quarta-feira, 23 de março de 2016

ESTAMOS REPUBLICANDO NOSSA MATÉRIA SOBRE A OPÇÃO DA CIDADANIA PELA CONSTITUINTE A PEDIDO DE INTERNAUTAS E NOVAS LIDERANÇAS DO PAÍS

 ALTERNATIVA PARA O BRASIL É INSTALAR UMA CONSTITUINTE E ASSIM MUDAR A REALIDADE DA VIDA E DA POLÍTICA DO PAÍS QUE PRECISA VIRAR UMA NAÇÃO



Estamos republicando esta matéria, a pedidos de internautas de São Paulo e do Rio de Janeiro, entre eles, o assessor de Marina Silva (Bazileu Margarido Alves, Rede) e o advogado José Chiachiri Neto (líder de jovens advogados independentes da OAB-SP). Lideranças de todos os setores da população, também líderes do movimento ecológico, científico, cultural, de cidadania, precisamos invadir Brasília, reorganizar e reconstruir a Nação de  forma pacífica, inteligente, ética e sustentável


Entre caos ou violência duma guerra civil, o melhor é reconstruir em nova estrutura a Nação Brasil




A rota de fuga para o caos do Brasil agora é uma Constituinte Cidadã de verdade


Cresce a movimentação por mudanças estruturais no Brasil neste impasse de agora
 
 

Em meio às manifestações de cidadania e à crise econômica do Brasil de agora, bem como a desilusão com os políticos de variados partidos no Congresso como dos graves erros da gestão pública por parte do Governo (e os problemas do governo federal existem também em vários dos governos estaduais e municipais) talvez o melhor caminho para revigorar a ainda tênue democracia brasileira seja a sociedade civil reivindicar e os parlamentares em Brasília apresentarem uma Emenda Constitucional com a convocação de uma nova Constituinte. Isso significa buscar não só novas regras e outras leis para elaboração de uma nova Carta Magna, adaptada à atual realidade de hoje da Nação, como tentar toda uma outra estrutura eleitoral, como primeiro passo para uma vida política com mais ética e/ou com menos politicagem. Diante do caos do momento, só uma nova ordem jurídica e institucional é capaz de reanimar a população e recriar a credibilidade nas instituições, sem retrocesso à Ditadura Militar, sem a provocação de uma guerra civil entre os contrários e os favoráveis aos atuais governantes. Respeito às leis, sim, mas que leis? Estas que estão aí não vigoram, foram burladas, o Brasil não tem uma gestão pública de desenvolvimento de verdade, sustentável, equilibrando a economia com os recursos naturais, a ecologia com a produção agrícola e pecuária, alimentando a volta da produção industrial, aprimorando o processo de exportação, ampliando a oferta de empregos e da normalidade democrática. Mas que democracia? Uma nova Constituinte, a ser formada não apenas pelos deputados e senadores (desacreditados e corrompidos pelos lobbies ou propinas), mas por lideranças de todos os setores nacionais. O povo representado no Congresso por líderes de todos os setores organizados, não só partidos ou sindicatos, mas associações do comércio, da indústria, confederações, entidades ambientalistas, fundações culturais, enfim provocando uma invasão da cidadania no Congresso Nacional em Brasília, que então terá a partir daí a representatividade ou a credibilidade que não tem mais hoje. Fazendo valer mais os ideais da cidadania brasileira do que a politicagem da atualidade em todas as instâncias e em todos os partidos, poluindo e neutralizando as instituições, a transparência e as chances do Brasil reencontrar um rumo. A última Constituinte foi em 1988, reconstruindo a Nação após o governo ditatorial. Mas a chamada Constituição Cidadã ficou apenas no papel, discurso e não prática na legislação e na realidade: agora é o momento de se retomar este processo de reconstrução nacional. Todas as tendências e todos os setores precisam ser ouvidos e qualquer tipo de lobby precisa ser contido, para que os brasileiros e brasileiras consigam desta vez, com liberdade, inteligência e paz recriar nosso país, que ainda não é uma Nação de verdade, os fatos e o momento demonstram também a necessidade dum renascimento do Brasil. Este avanço só será possível dentro duma perspectiva internacional, global e -  mais ainda -  planetária, aí sim nosso povo poderá ter chances de ser feliz e de liderar não só o mercado mas a luta mundial para criar o futuro. O futuro hoje não existe para quase nenhum país da Terra. Este caos de agora é a chance histórica para o Brasil renascer com tudo e liderar um desenvolvimento sustentável mundial, a partir de mudanças e de avanços por aqui em nossa Nação. (Antônio de Pádua Silva Padinha)  


O desenvolvimento sustentável inclui tecnologia e ética para mudar a atual realidade


Urgente um renascimento da Nação e também da natureza brasileira....


A nova cara do Brasil aqui sintetizada em arte de Marcus Machado


Fontes: www.uol.com.br
             www.folhaverdenews.com 

16 comentários:

  1. Bazileu Margarido Alves, secretário geral da Rede, assessor de Marina Silva, tem defendido na mídia um Referendo, que existe na atual Constituição do país, que é de 1988 e reproduz o modelo dos EEUU de democracia.

    ResponderExcluir
  2. O Referendo não exigiria uma emenda constitucional, como é o caso da opção por uma nova Constituição, reorganizando a Nação em sua estrutura eleitoral, partidária, ampliando o potencial da cidadania e da ética, para o Brasil escapar da politicagem. Seja Referendo ou mesmo um Plebiscito ou uma emenda para possibilitar uma nova Conbstituinte (diante das novas necessidades do Brasil hoje), mudanças radicais, inteligentes, lúcidas, pacíficas, porecisam ser provocadas agora por todos os que amamos a Nação e queremos mudar a vida, o mundo, o modo de viver atual, que está furado mesmo.

    ResponderExcluir
  3. Dentro da OAB-SP, além da conhecida posição dos seus diretores, quase oculto sob o posicionamento oficial desta entidade civil de grande valor, hoje existe toda uma nova geração de advogados, com novas posições, entre eles, muitos já começam a se manifestar por mudanças jurídicas mais estruturais no Brasil, como Referendo, Plebiscito ou Constituinte.

    ResponderExcluir
  4. A PARTIR DE AGORA REPUBLICAMOS TAMBÉM COMENTÁRIOS E MENSAGENS QUE RECEBEMOS DESDE A 1ª POSTAGEM DESTA MATÉRIA. CONFIRA.
    Não se trata somente de tirar do poder um partido ou apenas um grupo político mas de reorganizar o país de forma inteligente, pacífica e sustentável a partir do caos de agora.

    ResponderExcluir
  5. Reconstruir o Brasil neste sentido só através de uma Constituinte, que é a elaboração não apenas de uma nova Constituição, novas leis, mas a criação de toda uma nova estrutura democrática, com ética e sem lobbies, com cidadania e sem violência...

    ResponderExcluir
  6. AINDA MAIS UM COMENTÁRIO DE NOSSA EQUIPE DO BLOG.
    Isso parece um discurso utópico, porém, basta uma emenda no Congresso instalar uma nova Assembléia Nacional Constituinte, não apenas através de deputados e senadores, mas de líderes de todos os setores do país. Assim, em meio a este caos e esta crise, ao invés de por exemplo uma guerra civil ou de um remendo na realidade, nossa população precisa aproveitar a chance e transformar nosso país definitivamente em uma Nação.


    ResponderExcluir
  7. Entre aqui e coloque a sua opinião ou então envie o seu comentário para o e-mail da redação do nosso blog de cidadania navepad@netsite.com.br e/ou mande a sua mensagem ou sugestão de pauta para o editor de conteúdo deste nosso webespaço, ligado agora neste movimento maior de que todos precisamos participar padinhafranca@gmail.com

    ResponderExcluir
  8. "Curti muito este editorial que é um roteiro para o Brasil sair do desespero e entrar numa nova realidade porque esta de hoje não dá": a mensagem nos foi enviada por Isaura Mendes Barbosa, de São Paulo (SP), estudante de Sociologia na USP.

    ResponderExcluir
  9. "Não é o caso de PT ou PSDB mas de uma outra forma de política": comenta por sua vez o engenheiro José Américo, veio da Bahia e atua em empresas do interior paulista, em especial, na região de Campinas (SP).

    ResponderExcluir
  10. "Estamos vivendo ou sofrendo uma democratura (algo como democracia + ditadura), isso não se refere só ao PT (ou ao PSDB ou outro partido no poder) mas também a alguns membros do Poder Judiciário que julgam e decidem politicamente e não realmente de forma judicial": quem comenta é o advogado Péricles Batista, de Araraquara (SP).

    ResponderExcluir
  11. "Todas essa confusão que toma conta do país, uma confusão política, jurídica, econômica, até mesmo institucional, tudo isso vai ficar sendo debatido durante 3, 4, 5 meses e como ficam o Brasil e mais ainda, a população, diante dos problemas mais imediatos como desemprego? Uma Constituinte é demorada sim, mas pode se resolver em no máximo 90 dias": o comentário é de Beatriz Sandoval Silva Prestes, de Juiz de Fora (MG), que prepara um livro sobre a Constituição Cidadã de 1988 e na pesquisa, encontrou este texto do nosso blog: "São informações procedentes e atualíssimas".

    ResponderExcluir
  12. "Em meio de tanta loucura, desespero e caos, finalmente encontrei aqui uma proposta, parabéns": é a mensagem de Valdecir de Morais, músico, do Rio de Janeiro (RJ). Nós é que agradecemos, Valdeci.

    ResponderExcluir
  13. "A Consituinte de 1988 foi apenas no discurso Cidadã, nas palavras do Ulisses Guimarães, mas agora é a hora, uma necessidade de fato, que seja realmente criada uma estrutura de cidadania para despoluir a política no Brasil, através de novas leis e de novas práticas": o comentário é de Leonor Ribeiro, economista, que atua na área de consultoria empresarial em Vitória (ES).

    ResponderExcluir
  14. "A questão da convocação de uma Assembléia Nacional Constituinte foi colocada com certa freqüência, nestes últimos anos, particularmente após dificuldades causadas por falta de ética e corrupção de partidos políticos. Ela apareceu nas proposições da OAB, nos debates da SBPC e nas mudanças que o Brasil precisa, ainda mais agora com toda essa confusão no país": o comentário é de João Pedro Paes, de Ribeirão Preto (SP), ligado à OAB São Paulo.


    ResponderExcluir
  15. "Concordo que volta a ser urgente uma Constituinte agora. Pesquisando este tema no G1 vi que A Assembleia Nacional Constituinte reúne pessoas escolhidas para redigir ou reformar a Constituição, lei maior de um país e que rege todas as outras leis vigentes. A atual Carta do Brasil é de 1988 e não contou com pessoas eleitas exclusivamente para a tarefa, tendo sido elaborada por deputados e senadores, agora seria essencial a participação de lideranças de todos os setores porque os parlamentares estão desacreditados e dominados por lobbies e outros interesses": o comentário é de Lúcia Almeida, advogada, atuando no momento em escritório de assessoria jurídica a empresas em São Paulo (SP).

    ResponderExcluir
  16. "Não basta só derrubar políticos que estão no poder, como vem buscando alguns grupos que tem pessoas do Vem pra Rua e do Movimento Brasil (MBR). é essencial mudar a estrutura política do país. Não se trata da reforma política de anos atrás, mas agora é urgente mesmo uma série de alterações profundas no processo eleitoral e partidário para que o Brasil se reequilibre com mais ética e cidadania": a mensagem nos foi enviada por Tadeu Santos, de Porto Alegre (RGS), ele que hoje é repórter free-lancer e também empreendedor de turismo.

    ResponderExcluir

Translation

translation