segunda-feira, 13 de junho de 2016

NO SANTA TEREZA ONDE NASCEU CLUBE DA ESQUINA UM PROTESTO CONTRA O AUMENTO DA VIOLÊNCIA HOJE NO PAÍS



Outros tempos: o Santa Tereza que foi berço do Clube da Esquina da MPB está virando também mais um point da violência que é algo que se espalha por aqui e por todos os lugares do Brasil hoje


No Santa Tereza em BH e em vários lugares do país a violência aumenta


Fomos informados aqui no blog Folha Verde News por Isabela Meirelles, do jornal e site O Tempo, de Belo Horizonte (MG) sobre a iniciativa dum grupo de moradores do bairro Santa Tereza, na região leste desta cidade, "fizeram uma caminhada contra a violência e a impunidade, um ato nesse domingo na praça Duque de Caxias": foi na verdade um pequeno protesto com cerca de 100 cidadãos e cidadãs mas muito expressivo porque mostra a própria população tentando melhorar a sua condição de vida e de segurança, diante da falta de medidas do poder público e da ineficiência do policiamento num bairro, que na paisagem ainda lembra uma cidade do interior dentro de BH, mas onde os índices de violência já vem aumentando demais. O Santa Tereza era um oásis de tranquilidade há alguns anos ou décadas, reduto ainda hoje da boêmia, dos barzinhos de MPB ao vivo e do histórico Clube da Esquina, um dos movimento mais importantes da música brasileira. Mas os protestos aconteceram também em outros lugares que já foram mais calmos, que é o caso também de Petrolina (Pernambuco) onde moradores também se manifestaram contra a situação cada vez mais violenta e a falta de segurança das pessoas cada vez maior. Em Santa Tereza, em Petrolina (PE), em dezenas de locais pelo Brasil afora, a sociedade civil está alertando as autoridades públicas sobre o surto de violência está se espalhando por todos lugares, até em cidades pequenas do interior, como também por aqui no nordeste paulista também. Lá na zona leste em Belo Horizonte, o morador do bairro Santa Tereza desde que nasceu, Waldir Giorgioni Júnior, de 44 anos, foi um dos organizadores do protesto e afirma que a situação ali hoje é algo assustador: "A ideia da caminhada não é só relativa aos crimes que aconteceram nessas últimas semanas, mas é uma maneira geral de chamar a atenção da população que a violência está se espalhando pelo Brasil, prejudicando a vida de todos nós". Os moradores entregaram uma carta sobre esta reivindicação ao comando do 16º Batalhão da Polícia Militar. Neste mesmo dia, ciclistas que participavam do Tweed Ride também ali no Santa Tereza deram uma força ao protesto dos moradores, algo que também aconteceu numa concentração de hip hop e de rap neste bairro, onde ainda sobrevive um agito cultural. Até foi formada uma fila de moradores de rua em BH em busca de alimentos e cobertores.Foi neste lugar especial que rolaram encontros que levaram  a nascer movimentos musicais e bandas famosas, não só o Clube da Esquina, também o grupo Skank e a banda de rock Sepultura. Até seresta existia no bairro que ainda tem um dos carnavais mais animados na rua e esta tradição de cultura e de lazer hoje contrasta com a violência da realidade, também em BH, em Minas, no Brasil e no mundo... O  cantor e compositor Teo Borges, que participou do Clube da Esquina e que viveu por muitos anos no bairro, revela que “em todas aquelas esquinas do Santa Tereza, há muita história para se contar, em especial, no cruzamento das ruas Divinópolis com Paraisópolis,  Milton Nascimento, Lô Borges, Beto Guedes, Fernando Brant, Marilton, entre outros, fizeram composições que marcaram a música popular do país e fizeram história aqui nessa região cheia de verde em torno da praça Duque de Caxias, que virou um point da história mineira e de manifestações culturais". Luís Américo Lisboa Júnior também conta detalhes históricos do Clube da Esquina, a partir do disco de Milton Nascimento, lançado ali em 1972, todo um movimento que contou com o apoio da família Borges de músicos, Wagner Tiso, Tavinho Moura, Fernando Brant, Beto Guedes e muitos outros talentos da música e da poesia. Agora são outros tempos e nas esquinas antes tranquilas de Santa Tereza há outros sons e acontecimentos, a violência de variadas formas avança no dia a dia daqui e de todo lugar do país.




O Santa Tereza  já foi um lugar bem mais tranquilo em BH

O Santa Tereza ainda é um point de barzinhos e de MPB

Não foi só no Santa Tereza e em BH que moradores protestaram

Numa esquina do Santa Tereza a turma de Milton Nascimento em 1972

1972 o disco histórico do Clube da Esquina























Fontes: www.otempo.com.br

             www.folhaverdenews.com


7 comentários:

  1. Logo mais aqui nesta seção de comentários, debate sobre a violência que pipoca por vários lugares do país, até em bairros antes tranquilos como o Santa Tereza na zona leste de BH ou em cidades pequenas daqui do nordeste paulista.

    ResponderExcluir
  2. Seja em Petrolina em Pernambuco, seja onde for, em todo lugar, no Brasil, nas grandes, médias e até nas pequenas comunidades (como também em vários lugares do planeta todo) a violência está aumentando demais. Diante desta tendência a iniciativa de moradores como os do bairro Santa Tereza domingo em BH é de muito valor nessa hora e nesse contexto.

    ResponderExcluir
  3. Coloque aqui nesta seção o seu comentário. Uma outra opção é você enviar uma mensagem com a sua opinião, informação, foto para o e-mail da nossa redação navepad@netsite.com.br

    ResponderExcluir
  4. Há ainda a opção de enviar sua msm pro e-mail do editor de conteúdo deste nosso blog de cidadania, não violência e ecologia padinhafranca@gmail.com

    ResponderExcluir
  5. "Padinha, eu estava nesse protesto no Santa Tereza e depois vi também a fila de moradores de rua por comida e cobertores, quer dizer, não é só a violência mas toda uma falta de condição de vida que vai se agravando em todo lugar": comentário de Nilson Gonçalves, que é de Ribeirão Preto (SP) e estuda na PUC de Minas Gerais em BH.

    ResponderExcluir
  6. "A sociedade civil tem que fazer um movimento de massa se quiser mudar essa realidade": a opinião é de Isaura Santos, de Taubaté (SP), que nos mandou notícias locais sobre violência nessa cidade que também já foi mais tranquila.

    ResponderExcluir
  7. "Aconteceu aquela tragédia nos Estados Unidos nesses dias, mais uma vez, também na Eurocopa teve violência entre torcedores, por aqui no Brasil, por todos os lados, o movimento dos jovens da cidadania deveria por essa luta nas ruas": comentário de José Paulo, de Santos (SP), que é técnico de exportação e de importação.

    ResponderExcluir

Translation

translation