quinta-feira, 9 de junho de 2016

ONTEM EM PARIS MATEMÁTICO BRASILEIRO RECEBEU PRÊMIO MUNDIAL DO INSTITUT DE FRANCE JUNTO COM PESQUISADOR FRANCÊS




Matemático brasileiro ganha o maior prêmio científico da França em parceria com François Labourie, da Universidade de Nice: ele critica a realidade da ciência em nosso país




Marcelo Viana atua no Instituto Nacional de Matemática Pura e Aplicada (Impa)


Através de César Baima, do jornal e site O Globo, nos chega aqui no blog da gente a informação que é muito positiva para os pesquisadores e a própria ciência no Brasil, dando conta que o diretor-geral do Instituto Nacional de Matemática Pura e Aplicada (Impa), Marcelo Viana é um dos vencedores da edição deste ano do Grande Prêmio Científico Louis D., que é apontado atualmente como a mais importante premiação científica da França e uma das que tem maior prestígio na Europa. Concedido desde 2000 pelo Institut de France, congregação das cinco mais respeitadas e seculares academias francesas, esta é a primeira vez que o prêmio é conquistada por um brasileiro  e matemático, valendo destacar que Marcelo Viana divide este importante prêmio internacional com François Labourie, da Universidade de Nice A cerimônia de entrega rolou ontem em Paris e a repercussão é mundial, aqui dentro do nosso país com certeza mereceria maior destaque da mídia. O matemático Viana dividiu assim o prestígio e os 450 mil euros (cerca de R$ 1,8 milhão) com o pesquisador francês e também matemático, François Labourie, da Universidade de Nice. Ambos se destacaram por seus trabalhos na área de Geometria e Sistemas Dinâmicos, tema da edição deste ano, e pelos projetos apresentados na sua inscrição, já que 90% do valor do prêmio devem ser aplicados em pesquisa e apenas 10% ficam com os vencedores. "A questão do prêmio em dinheiro é considerável mas não é o que mais importa para um estímulo à pesquisa e aos cientistas brasileiros em geral, é um destaque acadêmico enorme e um reconhecimento do trabalho que a gente faz aqui no Impaa". Viana acrescenta "que o dinheiro do prêmio também vem em boa hora, estes recursos são muito bem-vindos na situação atual. Com ele, vamos financiar durante quatro a cinco anos todo um novo projeto de colaboração que vai contar com a participação de 12 jovens matemáticos, metade brasileiros e metade franceses, para um estudo de sistemas dinâmicos. Além disso, vamos abrir espaço para outros matemáticos brasileiros e franceses apresentarem propostas de estudos colaborativos em outras áreas correlatas desta pesquisa". Este pesquisador carioca  é popular no Brasil mais do que  por dirigir o Instituto pde Matemática Pura e Aplicada (Impa), mas em especial por  organizar a Olimpíada Brasileira de Matemática das Escolas Públicas.


Marcelo Viana critica erros e limites em relação à ciência e pesquisadores no Brasil


Ainda ontem, na cerimônia de entrega do prêmio pelo Institut de France em Paris, o matemático brasileiro Marcelo Viana não perdeu o espírito crítico deixou claro que assim como muitos outros cientistas brasileiros, ele está preocupado com os crescentes cortes nos investimentos em pesquisas no país e a recente fusão dos ministérios da Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI) com o das Comunicações promovida pelo presidente interino Michel Temer em Brasília (DF): "O MCTI tem uma história de sucesso, um time que estava ganhando e ainda assim, mexeram errado nesse setor". Para jornalistas europeus que estavam presentes à cerimônia na noite desta quarta-feira, ele explicou que "já estamos sofrendo com o corte de verbas e esta fusão, artificial de dois ministérios bem diferentes um do outro será ainda pior para a ciência. Foi uma ideia muito ruim esta fusão com o ministério das Comunicações, que na realidade não tem nada a ver com ciência e pesquisa, pode atrapalhar um avanço brasileiro maior nos próximos anos".



Marcelo Viana alertou ainda ontem sobre mais um erro em relação à ciência no Brasil 

 
Fontes: www.oglobo.globo.com
              www.folhaverdenews.com

10 comentários:

  1. Depois vamos editar aqui mais informações sobre esta premiação de importância mundial e também bore as críticas à realidade da ciência no Brasil, feitas por Marcelo Viana ao receber o prêmio ontem em Paris.

    ResponderExcluir
  2. Entre aqui nesta seção de comentários e confira, participe e coloque aqui também a sua mensagem, informação ou opinião.

    ResponderExcluir
  3. Você pode também enviar informações, fotos e msm para o e-mail da redação do nosso blog que atua pelo movimento ecológico, científico e de cidadania através do webendereço a seguir: navepad@netsite.com.br

    ResponderExcluir
  4. Você também tem a opção de enviar um e-mail direto pro editor de conteúdo do nosso blog, inclusive, sugerindo pautas: padinhafranca@gmail.com

    ResponderExcluir
  5. "Importantíssimo este prêmio para a ciência e para o Brasil, bem como importante também a visão crítica de Marcelo Viana": comentário de Alaor da Silva Mendes, do Rio de Janeiro (RJ), advogado, que conhecia este pesquisador por causa da Olimpíada de Matemática.

    ResponderExcluir
  6. "A gente quer que as críticas de Marcelo Viana sejam ouvidas, ele as faz com todo conhecimento da área científica e ainda mais depois deste prêmio, merece crédito": o comentário é de Izabela Silva Sanches, de São Paulo (SP), produtora cultural.

    ResponderExcluir
  7. "Ele já era respeitado por dirigir o Instituto de Matemática Pura e Aplicada e por organizar muito bem a Olimpíada Brasileira de Matemática das Escolas Públicas, agora com este prêmio vai então avançar ainda mais sua liderança positiva": é o comentário de Valdir Antônio Borges, de Araxá em Minas, que chegou a fazer a Universidade Federal de Uberlândia que teve que largar para trabalhar e ajudar a sobrevivência da sua família: "Assim como eu, a pobreza faz o país perder muitos cientistas".

    ResponderExcluir
  8. "Se for dado apoio e estrutura ao trabalho dos cientistas e da pesquisa no Brasil, evoluiremos mais e mais rápido": comentário de Geraldo Silveira, de Passos (MG), técnico agropecuário.

    ResponderExcluir
  9. "Um absurdo o Governo não enxergar ou se enxergar não considerar a diferença entre ciência, inovação e tecnologia com comunicação na hora de fundir ministérios": comentário de Fernanda Alves Silva, de São Paulo (SP), publicitária.

    ResponderExcluir
  10. "O Brasil para avançar tem que priorizar a educação, a cultura e a ciência, além de proteger melhor os recursos naturais": comentário de Inês Porto Menezes, de Porto Alegre (RGS) que atualmente mora por razões familiares em São Paulo.

    ResponderExcluir

Translation

translation