segunda-feira, 2 de novembro de 2015

CINEASTA KUIKURO DOCUMENTOU JOGOS MUNDIAIS INDÍGENAS SOB O PONTO DE VISTA DO ÍNDIO

"A meta do índio é documentar nossa cultura prá gente futura", falou o cineasta indígena


Os bastidores dos Jogos Mundiais Indígenas, em Palmas (TO) terminaram ontem e além de mostrar a todo mundo (23 países participaram do evento esportivo, cultural, político) a arte, a cultura nativa e as disputas das tribos, revelaram também alguns talentos na área da comunicação: hoje os índios, não só do Brasil, têm a sua própria mídia, usam em especial os recursos digitais em especial de celulares tipo Smartphones para se comunicarem, independente dos jornalistas das grandes redes; "Índio acredita mais no que índio mesmo diz", afirmou à BBC o indígena Jair Kuikuro, que ganhou destaque por causa de sua atuação como locutor oficial dos Jogos em Palmas, das suas performances como radialista, passando boletins para várias emissoras e pelo documentário que deverá finalizar ainda, a partir de imagens e de reportagens que ele e sua equipe colheram neste evento. Logo mais, aqui neste blog da ecologia, postaremos como clip na nossa wepágina aqui ao lado, na TV Folha Verde News, matéria feita pela TV Brasil sobre um festival de filmes indígenas, que rolou em cinema alternativo, perto do Morro do Alemão no Rio de Janeiro. No último Festival de Cinema de Gramado, por sinal, um dos premiados foi um outro cineasta deste povo do Alto do Xingu, Tukuman Kuikuro, um ritual sobre Hiper Mulheres da aldeia, como reportou à época o site Terra. Enfim, hoje os povos nativos começam a se expressar graças à linguagem e à produção mais simples e acessível que tem hoje os aparelhos digitais, ensaiando uma cultura audiovisual diferente, bom que se invista na formação técnica e em equipamentos mais avançados para este talentos naturais. 


Jair Kuikuro, cineasta, locutor, radialista indíegna conseguiu destaque agora  

Uma equipe de índios documentou tudo o que rolou ao vivo e em off nos Jogos em Palmas

A etnia Kuikuro é um dos povos mais antigos da região do Alto Xingu

Outro filme sobre magia de mulheres Kuikuro foi recentemente premiado em festival brasileiro



O indígena Jair Kuikuro saiu cedo de sua aldeia, aos 15 anos, para se tornar cineasta, mas hoje tem mais uma profissão: locutor de rádio. É assim o led da reportagem que está tendo muitos acessos no site internacional da BBC. Após não conseguir uma licença para criar uma rádio comunitária em sua região no Alto do Xingu, onde seu povo é nativo, ele recorreu ao WhatsApp e começou a Rádio FM Xingu por meio de aplicativo. Sua primeira grande cobertura foram feitas agora durante o Mundial que acabou neste fim de semana em Palmas, no Tocantins, tendo uma relativa repercussão na mídia nacional e do exterior, pela beleza dos povos indígenas, pela sua arte corporal e esportes nativos e até pelas manifestações contra a PEC 215, emenda constitucional articulada no Congresso Nacional pelo lobby dos senadores e deputados ruralistas, reduzindo os direitos dos índios às suas terras, inclusive.  Em meio às fortes emoções e muitos acontecimentos, o midiático Jair Kuikuro afirma já ter chegado a postar 500 áudios desde o início do evento, além de fotos e mensagens que distribui para seus oito grupos de seguidores e assim manter informados os "parentes" indígenas que não puderam estar presentes na festa. Enquanto as competições de arco e flecha, arremesso de lança e corrida de tora aconteciam na Arena Verde, ele se revezava entre o microfone e o telefone ou a câmera,  já que também foi um dos apresentadores do Jogos Mundiais Indígenas, idealizados por dois índios da etnia Terena. Um dos criadores do Coletivo Kuikuro de Cinema, que já produziu cinco curtas e um longa-metragem, o índio cineasta registrou tudo que rolou nos Jogos (a exemplo do que o líder Xavante Juruna à sua época fazia na Câmara Federal) para  consumo dos própriosd povos indígenas: o material deverá virar um novo documentário. "O objetivo do índio é documentar a nossa cultura e aí mostrar para as crianças e as gentes futuras, as tradições de canto, história, dança, reza, tudo o que o nosso povo da floresta ainda tem", explicou Jair, falando emj português misturado com algumas palavras da língua Kuikuro, um dos povos mais numerosos e antigos da região do Alto do Xingu que ainda sobrevive, mas atualmente com ameaças de desaparecimento.


Kuikuro busca a paz mas também encara a luta por direitos e cultura nativa dos índios

Fontes: BBC/Terra/TV Brasil
             www.folhaverdenews.com


4 comentários:

  1. Logo mais postaremos outras informações e comentários, entre aqui você com a sua mensagem sobre a pauta de hoje, os índios fazendo a sua própria mídia.

    ResponderExcluir
  2. Você pode enviar sua mensagem para o e-mail da redação do nosso blog de ecologia e cidadania: navepad@netsite.com.br

    ResponderExcluir
  3. Outra opção: envie sua mensagem ou foto direto para o editor de conteúdo do nosso blog: padinhafranca@gmail.com

    ResponderExcluir
  4. "Muito legal esta matéria do blog de vocês, não vi nada assim nem no Sportv nem nos telejornais que cobriram os Jogos Indígenas": quem comenta é Mariana Pereira, que estuda na ECA da USP em São Paulo e pretende voltar ao Mato Grosso, onde nasceu, para fazer filmes.

    ResponderExcluir

Translation

translation