sábado, 26 de dezembro de 2015

EMBAIXADORES DA ONU PARTICIPAM DE MOVIMENTO PELA DIPLOMACIA CULTURAL E DA LUTA PELA PAZ

Enquanto descansam fazem música pelo futuro da Terra


Estes cinco diplomatas conseguem tirar do anonimato o movimento pela paz



Um grupo de embaixadores que trabalham nas Nações Unidas decidiu dar um tempo nas suas tarefas de alto nível diplomático para gravar um single pela paz mundial: denominada UNRocks, a banda criou uma canção Strong UN, Better World (ONU mais forte, mundo melhor). O grupo é formado pelos embaixadores da Dinamarca (baixo), Coreia do Sul (bateria), além da Sérvia, Tonga e Tailândia. Os vocais ficam por conta da chefe do escritório da ONU em Belgrado, na Sérvia, Simona Miculescu, que compôs a canção que poderá ter um lançamento formal em breve, dentro das comemorações dos 70 anos da Organização das Nações Unidas.


 
A banda formada agora pelos diplomatas da ONU pela paz




Segundo a entidade sem fins lucrativos Friendship Ambassador Foundation, que financia a produção do CD, "Este trabalho tem por objetivo acender o coração das pessoas com o poder suave e universal da música". "Enquanto a violência gerar mais violência, sentimos que o mundo precisa de mais iniciativas para a solução dos conflitos mundiais de forma pacífica", afirmou Simona Miculescu, a líder da banda inédita, acrescentando que "são necessários muito mais esforços para que uma diplomacia cultural substitua o jogo de interesses, a violência, a guerra, como uma arma para uma nova realidade entre os países".  Ainda não está disponibilizado no Youtube este single, a primeira das canções da banda dos diplomatas da ONU mas assim que isso acontecer, estaremos divulgando por aqui também, esta e outras músicas dos embaixadores. A gente, aqui no blog da ecologia e da cidadania Folha Verde News divulgando esta iniciativa cult se lembra do compositor e poeta Vinicius de Morais, que abandonou o Itamaraty e a carreira que estava por fazer dele um embaixador do Brasil no exterior pelo  trabalho da música popular: "Vinícius considerava mais eficiente a ação musical do que a diplomacia para unir as pessoas e os povos, passou a dedicar a este ideal a sua vida, que ele curtiu muito, ele que foi um dos maior destaques da MPB (Música Popular Brasileira)", comenta o nosso editor, Antônio de Pádua Silva Padinha: "Vinícius de Morais teve a sua carreira diplomática bloqueada, paralisada e censurada pelo então governo ditatorial em nosso país, nos anos sessenta e setenta, isso o levou a optar por continuar lutando pelos seus ideais de vida através da produção cultural".


Vinícius trocou a diplomacia pela Música Popular Brasileira e foi pioneiro..

...da iniciativa voluntária de diplomatas agora para marcar o 70º aniversário da ONU


A iniciativa agora deste grupo de cinco diplomatas nos remete também a várias matérias e posts, que fizemos aqui e no Facebook, ao longo dos últimos anos (por exemplo na intervenção militar dos Estados Unidos no Iraque), defendendo que ao invés de armas ou da guerra, as pessoas e os povos precisam usar a não violência ou numa palavra, a inteligência, para resolver conflitos e unir o planeta, para que todos juntos e acima das eventuais  diferenças ou interesses políticos ou econômicos diversos, possamos criar um futuro sustentável e um verdadeiro diálogo para o entendimento: "Se a nossa geração de seres humanos não implantar um desenvolvimento sustentável no planeta e não criar a paz entre os países, não existirá futuro nem vida para ninguém", finaliza aqui o ecologista Padinha, ao divulgar e elogiar nesta webpágina a luta cult e exemplar destes diplomatas que indica um caminho para todo mundo. Não são só estes diplomatas, há todo um movimento em vários lugares de ecologistas, cientistas, produtores culturais, especialmente da juventude. Para exemplificar há garotos como Rafa Jah, ligado ao Reggae, que já preparam também canções (como a que postamos por aqui como um clip no blog da gente) para ir à luta pelo futuro e pela paz, algo que deveria ser a prioridade de todos nós, seja qual for o setor em que cada um de nós atua no dia a dia. O veículo pode ser a produção cultural em variadas mídias, como realizações de videomakers ou os blogs e sites mais independentes na web, o que importa é avançar este movimento pela paz, pela Terra, pela vida.


Os problemas socioambientais e humanitários desequilibram a vida na Terra cada vez mais...

...e a produção cultural ajuda a reequilibrar a condição de vida humana e do próprio planeta




















Fontes: BBC - Terra
             www.folhaverdenews.com

5 comentários:

  1. Logo mais a seguir estaremos postando aqui nesta seção de comentários mais informações sobre esta pauta de hoje, um movimento pela paz e pelo futuro sustentável.

    ResponderExcluir
  2. Participe você também, insira desde já um comentário aqui nesta seção ou se preferir, mande a sua mensagem para a redação do nosso blog navepad@netsite.com.br e/ou direto pro editor de conteúdo do nosso blog de ecologia e de cidadania padinhafranca@gmail.com

    ResponderExcluir
  3. "Parece algo inalcançável para todo mundo mas em qualquer lugar ou função uma pessoa pode fazer algo e ajudar o avanço cultural e planetário": o comentário é o primeiro que chegou aqui na nossa redação, tendo sido enviado por José Alcântara, economista, que relata detalhes sobre a decisão de Vinicius de Morais, de abandonar a diplomacia pela música e pela poesia, conforme testemunhou o seu pai na época, no Rio de Janeiro (RJ): "Falam muito da Garota de Ipanema, mas esquecem dos fatos que levaram a este avanço cultural, que era o atraso de uma Ditadura".

    ResponderExcluir
  4. "Vejo hoje entre os pesquisadores nas universidades brasileiras, bem como entre alguns produtores culturais menos comerciais, como também entre os que militam no movimento ecológico, iniciativas que podem revolucionar e avançar": Maria Santos Rodrigues, de São Paulo (SP), ela se dedica a pesquisas e ações na área da arte e cultura alternativa.

    ResponderExcluir
  5. "Creio0 que o movimento dos jovens de cidadania saindo vez por outras às ruas tem também este sentido de mudar o mundo, mudar a realidade": o comentário é de Geraldo Silva, estudante paranaense de Biologia na Unesp, que passa as férias no litoral de Ubatuba (SP).

    ResponderExcluir

Translation

translation