quinta-feira, 3 de março de 2016

BRASIL NÃO TEM NEM ESTATÍSTICA DE CONTROLE CONFIÁVEL SOBRE NÚMERO DE MENINAS FORA DAS ESCOLAS

Este levantamento faz parte de um trabalho preparatório da Unesco para o Dia da Mulher que será amplamente divulgado na mídia na semana que vem

 

As crianças e adolescentes do sexo feminino são as principais vítimas

 A conclusão é da Unesco, no Brasil, faltam dados precisos sobre a evasão escolar no caso de crianças do sexo feminino. Pelo levantamento deste órgão da ONU, há quase 1,6 milhão de meninas que nunca irão à escola, isso em todo o planeta. No mundo, o número é duas vezes maior de meninas fora das escolas do que de meninos. Esta entidade mundial está agora levantando esta situação porque no próximo dia 8 de março, Dia da Mulher, a Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco) pretende fazer um alerta mundial sobre este problema. O Brasil também aparece, no Atlas sendo preparado, como um país sem dados estatísticos específicos sobre gênero na educação básica. É o Atlas de Desigualdade de Gênero na Educação, já disponível na Internet, sendo divulgado pela própria organização. De acordo com a Unesco, as meninas são as primeiras a ter negado o direito à educação. A desigualdade segue crescente principalmente nos Estados Árabes, na África Subsaariana e na Ásia Meridional e Ocidental. Na África Subsaariana, 9,5 milhões de meninas nunca entrarão em uma sala de aula. No caso dos meninos, serão 5 milhões, quase a metade do problema. Eliminar de vez as raízes do problemas e as desigualdades de gênero é um dos Objetivos do Desenvolvimento Sustentável (ODS), da ONU, atualmente, uma em cada oito crianças entre 6 e 15 anos está fora da escola e as meninas são as primeiras a serem excluídas. Mais de 63 milhões de meninas no mundo inteiro não recebem educação formal. "Nunca alcançaremos os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável se não conseguirmos vencer a discriminação e a pobreza que muito prejudicam e paralisam  a vida das meninas, das mulheres enfim, de geração a geração", comentou a diretora-geral da Unesco, Irina Bokova,no lançamento desta campanha que antecede a luta cidadã, cultural e humanitária do Dia da Mulher, semana que vem. Nosso blog se alia a esta luta maior.

 

O esporte tem sido em vários lugares um dos canais para integrar as meninas às escolas


Dados disponíveis no Brasil estão defasados, são ainda de 2013

 

Só no Sudeste há 1,2 milhão de pessoas de 4 a 17 anos que não estão estudando. São Paulo é o estado com mais crianças e adolescentes sem atendimento, embora seja o mais rico do país.  No Brasil, 92% das crianças e adolescentes de 4 a 17 anos frequentam escolas, ou seja, outros 3,6 milhões estão sem estudar. Apenas no Sudeste há 1,2 milhão de pessoas nessa faixa etária que não vão às aulas. São Paulo, repito o estado mais rico da Nação, tem o maior número absoluto de crianças e adolescentes não atendidos, 575 mil. A partir destes números, você tira as suas próprias conclusões e se posiciona nesta luta, que é de todos nós, mulheres, homens, seres humanos, em busca de nova realidade para nossa espécie ter futuro na vida. (Antônio de Pádua Silva Padinha)

 

 

Fontes: ONU/Unesco/Agência Brasil/Terra/Ig  -  www.folhaverdenews.com 

7 comentários:

  1. No Brasil, faltam dados precisos sobre a evasão escolar em especial no caso de meninas. Depois postaremos aqui mais informações sobre este fato nesta seção de comentários. Aguarde nossa edição.

    ResponderExcluir
  2. Você pode participar desde já, colocando aqui a sua opinião, informação ou comentário. Outra opção é você mandar a sua mensagem pro e-mail da redação do nosso blog de ecologia e de cidadania, através do webendereço navepad@netsite.com.br

    ResponderExcluir
  3. Você também pode trocar informações com o nosso editor de conteúdo, sugerir pautas ou debater problemas, como este enfocado hoje, aqui, enviando seu e-mail para padinhafranca@gmail. com

    ResponderExcluir
  4. "Ser criança pobre é difícil, negra mais ainda, mais e mais ainda, se for uma menina, os meninos dentro da estrutura de vários países, do Brasil também, tem a situação menos dramática": a opinião é de Fernando Ferreira Lemos, de Santo André (SP), que desenvolve um projeto ecológico e esportivo com crianças e adolescentes.

    ResponderExcluir
  5. Maria da Conceição Damasceno Cinti, advogada e educadora. Precursora da Educação Restaurativa, com experiência de mais de três décadas em tratamento de dependentes de substâncias psicoativas e em delinquência juvenil. ela mantém o blog http://educacaorestaurativa.blogspot.com.br/
    Entre neste webespaço e confira as informações desta profissional especializada. Vamos divulgar por aqui algumas de suas informações. Parabéns à Drª Maria Cinti, pelo seu trabalho social, de cidadania e humanitário.

    ResponderExcluir
  6. "Queria cumprimentar a DrªMaria da Conceição Cinti pelo trabalho que vem fazendo com meninas, vi o blog dela e estou divulgando": a mensagem é de Iasaías Moraes, de Campinas (SP), formado pela Unicamp e empresário nesta cidade.

    ResponderExcluir
  7. "Mais uma vez este blog Folha Verde antecipa uma informação importante, creio que ajuda a mais gente ganhar consciência dos problemas da mulher, já a partir da infância no Brasil": agradecemos o elogio e aqui estamos juntos com todos os que vão à luta pela cidadania, como Gerusa Fernandes, de Curitiba (Paraná), ela é médica, natural de São Paulo e está atuando em Saúde Pública há 29 anos.

    ResponderExcluir

Translation

translation