sábado, 14 de novembro de 2015

A PARTIR DE HOJE TODO DIA UM FLASH DE ECOLOGIA NO NOVO SITE DO NORDESTE PAULISTA JORNAL DA FRANCA


O editor do nosso blog agora todos os dias também num novo portal do interior

http://jornaldafranca.com.br/     


Aqui no Folha Verde News em 1ª mão a 1ª edição do Flash de Ecologia neste novo site daqui de Franca para o mundo da web


O que resta pós-desastre socioambiental da mineração, o maior do interior do Brasil? O que resta de bom, porque a vida e a luta continuam depois deste apocalipse na história da ecologia,né.



Cerca de 30 vitimas fatais, mais de 600 desabrigados, soterramento de nascentes, córregos, rios...


...através de toda bacia do Rio Doce entre Minas Gerais e Espírito Santos: um caos socioambiental
 .


Multa de 250 milhões, processo dos presidentes das megaempresas responsáveis (Samarco Mineração, BHP Billiton, Vale), ação do MP MG, construção de casas para desabrigados, despoluição do Rio Doce e afluentes, revitalização ou salvamento das nascentes, indenização das vítimas fatais ou parciais do estouro de duas das 3 barragens em Mariana (Bento Rodrigues), uma reestruturação da terceira barragem (Germano) e de toda a atividade da mineração, que envolve bilhões de dólares e não pode ser tão precária em termos de segurança dos funcionários, da população e do ambiente:  OK, tudo isso tem que ser considerado. As vidas voltarão? Será reconquistada a ecologia perdida entre o leste de Minas e o Espírito Santo?...Na minha opinião, a principal sequela positiva (se é que podemos usar esta expressão) é que esta tragédia socioambiental poderá mudar o rumo dos debates do novo Código da Mineração, que está meio estagnado no Congresso Nacional, também por força dos lobbies e inação da maior parte dos parlamentares: há anos adormecido por uma overdose de razões, a proposta do novo Código da Mineração (projetos de lei 5807/13, 37/11 e outros) poderá voltar agora à tona. De cara, como denunciou André Trigueiro na Globo News, o relator deputado Leonardo Quintão (PMDB-MG) teve a sua campanha eleitoral financiada pela Vale, a mesma que é associada da Samarco e da angloaustraliana BHP Billiton. Ou seja, Quintão não pode ser o relator por um motivo óbvio em função do lobby.De toda forma, já tem votação marcada para 10 de dezembro e assim volta à agenda do Brasil uma chance de a mineração (não só a de ferro) ter finalmente, por pressão da opínião pública nacional e internacional, uma nova estrutura. Uma estrutura que tenha um equilíbrio entre os interesses econômicos e os ecológicos, considerando na nova lei também o lado humanitários (dos funcionários, da população em torno), para assim este tipo de empreendimento ser realmente tecnológico, ter conteúdo socioambiental, não só lucro das megaempresas e por este novo caminho criar um foco de Desenvolvimento Sustentável pós-apocalipse em Mariana, Minas Gerais. De Minas para o Brasil e o mundo, aí sim, uai. 

Amanhã, neste novo webespaço http://jornaldafranca.com.br/ Jornal da Franca um novo flash, + 1 microblog ecologia daqui da cidade, da região, do país, do planeta, um post a cada dia para você, onde quer que você esteja, paz. 
 


.


Apesar do horror e de toda a violência em Minas e no Espírito Santo, nasceu um novo dia: vamos à luta pela paz, aqui ou em Paris, em qualquer lugar


Fontes: http://jornaldafranca.com.br/
             www.folhaverdenews.com


 

12 comentários:

  1. Parabéns, Padinha, pelo novo espaço para a luta da ecologia, curti este flash, como sempre atualizando informações, eu já te acompanhou direto aqui no Folha Verde, agora vou tambe´m sempre dar um entrada no Jornal da Franca: parabéns também a este site por estar sensível a esta causa tão urgente hoje para todos nós, as lutas socioambietnais": a mensagem é de Fernando Moreira, de Guarujá (SP), que atua com o movimento da ecologia e não violência na Baixada Santista e trabalha como educador ambiental lá. (A gente daqui agradece, vamos juntos).

    ResponderExcluir
  2. Logo mais, mais informações tanto sobre o Jornal da Franca como sobre as consequências na economia, na vida da população e das empresas de mineração pós caos da ecologia em Minas e Espírito Santo.

    ResponderExcluir
  3. Entre vc tb aqui nesta seção com o seu comentário me/ou envie o seu e-mail para a redação do nosso blog de ecologia e de cidadania navepad@netsite.com.br
    Outra opção é enviar seu e-mail direto pro editor de conteúdo do nosso blog padinhafranca@gmail.com Fale com a gente, vamos juntos.

    ResponderExcluir
  4. "Além da cidadania dos Bombeiros e da solidariedade do povo às vítimas e desabrigados, outro rescaldo positivo desta tragédia, é que ela poderá mesmo reacender quem sabe, apesar dos lobbies lá existentes, o debate no Congresso Nacional do Código da Mineração": é o comentário de Flávio Souza, ambientalista de Brasília (DF) que no dia a dia atua como técnico de Informática.

    ResponderExcluir
  5. "Oi, Padinha aqui são seus parceiros do bate bola do Acácia, conferimos juntos aqui no boteco da esquina o novo Flash, parabéns aí, conte com a gente e muitos gols na vida, cara": a mensagem é de Boné e John Lennon, que são os apelidos de dois músicos que jogam nas peladas do Acácia FC entre Franca (SP) e Claraval (MG) com o nosso editor aqui do blog.

    ResponderExcluir
  6. O promotor público Carlos Eduardo Ferreira Pinto acusa as empresas de negligência, pela situação precária ou falta de gestão que gerou o rompimento das barragens: não foi acidente, segundo avalia esta autoridade do MP de Minas Gerais, teria que haver uma estrutura maior de segurança, levando em conta a magnitude do empreendimento da Samarco, BHP e Vale.

    ResponderExcluir
  7. "Estes fatos nos remetem ao debate sobre o Código de Mineração, que está há anos parado ou suspenso no Congresso Nacional e que precisa definir melhor a estrutura desta atividade no Brasil. O desastre ambiental talvez tenha como positivo reacender o debate deste Código, essencial para o ambiente e a população" (comentário extraído de entrevistado pela agência de notícias Reuters).


    ResponderExcluir
  8. "A Samarco foi fundada em 1977 e produz desde então bolas ou pelotas de minério de ferro que são vendidas para a produção de aço: o que se pergunta é como era o licenciamento ambiental dessa atividade": trecho de um texto que nos envia desde Ouro Preto (MG) Pedro Fontana, que informa sobre chácaras e sítios destruídos na região de Mariana.


    ResponderExcluir
  9. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  10. "Um bom resumo de tudo o que aconteceu está aqui neste blog, que tem razão no seu questionamento, grande parte da mídia costuma blindar as grandes empresas e empreendimentos poderosos, a falta de informação pode causar problemas como houve agora": o comentário é de Moacir Pereira Barros, de São Paulo (SP), especializado em mercado de computadores e consultor de Tecnologia da Informação.


    ResponderExcluir
  11. "Em entrevista coletiva em Mariana (MG), os presidentes da BHP Billiton Andrew Mackenzie, da Samarco, Ricardo Viscovi e da Vale, Murilo Ferreira, assumiram a responsabilidade pelo megacidente: a gigante mundial BHP detém 50% e a Vale outros 50% da mineradora, parceria que rende bilhões de dólares desde 1984 e agora gerou este megaprejuizo socioambiental em Minas e no Espírito Santos, dezenas de mortos, 600 desabrigados, um processo monstro no MP e a paralisação temporária de captação de minério de ferro": o comentário é de Rafael Alcântara, estudante de Jornalismo na PUC de BH, que faz também comentário sobre a multa de 250 milhões aplicada pelo Ibama a pedido de Dilma Rousseff às empresas de mineração em Mariana (MG): em resumo, ele escreve: "As vidas de tantas pessoas soterradas não voltará, toda punição é pequena diante da morte deste povo".

    ResponderExcluir
  12. "Du caramba": mensagem que recebemos de Fabiola Mendes, da ECA da USP, que é de Batatais e estuda em São Paulo. Obrigado, Fabíola.

    ResponderExcluir

Translation

translation