quarta-feira, 13 de abril de 2016

SITUAÇÃO NEGATIVA DEMAIS NA POLÍTICA MAS NA ECONOMIA NOTÍCIA POSITIVA: AUMENTA A PROCURA POR UMA ALIMENTAÇÃO SAUDÁVEL NO BRASIL

Pesquisa do Datafolha mostra que cresceu a busca por alimentação saudável no país apesar dos pesares



A pesquisa foi tema de Marli Moreira da Agência Brasil e de reportagem no site redebrasilatual e a gente resume estas informações, que têm um conteúdo positivo, aqui no blog da ecologia e da cidadania Folha Verde News, ressalvando porém, que apesar deste levantamento de agora, vale citar que somente 22% dos brasileiros e brasileiras têm uma alimentação considerada saudável pela OMS, Organização Mundial da Saúde, da ONU, que recomenda como padrão pelo menos 400 gramas/dia de frutas, legumes e verduras, para favorecer a saúde e afastar as doenças. Além do equilíbrio na rotina alimentar, com  frutas, verduras e legumes, todos precisam, mais ainda as crianças, de comida de verdade e não de sanduíches, guloseimas e merenda seca, como a que vem sendo praticada nas escolas da rede pública de ensino no estado de São Paulo, por contradição e por sinal, o mais rico do país. Esta situação crítica, por exemplo da merenda seca, denunciada pela Apeoesp, precisa ser colocada aqui quando registramos esta pesquisa econômica positiva, que aponta aumento na busca por frutas, verduras, legumes e sucos naturais ou até mesmo por alimentos orgânicos, mais limpos. O cardápio do dia a dia dos brasileiros está ficando mais colorido com verduras, legumes e frutas, alimentos considerados saudáveis. É o que aponta pesquisa, feita pelo Instituto Datafolha, para a Associação das Empresas e Refeição e Alimentação Convênio para o Trabalhador (Assert). O levantamento sendo divulgado agora foi produzido entre 14 e 22 de dezembro do ano passado e entre 6 e 16 de janeiro deste ano, abrangendo 51 cidades das quais 23 são capitais. Foram feitas 4.560 entrevistas com proprietários de estabelecimentos ou responsáveis por informações sobre preços. Os pesquisadores foram a restaurantes, bares, lanchonetes e padarias. Mais da metade dos consultados (56%) acredita que os clientes estão cada vez mais interessados no consumo de uma alimentação saudável. Do total entrevistado, 53% notaram aumento na procura por frutas; 61% observaram que os clientes estão comendo mais verduras e legumes e 65% observaram que cresceu o consumo de sucos naturais. Já a preferência pela combinação do arroz com feijão não houve alteração, segundo 58% dos consultados.

 
Tem sido muito criticada por nutricionistas a troca de comida de verdade por merenda seca 

 

Economia é o fator nº 1 de decisão na hora da comida

 

 
Apesar da tendência positiva captada pela pesquisa do DataFolha só 22% dos brasileiros têm hoje uma alimentação saudável



Um outro enfoque desta mesma pesquisa mostra que na apuração, foram coletadas informações sobre preços de 5.436 pratos. Segundo o estudo, o trabalhador que almoça fora de casa gastou em média, no começo do ano, R$ 30,48 por refeição. O valor é superior à média registrada em 2015 (R$ 27,36%) e corresponde a 76,2% da renda de um trabalhador que recebe salário mínimo. Em duas das cinco regiões pesquisadas, foi constatado um custo por refeição acima da média, caso do sul do país (R$ 31,74) e do sudeste (R$ 30,93). A região com o menor valor é a centro-oeste, onde o trabalhador paga, em média, R$ 26,73. No norte do país, a refeição custa, em média, R$ 28,48 e, no nordeste, R$ 29,18. No sudeste, entre as cidades do estado de São Paulo com a refeição mais cara figura Santos, no litoral, com R$ 34,83. O segundo maior valor foi constatado na região de Campinas (R$33,01). No Rio de Janeiro, aparece Niterói na frente (R$ 37,52) e, em Minas Gerais, Belo Horizonte (R$ 24,52). No centro-oeste, o maior desembolso ocorre em Brasília (R$ 28,10); no sul, em Blumenau (R$ 38,29); no nordeste, São Luis (R$ 35,57) e no Norte, em Palmas (R$ 28,79). O estudo marca a comemoração dos 40 anos do Programa de Alimentação do Trabalhador que contempla cerca de 20 milhões de pessoas. Com base em dados oficiais, a Assert informou que, no ano passado, 19,5 milhões de trabalhadores foram beneficiados pelo programa de alimentação subsidiada. Desses, 16,2 milhões ou 83,2% têm renda mensal de até cinco salários mínimos. O total de empresas engajadas no programa é de 223,4 mil. Já as empresas fornecedoras de alimentação somam 13,8 mil; as prestadoras de serviços em alimentação coletiva são 249 e o número de profissionais habilitados em nutrição vinculados ao programa é de 22,2 mil. 


A tendência positiva por enquanto se refere mais aos que se alimentam fora de casa


De toda forma, nós aqui no blog da ecologia e da cidadania, Folha Verde News, apesar de divulgar a tendência positiva deste levantamento do Datafolha para a Asserf, destacamos que a maioria da população ainda se alimenta mal, fatos como a desnutrição, a obesidade e o aumento de doenças por estes desequilíbrios alimentares dos brasileiros e brasileiras continuam sendo preocupantes, seguem sendo válidos os números da OMS que só uma minoria (22%) vem tendo acesso no Brasil a uma alimentação saudável. O padrão de qualidade poderá mudar bem mais positivamente com a popularização dos alimentos orgânicos e a democratização dos seus preços...Esta pesquisa é tão somente um sinal de que a situação pode, deve e já mostra sinais de mudanças.



A popularização dos alimentos orgânicos e a democratização dos seus preços podem mudar para melhor


Fontes: Agência Brasil
             www.redebrasilatual.com.br
             www.folhaverdenews.com 

5 comentários:

  1. Logo mais, mais informações nesta seção de comentários aqui do blog da ecologia e da cidadania sobre esta pauta de importância também para a saúde e para a economia brasileira.

    ResponderExcluir
  2. Em meio ao horror de tantas pesquisas ou descobertas negativas na realidade do país, ao menos esta tendência do mercado de alimentação (a busca por alimentos mais saudáveis) já nos dá um alento de que a realidade, ainda negativa no país, segundo dados da OMS, possa evoluir.

    ResponderExcluir
  3. Entre aqui e deixe a sua informação ou comentario. Outra opção: envie sua mensagem para o e-mail da redação deste blog navepad@netsite.com.br e/ou mande uma mensagem pro nosso editor de conteúdo, também para sugerir alguma pauta, enviando sua msm pro e-mail padinhafranca@gmail.com

    ResponderExcluir
  4. "Todos discutem a política ou a politicagem nesse momento do país, acho importante questionar outras coisas como a alimentação da população, essa desgraça nacional da corrupção não enche barriga": o comentário é de Isabele Mendes, estudante da PUC no Rio de Janeiro (RJ).

    ResponderExcluir
  5. "realmente está péssima a política e a economia não fica atrás, mas essa última pelo menos tem essa tendência positiva registrada pelo Datafolha": é parte de um comentário de Jarbas Alvarez, de Campinas (SP), ele cita números que mostram esta região como uma de alimentos mais caros no Brasil.

    ResponderExcluir

Translation

translation