terça-feira, 22 de março de 2016

ALGUMAS DAS MELHORES ALTERNATIVAS PARA O DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL INCLUEM A QUESTÃO DA ÁGUA

E quase todos os problemas de saúde e ambiente envolvem a qualidade da água que está mal em mais de 36% no país: aqui na região houve cavalgada e plantio pela vida do Rio Canoas


Uma cavalgada ecológica de cidadania pelo Rio Canoas na divisa São Paulo-Minas Gerais


Nesse dia mundial da água, por aqui em Franca (SP) repercute a ação dos que plantaram 8 mil mudas durante cavalgada pela vida do Rio Canoas, na divisa entre os estados de São Paulo e Minas Gerais, no caso, a cidade de Claraval: todo ano esta é uma iniciativa de pessoas como Ruy Engrácia Garcia e outros integrantes da regional da Sabesp e do movimento ecológico. Em relação à Sabesp, ela hoje está comemorando a notícia: a entidade Trata Brasil coloca Franca em 1º lugar entre as cidades com melhor saneamento básico.  Quando ao Dia Mundial da Água que a ONU desde 1995 celebra nesta data, hoje, nos blogs Folha Verde News e Flash de Ecologia algumas informações do relatório “As empresas no mundo da água”, WBCSD – World Business Council for Sustainable Development. A gente lembra que já faz 22 anos que as Nações Unidas declararam 22 de março como a data para um debate em busca de valorizar os recursos hídricos de todo país, de todo planeta. De lá para cá é bem verdade, só aumentaram os desequilíbrios, as agressões ambientais e o processo de escassez cada vez maior deste recurso natural. Para exemplificar este fato: no Brasil a entidade ambientalista SOS Mata Atlântica está divulgando hoje um levantamento feito em 289 pontos do país, em 183 rios, córregos e lagos, mostrando em resumo (como nos explica a coordenadora da campanha, Malu Ribeiro) que a situação deles está má, ruim ou péssima em 36% dos pontos. Bem distante do que proclama  desde os anos 90 a Declaração Universal dos Direitos da Água, 10 artigos que sintetizam a importância de os governos e todos nós irmos à luta pelos recursos hídricos e assim também, pela própria vida. (Na seção de comentários aqui neste blog de ecologia e de cidadania você pode conferir o conteúdo desta Declaração). Ainda nestes dias agora, a pianista francesa, que é de ponta no mundo e atua hoje nos Estados Unidos, Helene Grimaud, dentro da luta ambientalista que ela desenvolve  lado a lado com o seu trabalho cult, está lançando o CD Water, interpretando no rítmo da natureza músicas de Brahms e de Liszt (você pode conferir um clip aqui na página do Folha Verde News). Entre fatos positivos como este e fatores preocupantes, que são a maioria dos acontecimento da atualidade, a gente aqui debate informações, como as que fazem parte do levantamento do Worldwatch Institute, informando que agora em 2016 as cidades ocupam somente 2% da superfície terrestre, mas contribuem para o consumo de 60% da água doce, um bem perecível, que está destruído juntamente com a última ecologia da vida, por aqui e em toda a Terra. 


Os recursos hídricos são fundamentais para a ecologia e a economia


A ecologista e pianista Helene Grimaud está lançando o CD Water

Aqui nessa paisagem de alerta existia antes na Amazônia um rio


Informações para abastecer a sua sede de mudanças urgentes na realidade


Por volta da metade do século XXI, sete bilhões de pessoas em 60 países enfrentarão a escassez de água. Uma criança nascida em uma nação desenvolvida consome 30 a 50 vezes mais do que uma outra em um país em desenvolvimento. Pelo menos um em cada três asiáticos não tem acesso a água potável e um em cada dois está desprovido de serviço de saneamento. 50% das pessoas que vivem na África sofrem de doenças transmitidas pela água, como o cólera e a diarréia. Bem, mas para não ficar aqui somente citando problemas, para você matar a sua sede de amor à ecologia, a seguir, algumas soluções técnicas que podem ajudar o processo de desenvolvimento sustentável. A gente só lembra no entanto que em nosso país (e na maioria dos países) não existe ainda uma gestão ambiental que seja sustentável para promover um equilíbrio entre o avanço da economia e a proteção da ecologia. Mas veja aí a seguir algumas alternativas.

- Utilização da água do mar na indústria e na agricultura
- Desvios de água das zonas com abundância para zonas de escassez de recursos hídricos
- Reciclagem de águas residuais
- Aproveitamento do potencial calorífico das águas residuais como fonte de energia
- Utilização das águas residuais na rega para aumentar a produção
- Novas técnicas de exploração de águas subterrâneas
- Combinação de técnicas de tratamento microbiológico de águas residuais com novas técnicas de separação por membranas
- Nanotecnologia, técnicas de dessalinização inovadoras
- Técnicas de cristalização
- Desenvolvimento de membranas
- Sistemas de tratamento de baixo custo nos pontos de utilização
- Produtos de consumo destinados à eliminação de bactérias, vírus, parasitas e metais pesados
- Aumento da produtividade agrícola da água
- Abordagens agrícolas mais eficientes
-  Agricultura à base de água salgada
- Maior eficiência da utilização da água nas práticas agrícolas (Soluções de redistribuição)
- Reestruturação e recolocação da indústria em áreas de menor pressão sobre os recursos hídricos
- Proibição de emissão de licenças ambientais a indústrias que consumam recursos hídricos significativos  (Instrumentos e regulação econômica)
- Aumento do preço da água em alguns casos extremos
-  Maior regulação para o uso industrial da água
- Proteção do ambiente e respectiva regulação
- Preservação e restauração de ecossistemas que otimizem a captação de água e a mitigação das enchentes
-  Incentivos a programas de economia de água
- Patrocínio de campanhas públicas de educação ambiental para a utilização da água
- Definição de objetivos de redução do consumo de água per capita
(Relatório “As empresas no mundo da água”, WBCSD – World Business Council for Sustainable Development).


Aqui na reserva de Votarantim já se vivencia uma realidade melhor do que na maior parte do país

Fontes: www.ideiasustentavel.com.br
             www.folhaverdenews.com


7 comentários:

  1. Neste Dia Mundial da Água aqui nesta seção de comentários do nosso blog postamos na íntegra a Declaração dos Direitos da Água, da ONU, a seguir, como um estímulo para mudar a realidade atual. 21 anos depois de lançar esta Declaração a própria ONU reconhece a situação como crítica em relação aos recursos hídricos do planeta.

    ResponderExcluir
  2. Declaração Universal dos Direitos da Água
    Art. 1º - A água faz parte do patrimônio do planeta.Cada continente, cada povo, cada nação, cada região, cada cidade, cada cidadão é plenamente responsável aos olhos de todos.
    Art. 2º - A água é a seiva do nosso planeta.Ela é a condição essencial de vida de todo ser vegetal, animal ou humano. Sem ela não poderíamos conceber como são a atmosfera, o clima, a vegetação, a cultura ou a agricultura. O direito à água é um dos direitos fundamentais do ser humano: o direito à vida, tal qual é estipulado do Art. 3 º da Declaração dos Direitos do Homem.
    Art. 3º - Os recursos naturais de transformação da água em água potável são lentos, frágeis e muito limitados. Assim sendo, a água deve ser manipulada com racionalidade, precaução e parcimônia.
    Art. 4º - O equilíbrio e o futuro do nosso planeta dependem da preservação da água e de seus ciclos. Estes devem permanecer intactos e funcionando normalmente para garantir a continuidade da vida sobre a Terra. Este equilíbrio depende, em particular, da preservação dos mares e oceanos, por onde os ciclos começam.
    Art. 5º - A água não é somente uma herança dos nossos predecessores; ela é, sobretudo, um empréstimo aos nossos sucessores. Sua proteção constitui uma necessidade vital, assim como uma obrigação moral do homem para com as gerações presentes e futuras.
    Art. 6º - A água não é uma doação gratuita da natureza; ela tem um valor econômico: precisa-se saber que ela é, algumas vezes, rara e dispendiosa e que pode muito bem escassear em qualquer região do mundo.
    Art. 7º - A água não deve ser desperdiçada, nem poluída, nem envenenada. De maneira geral, sua utilização deve ser feita com consciência e discernimento para que não se chegue a uma situação de esgotamento ou de deterioração da qualidade das reservas atualmente disponíveis.
    Art. 8º - A utilização da água implica no respeito à lei. Sua proteção constitui uma obrigação jurídica para todo homem ou grupo social que a utiliza. Esta questão não deve ser ignorada nem pelo homem nem pelo Estado.
    Art. 9º - A gestão da água impõe um equilíbrio entre os imperativos de sua proteção e as necessidades de ordem econômica, sanitária e social.
    Art. 10º - O planejamento da gestão da água deve levar em conta a solidariedade e o consenso em razão de sua distribuição desigual sobre a Terra.

    ResponderExcluir
  3. Poste aqui a sua mensagem, opinião ou informação, outra opção é enviar um e-mail para a redação do nosso blog navepad@netsite.com.br e/ou ainda mandar seu e-mail inclusive com sugestão de pauta para nosso editor padinhafranca@gmail.com

    ResponderExcluir
  4. "Importante nesse Dia da Água esta matéria mesmo porque sofremos a maior seca de homens que amem de verdade, protegendo, nossos recursos naturais, isso no Brasil todo, privilegiado pela natureza mas prejudicado pelos desgovernos e pela falta de visão sociambiental de parte da população": quem comenta é Leonor Almeida, de São Paulo (SP), que é executiva de empresa florestal no interior.

    ResponderExcluir
  5. "Muito bom este blog divulgar o trabalho fora do comum da pianista Helene Grimaud": a mensagem nos foi enviada pelo músico Ari Souza, de Campinas (SP) que atua com MPB e erudito.

    ResponderExcluir
  6. "Curti esse relatório sobre a questão da água feita neste blog que sempre está levantando pautas e problemas ambientais, é o que a grande mídia deveria fazer e não faz": a opinião é de Geraldo Santos Pereira, de Belo Horizonte, Minas, ligado à UFMG. Agradecemos o elogio e vamos juntos à luta.

    ResponderExcluir
  7. "Fui no Youtube conferir mais músicas do CD Water e realmente esta pianista Helene Grimaud é um grande talento também de música ecológica, seja popular ou erudita": o comentário é de Luiz Mendes Silva, de Ribeirão Preto (SP), engenheiro eletrônico.

    ResponderExcluir

Translation

translation