comentário que já recebemos assim que postamos o texto de Marilena Lavorato, vem de São Paulo (SP): "Pretendo fazer faculdade, talvez de Biologia, numa universidade pública, de preferência no interior e tenho acompanhado sempre os posts deste blog, sempre interessantes e atuais, como são estas informações de hoje, superboas, que precisam ser m ais divulgadas".

    ResponderExcluir
  5. "Eu já conhecia e sempre dou uma olhada no site Pensamento Verde, sempre com informações de muito valor, como estas que vocês estão destacando hoje neste blog": o comentário é de Guilherme Cordeiro, de São José do Rio Preto (SP), empresário.

    ResponderExcluir
  6. "Achei bem colocados os argumentos de Marilena Lavorato em cima desta pesquisa que realmente surpreende pela quantidade de pessoas que no Brasil estão preocupadas (com razão) com as questões do clima e do ambiente": quem comenta é Leonor Mendes Silva, de Uberlândia (MG), ligada à Universidade Federal nesta cidade.

    ResponderExcluir
  7. "Urge mesmo identificar o grau do risco e da dificuldade de superação de cada um dos problemas do país e do planeta, sejam eles amb ientais, climáticos, econômicos ou de qualidade de vida", comenta por aqui João Pedro Aprobato, de São Paulo (SP), engenheiro elétrico.

    ResponderExcluir
  8. "Muito oportunos os argumentos da comunicadora, professora universitária, diretora da Mais Projetos, especialista em sustentabilidade do instituto Mais, estas informações e esta pesquisa de Marilena Lavorato podem valorizar e avançar a economia verde no país": a mensagem nos foi enviada por Aruanã Moreira, de Brasília (DF), ele diz que veio do Rio de Janeiro e hoje atua na capital federal com equipamento hospitalares, "mas desde bem jovem me interesso por ecologia".

    ResponderExcluir

Translation

translation