sábado, 7 de novembro de 2015

BIKERS DA GERAÇÃO DIGITAL PEDALAM CONECTADOS NA WEB E TROCANDO INFORMAÇÕES ONLINE


Dados de novo aplicativo revelam a rotina de ciclistas em 12 das principais cidades do mundo onde a onda das bikes avança ao mesmo tempo que a galera mais ligada na cultura digital (também por uma questão de segurança na violência das ruas)

 
Os chamados astronautas do chão e do asfalto pedalam com a mente antenada na web: é a chamada Geração Y ou Z


Camila Almeida nos informou sobre os dados obtidos pelo novo aplicativo Strava, esta pauta foi postada também na revista Superinteressante e no site Planeta Sustentável: agora nesta semana a repórter conferiu o novo equipamento em evento de bikers na Avenida Paulista em São Paulo (SP) através do esquema de comunicação Mídia Fora do Eixo. O app que é especial para atletas que de várias formas curte correr ou pedalar, dando e recebendo informações através do novo aplicativo Strava, sendo utilizado em algumas das principais cidades de todo o planeta, onde a onda das bikes cresceu muito, ela cresce junto com a geração digital, a galera que mesmo correndo, está ligada e se mantém online. É um estilo típico do biker atual, que pedala e ao mesmo tempo está conectado à Internet via seu celular. Em relação ao uso das bikes, como esporte, lazer, transporte ou busca de saúde e/ou da ecologia na aventura da vida, mobilidade urbana e menos stress no dia a dia, o editor do nosso blog de ecologia e de cidadania Folha Verde News, que é o repórter ecologista Antônio de Pádua Padinha, vegetariano que pedala sempre há três décadas, nos lembra aqui uma frase histórica do físico Albert Einstein sobre as bicicletas, aprofundando assim a cultura e o amor pelas pedaladas:


"Viver é como andar de bicicleta: uma pessoa precisa estar em constante movimento para manter o equilíbrio". (Albert Einstein)

Informações via o novo aplicativo sobre o que rola no mundo das duas rodas


Antenados e trocando informações via o novo app os bikers curtem a vida...

...a natureza e as informações online ligados enquanto pedalam


Geração Biker considera celular importante para pedalar trocando mensagens e com maior segurança

Londres
É a cidade onde os ciclistas são mais ativos, de acordo com o Strava. Em um ano, foram mais de 7 milhões de registros de pedaladas no aplicativo. A distância média percorrida é 15 km, há 22,5 km/h.

Sidney
No último ano, o dia em que mais se pedalou foi 2 de novembro de 2014, quando aconteceu uma pedalada em apoio aos pacientes de esclerose múltipla. Mais de 7.500 pessoas registraram presença no Strava. Em média, 1.200 usuários do app pedalam pela cidade todos os dias.

São Paulo
No último ano, foram mais de 800 mil registros de pedaladas no Strava. Em média, os usuários do aplicativo pedalam 17,3 km em suas viagens, a 19 km/h. Curiosamente, é a cidade onde mais se pedala à noite, no período entre 20h e 23h.

Milão
É a cidade onde as pessoas vão mais longe de bicicleta. A média é de impressionantes 54 km por pedalada, percorridos a 24,3 km/h.

Nova York
O dia mais popular entre os ciclistas nova-iorquinos é quarta-feira. No último ano, a data que mais reuniu magrelas na cidade foi 3 de maio de 2015, num evento anual para estimular as pessoas a pedalar. Quase 6 mil pessoas registraram suas pedaladas no app.

Paris
O dia em que mais gente pedalou foi um dia em que o foco eram os maratonistas. Em Paris, as pessoas amam pedalar antes da maior corrida da cidade, que acontece todo ano. Foi no dia 12 de abril de 2015 e as ruas estavam livres de carros.


Antenado na natureza e na web o biker na região de Franca (SP) Maumau ou Maubem


São Francisco
O dia em que as pessoas mais pedalaram é completamente aleatório: apenas um sábado qualquer no meio do inverno. 9,5 mil pessoas registraram pedaladas. Cerca de 2 mil pessoas usam o aplicativo todos os dias.

Amsterdã
É a cidade onde ciclistas pedalam mais rápido no mundo. A velocidade média é 25,5 km/h. Em um ano, mais de 2,8 milhões de pedaladas foram registradas na capital das bicicletas. O dia em que as pessoas mais pedalaram foi na comemoração ao dia das mães, 10 de maio. Quase 22 mil pessoas pedalaram usando o app.

Melbourne
O que não falta é ladeira. Lá, os ciclistas precisam subir cerca de 275 metros toda vez que saem de bike. E vão longe também: em média, percorrem 32 quilômetros em suas viagens.

Los Angeles
Em um ano, mais de 2 milhões de pedaladas foram registradas no aplicativo. A variação de altitude de cerca de 400 metros explica a velocidade um pouco mais baixa, com média de 21 km/h.

Barcelona
Dentre as cidades avaliadas, é a que tem maior variação de altitude - são 762 metros em média. Não é à toa que lá se pedala a menos de 20 km/h.

Berlim
Em Berlim, as pessoas pedalam em média 31,5 km. É a cidade onde mais se pedala à tarde, entre 15h e 17h; 14% dos usuários do aplicativo registram atividade neste horário.


Na trilha de um biker digital daqui da região nordeste paulista, interior do Brasil 





A onda das bikes também ampliou setor do mercado de trabalho e de vendas nas cidades

Em cidades de todo o país (e do planeta) night bikers pedalam ligados onlçine também por segurança
Fontes: www.planetasustentavel.abril.com.br
              Midia Fora do Eixo
              www.folhaverdenews.com

7 comentários:

  1. Liberdade nas ruas? Só se for de bicicleta, é um slogan da Revista Bicicleta, que tem também time line no Facebook. Na edição de agora, uma das pautas, além do aplicativo e do uso de smartphones pela geração bike, há uma debate: nos anos 1990, o sonho de todo jovem era comprar o seu carro e ser livre. Porém, parece que não é essa a tal liberdade que a geração de hoje busca quando o assunto é mobilidade. Antes, o automóvel era visto como um símbolo de independência. Com o passar dos anos e o surgimento de vários agravantes, como o trânsito, a violência, as doenças respiratórias e a falta de espaço nas ruas, o carro ainda faz mais parte dos sonhos da grande maioria dos jovens de hoje, mas a maioria da maioria tem um novo ícone, a bike.

    ResponderExcluir
  2. Recentemente, a General Motors (GM) encomendou uma pesquisa para a MTV Scratch, canal de pesquisa e relacionamento com jovens, de uma emissora norte-americana, para tentar entender esse mercado e criar estratégias para reconquistar o público jovem. Mas, parece que essa tendência não é fácil de reverter. Os jovens mudaram. Segundo a pesquisa, essa geração chamada de “Millennials” (a famosa Geração Y) valoriza a vida saudável e o esporte; são jovens entre 18 e 24 anos que acreditam na sustentabilidade e buscam construir um mundo melhor por meio de atitudes positivas. Dessa forma, jovens trocando carros por bikes. E as ruas ou estradas e trilhas no campo sendo tomadas por ciclistas é algo cada vez mais comum. Também por aqui.

    ResponderExcluir
  3. No Brasil, a onda dos bikers parece uma tendência que veio pra ficar. Em São Paulo, as ciclofaixas que são liberadas aos domingos e feriados, têm ficado lotadas de paulistanos que só precisavam de uma desculpa para tirar as bikes da garagem. O empresário e atleta Lucas Laurentys não larga a bike por nada “vou para qualquer lugar num raio de 15 km de bike, sempre que posso evito pegar o carro; pedalo para o treino, médico e trabalho. Ir de carro significa mais trânsito, muita demora e menos diversão”.

    ResponderExcluir
  4. Em Franca (SP) o jovem executivo no setor de imóveis, Maurício Silva Paula, pedala em torno da cidade pelo menos três vezes por semana. E o repórter de rádio, TV e site, Cássio Freires troca a moto e oi carro por uma bike "sempre que dá". Ele diz que depois que deu8 um tempo para a bike, "diminuiu o stress e aumentou o meu pique para a correria do trabalho".

    ResponderExcluir
  5. Poste a sua mensagem aqui nesta seção de comentários já ou então envie um e-mail para a redação do nosso blog navepad@netsite.com.br e/ou mande seu e-mail direto por editor de conteúdo daqui do nosso webespaço padinhafranca@gmail.com

    ResponderExcluir
  6. "Me mantenho plugado, antenado, online, mesmo pedalando, também prá saber como anda o trânsito, por motivo de segurança e também porque a gente está o tempo todo ligado até em cima da bike": é o comentário de Jonas Aparecido, de Ribeirão Preto (SP), que estuda na USP, faz estágio em empresa de equipamentos hospitalares e percorre a cidade no dia a dia e nos fins der semana de bike e celular.

    ResponderExcluir
  7. "Curti muito a mensagem do Einstein sobre a bicicleta no blog aqui. E só completando o grande mestre, pedalar é genial!": comentário de Brê (Breno Alves), que estuda na Unicamp em Campinas e é de Araraquara (SP).

    ResponderExcluir

Translation

translation