quarta-feira, 9 de dezembro de 2015

LÍDERES INDÍGENAS QUEREM OFICIALIZAR RESPEITO AOS ÍNDIOS NO DOCUMENTO DA CONFERÊNCIA DO CLIMA EM PARIS

Líderes indígenas participam ativamente e contribuem para valorizar a ecologia no mundo



Leda Letra fez uma matéria dentro desta pauta para a Rádio ONU numa transmissão internacional que repercutiu muito também em Nova Iorque, o assunto está também sendo discutido por sites como o EcoDebate no Brasil e virou a principal notícia da Rádio Yandê, webradio controlada pelos próprios índios, como Anápuáka Tupinambá, Renata Tupinambá e Denilson Baniwa, coordenam este veículo e têm formação universitária no setor de comunicação e tecnologia digital. Enfim, o tema da hora é o respeito aos direitos dos povos indígenas, que foi um dos destaques nesta semana na Conferência da ONU sobre Mudança Climática, COP21. Em Paris agora rolou um Fórum Internacional dos Povos Indígenas e houve a divulgação duma carta aberta aos ministros de Meio Ambiente do mundo todo. Em síntese, os líderes indígenas declaram  e exigem dos governos forte apoio a metas de redução de carbono que limitem o aumento da temperatura global a menos de 1.5° Celsius. Segundo eles, este nível é essencial para reduzir impactos da mudança climática e para a proteção do planeta. Foi o que manifestou, com o apoio de intérprete, Raoni Metuktire, ele que é uma das principais lideranças da etnia Kayapó (Caiapó) que por sua vez é uma das mais participantes em eventos regionais, nacionais ou internacionais que envolvam ecologia ou direito dos povos da floresta. Os povos nativos de todo o planeta também pedem que o acordo final da COP21 especifique, no Artigo 2, a importância do respeito aos direitos dos povos indígenas, formalizando e objetivando este direito. O coordenador de estratégia de Conservação de Terras Indígenas da ONG The Nature Conservancy esteve em Paris e agora, de volta ao Brasil Helcio Souza explicou à Rádio ONU e também à webradio Yandê todas as propostas da participação dos indígenas nessa COP21. Ao mesmo tempo, podem ajudar uma melhor proteção da natureza, de todos os recursos naturais,  povos nativos hoje influem na busca de um desenvolvimento sustentável, que considere tanto os interesses econômicos como os ecológicos. A mídia internacional, como a agência de notícia Reuters, destacou este conteúdo ao informar sobre a pauta indígena na Conferência do Clima que deve terminar nesta sexta-feira agora. Está sendo hoje finalizado o documento e o acordo finais entre 195 países da Terra. 


Apoiados por ecologistas e intérpretes índios se manifestaram na Conferência do Clima

Por alguns momentos Paris foi a voz da natureza de todo o mundo...

Raoni Metuktire, da etnia Kayapó, teve bastante espaço na mídia internacional...

...aqui no país mal foi noticiado, daí a importância da Yandê, rádio indígena



“Já houve um acordo entre os países (o Brasil inclusive também apoiou) de inserir na introdução do documento a menção ao respeito aos direitos dos indígenas na implementação do acordo. Mas o que os indígenas estão querendo é que isso não fique inserido só na introdução, como um conceito vago, mas que fique sendo uma norma jurídica inserida dentro do Artigo 2 do acordo. Há uma divisão entre os países com relação a este ponto, se introduzem ou não este item dentro do artigo 2. A posição do governo brasileiro é aparentemente de não estar se opondo em formalizar o direito de todos os povos indígenas no Artigo 2, mas também não tem defendido isso com tanta intensidade como fazem alguns outros países, como o Canadá", relatou também Hélcio Souza, especialista no assunto da entidade The Nature Conservancy. Segundo ele, as terras indígenas guardam 20% do carbono das florestas tropicais do mundo, sendo o estoque de carbono mais confiável que existe para mudar e avançar o estilo de vida atualmente em todo lugar do mundo. O mesmo Helcio Souza avaliou ainda que na reta final agora da COP21 ela mantém um clima de otimismo para a adoção de um acordo mundial para o combate à mudança climática."Mudar o clima envolve uma transformação estrutural nos países, como a energia limpa e até menores índices de violência", comentou no blog Folha Verde News, Antônio de Pádua Silva Padinha ao editar por aqui estas informações que ele considera de extremo valor para conseguir avanços na conferência mundial e ambiental da ONU.

  

Fontes: http://radioyande.com
             www.ecodebate.com.br
             www.folhaverdenews.com 


7 comentários:

  1. Estamos atentos à divulgação pela ONU pelo texto final do documento da COP21 e aqui estremos informando se o Artigo 2 do acordo entre os países considerou ou não a proposta dos povos nativos do planeta, algo que interessa diretamente à ecologia.

    ResponderExcluir
  2. Além da Rádio ONU, da agências como a Reuters ou de sites como o portal nacional de temas socioambientais EcoDebate, é de extrema importância a informação que vem passando sobre e para os povos indigenas a webradio Yandê, veículo de comunicação dos próprios índios brasileiros.

    ResponderExcluir
  3. Importante demais a liberdade de informação e os veículos mais independentes que a grande mídia, como é o caso da rádio Yandê, coordenada pelo mkt Anápuáka Tupinambá, pela jornalista e educadora Renata Tupinambá e pelo especialista em tecnologia digital, Denilson Baniwa, que contam ainda com a participação e a colaboração de outros indígenas, de várias etnias, com formação universitária.

    ResponderExcluir
  4. Logo mais por aqui mais informações, entre e coloque nesta seção o seu comentário ou envie um e-mail para a redação do nosso blog de ecologia, não violência e cidadania, que sempre vem apoiando a luta dos índios: navepad@netsite.com.br

    ResponderExcluir
  5. Uma outra opção é você enviar o e-mail diretamente pro nosso editor de conteúdo padinhafranca@gmail e/ou ainda, se for o caso, se comunicar com a radio Yandê pelo e-mail anapuaka@radioyande. com

    ResponderExcluir
  6. "Talvez, por chamar a atenção diretamente para a ecologia, a participação de índios e povos nativos do Brasil e de vários países, tem sido o destaque da Conferência da ONU e a cara da luta pelo clima": quem comenta é Luíza Moreira, de São Paulo (SP), que vai levar ao estudantes da USP estas informações e debates.

    ResponderExcluir
  7. "Meses atrás eu vi aqui mesmo neste blog uma frase, o que acontecer com o índio acontecerá com a ecologia: acho que é isso mesmo e agora na conferência da ONU espero que os governantes tenham sensibilidade de zelar pelos direitos, terras e natureza dos povos da floresta": o comentário é de Fernando Cáceres, de Catanduva (SP), formado em História pela Unesp e que atua como empresário.

    ResponderExcluir

Translation

translation