sexta-feira, 3 de junho de 2016

RÁDIO IMPERADOR AM DE FRANCA (SP) SE ANTECIPA E FAZ DESDE JÁ ALERTA SOBRE DIA MUNDIAL DA ECOLOGIA QUE SERÁ DOMINGO

Emissora popular do interior paulista antecipa as informações e a luta para resgatar a ecologia perdida das águas por aqui no interior paulista e mineiro como é urgente em quase todo lugar do país e do planeta
 


Esta rádio de alcance regional, nordeste paulista, perto de Minas Gerais 920 khz, Rádio Imperador da Franca AM realizou nesta sexta, 3 de junho, um batepapo sobre a urgência da luta para resgatar a ecologia perdida por aqui, problema de praticamente todo lugar do mundo: esta data da ONU não é de festa e sim de alerta, foi o conteúdo da reportagem dentro do Bom Dia Cidade na Rádio Imperador AM via o jornalismo desta emissora, uma entrevista feita pelo repórter Cássio Freires: a gente vai postar depois por aqui no blog Folha Verde News e também no Facebook o áudio da reportagem feita com o editor deste blog, em nome do movimento ecológico, científico e de cidadania. O destaque é a urgência dum tratamento terciário de nossas águas, a bem da saúde do ambiente, da população e do Aquífero Guarani. Esta reserva hídrica, uma das mais importantes do planeta, um dos maiores aquíferos da América Latina é abastecida pelas nascentes, córregos, riachos e rios daqui e que vêm desde a Serra da Canastra no sudoeste mineiro, onde nasce o também o Rio São Francisco, a 100km em linha reta da cidade de Franca, já no lado paulista da divisa com Minas Gerais.  E este é um motivo a mais para a plena recuperação da ecologia de nossas águas por aqui no interior do país que um dia, já foi da natureza...Bem, mas toda esta macrorregião foi uma estância hidromineral há cerca de 100 anos, antes da urbanização e no caso de Franca em São Paulo, Claraval e São Sebastião do Paraíso em Minas Gerais, da industrialização de couros e de calçados. Nos curtumes de couro as águas industriais contém cromo (metal pesado). Nos anos 90 se iniciou a despoluição destes efluentes industriais por aqui, sendo implantado um tratamento primário e secundário no polo industrial, além duma ETE da Sabesp para tratar esgoto doméstico. Mas este processo de avanço junto aos curtumes foi sendo abandonado e interrompido, tem acontecido acidentes pontuais, hoje carece de mais investimentos e dum tratamento terciário, recuperando a potabilidade e a ecologia das águas regionais. Em Israel, um tratamento terciário é realizado através da Energia Solar e lá o esgoto se transforma em água potável. A tecnologia ambiental hoje possibilita mesmo uma recuperação da ecologia hídrica, sendo que o nosso movimento precisa cobrar estes novos investimentos na despoluição total das águas do nordeste paulista e sudoeste mineiro, fundamentais para o Aquífero Guarani e para o resgate de nossa natureza por aqui no interior do Brasil. Estes investimentos, em nível federal, estadual e municipal terão com certeza a participação das empresas regionais da indústria coureira calçadista (como foi a primeira parceria feita na década de 90) e hoje com um avanço a mais: entidades internacionais de meio ambiente, países do chamado 1º Mundo e a própria agência ambiental da ONU têm como entrar neste processo de despoluição, atenuando o desafio local e regional. Uma despoluição total colocará Franca como um point mundial de sustentabilidade, ampliando também o seu alcance de mercado de calçados e couros no Brasil e em todo mundo, ainda mais agora quando a exportação é o principal fator de recuperação desta indústria. Este potencial de recriação do nosso futuro da vida por aqui é uma boa notícia para o Dia Mundial do Meio Ambiente, só que este avanço depende da recuperação ambiental continuar e retomar o embalo dos anos 90, ela não depende só dos ecologistas e dos cientistas (como Giuseppe Clonfero, químico italiano especializado neste setor e que esteve por aqui em nossos curtumes). Depende da implantação de uma gestão sustentável de desenvolvimento, equilibrando os interesses econômicos com os ecológicos, despoluindo em uma nova fase de tratamento terciário as águas regionais e dando uma destinação ecologicamente certa ao lodo que resta deste processo póstratamento. É uma nova fase de luta socioambiental e de avanço de todos setores da comunidade para recriar a ecologia de nossas águas por aqui e por aonde der vale demais um avanço deste tipo.(Antônio de Pádua Silva Padinha)

Foto do GCN sobre o sistema de tratamento dos efluentes dos curtumes em Franca

 A energia solar possibilita um tratamento terciário despoluindo mais ainda
O Rio Canoas na divisa entre a Serra da Canastra (MG) e Franca (SP)

Rio Grande com hidrelétrcias nacionais e recursos hídricos regionais

Em toda macrorregião recursos hidrominerais e ecoturismo

Rio São Francisco a 100km em linha reta de Franca é ícone no interior do país
Ouça a entrevista concedida á Rádio Imperador 

Fontes: www.radioimperador.com.br
             www.folhaverdenews.com 

10 comentários:

  1. Logo mais, mais informações sobre esta pauta aqui nesta seção de comentários deste blog da ecologia e da cidadania: aguarde nossa edição e coloque aqui desde já a sua mensagem. Confira e participe dos comentários.

    ResponderExcluir
  2. Para isso, você pode também enviar sua mensagem pro e-mail do nosso blog navepad@netsite.com.br

    ResponderExcluir
  3. Outra opção: envie seu e-mail diretamente para o nosso editor de conteúdo padinhafranca@gmail.com inclusive sugerindo pautas, mandando fotos, informações e outros dados.

    ResponderExcluir
  4. "Considero fundamental resgatar a ecologia das águas desta região aí que abastece o Aquífero Guarani e que já é privilegiada em águas e em despoluição, com o tratamento terciário será uma vanguarda mundial": o comentário é do engenheiro José Alberto, da USP, que conhece a região e a questão da despoluição das águas.

    ResponderExcluir
  5. "De repente, o desenvolvimento sustentável faz um meio campo entre a riqueza natural do passado da nossa região com o futuro da gente por aqui": é o comentário de Jorge Ramos, apicultor junto ao Rio Canoas, na divisa entre São Paulo e Minas Gerais.

    ResponderExcluir
  6. "Acompanhei recentemente uma palestra e debate com um pesquisador por aqui em Bauru, que falou sobre a importância hoje em dia do conceito da resiliência que é a recuperação da ecologia perdida como vocês colocam hoje neste blog": comentário de Saulo Alves dos Santos, que atua no movimento ecológico naquela região onde trabalha como promoter.

    ResponderExcluir
  7. "Acabo de ouvir na Rádio Imperador a entrevista com o Padinha, valeu, por escrito aqui no blog a gente pode pegar melhor os detalhes": comentário de Luís Carlos Fernandes Ferreira, de Batatais (SP), ele informa que estava na Rodovia Cândido Portinari a caminho de Uberaba (MG) e captou a Rádio Imperador no seu carro.

    ResponderExcluir
  8. "Essa matéria é legal porque mostra com clareza como é possível o desenvolvimento sustentável a bem tanto da economia como da ecologia": comentário de Altino Freitas, economista que atua como consultor em empresas no ABC.

    ResponderExcluir
  9. "Um tratamento terciário, despoluindo totalmente as águas industriais, com tecnologia de ponta, isso realmente vai destacar mais ainda Franca no mercado nacional e internacional de couros e de calçados, além de recuperar a ecologia das águas, nesta região de muito valor hídrico, como bem coloca esta matéria": comentário de Jonas Pereira, de São José dos Campos (SP), que quer se especializar em Economia Verde na USP.

    ResponderExcluir
  10. "Como está dito nesta matéria, é preciso equiparar a ecologia com a economia para uma cidade, uma região, o país e até o planeta terem chance de uma vida futura": o comentário é de Isabel Moreira dos Santos, do Rio de Janeiro, ligada ao ambientalismo, que tem participado de manifestações de cidadania, cursando Biologia na PUC.

    ResponderExcluir

Translation

translation