quarta-feira, 6 de julho de 2016

LIVRO RELATA A LUTA PELA DESPOLUIÇÃO DA BAIA DE GUANABARA: VERDADE OU FRACASSO GOVERNAMENTAL NOS JOGOS OLÍMPICOS RIO 2016?

Baia de Guanabara: Descaso e Resistência é o livro do jornalista ambiental Emanuel Alencar que com o apoio da fundação alemã Heinrich Boll está sendo lançado agora às vésperas da Olimpíada do Rio de Janeiro

 

 
Há tempos este repórter e os ecologistas lutam pela despoluição da Guanabara e do Rio

 

Há 10 anos Emanuel Alencar vem acompanhando o dia a dia da luta pela despoluição da Baia de Guanabara, inicialmente como repórter do jornal O Globo, onde trabalhou desde 2007, mais recentemente pesquisando e escrevendo o livro Baia de Guanabara: Descaso e Resistência, desafio para o qual contou com um apoio da Heinrich Boll Stiftung, fundação que dá suporte a ações socioambientais em vários países e ao Partido Verde da Alemanha: para escrever, Emanuel contou inclusive com um infográfico sobre a situação de várias baias no planeta, bem como, outras informações graças a esta parceria internacional, algo fundamental para a sua liberdade como autor num assunto tão polêmico como este, às vésperas dos Jogos Olímpicos Rio 2016. Autoridades cariocas falam que a despoluição está caminhando bem, mas com base em suas observações e também levantamento de pesquisadores ou técnicos ambientais, o autor afirma que a poluição desta baia ícone da Cidade Maravilhosa (ou ex-Cidade Maravilhosa, por causa da violência e da poluição) está ainda em torno de 70%: "O Governador do Rio fala que vai despoluir em 80% até o começo dos Jogos Olímpicos, mas esta marca é impossível de ser atingida, hoje a despoluição da Baia de Guanabara está entre 20 e 35% no máximo e faltam menos de 30 dias para iniciar a Olimpíada", é o que em resumo comentou o repórter e autor Emanuel Alencar em uma entrevista dada a Duda Menegassi do site OEco e à Agência Brasil, nem todos os veículos da chamada grande mídia estão dando o destaque que este livro merece, porém o apoio da Fundação Heinrich Boll e dos Verdes garante uma repercussão até mundial da iniciativa ecológica e da crítica aos políticos cariocas e brasileiros, também à própria realidade atual.

 

Imagem de satélite da Nasa sobre a poluição da Baia de Ganabara

O Rio de janeiro voltará a ser uma Cidade Maravilhosa?...

Emanuel Alencar escreveu um livro reportagem sobre esta luta ecológica

 

O autor e jornalista ambiental faz questão de aproveitar os holofotes sobre os jogos Rio 2016 para avançar a luta ecológica pela despoluição da Guanabara e do Rio de Janeiro, algo que ele acredita que vai demorar cerca de 20 ou 30 anos, tal a dimensão deste problema hoje em dia. Emanuel Alencar nos informa que o primeiro passo para a despoluição deveria ser implantar um tratamento dos esgotos domésticos em casas, córregos e rios do Rio, "onde hoje há pelo menos um milhão e meio de pessoas sem nenhum tratamento em suas casas". O autor e ecologista critica também a imprensa, comentando que o jornalismo ambiental precisa e merece um espaço maior na mídia, necessita ser urgentemente uma pauta popular, a população sabendo o que se passa, pode colaborar, pode haver um avanço da educação ambiental, de toda forma, ele e todos os pesquisadores e ambientalistas têm consciência clara que o processo de despoluição da Baia de Guanabara e do Rio de Janeiro é vital para se implantar uma gestão de desenvolvimento sustentável no estado e na capital fluminense, capaz de gerar um equilíbrio entre os interesses econômicos e os ecológicos. Esta despoluição e mais uma redução dos índices de violência poderão trazer de volta a magia carioca do turismo e o título de Cidade Maravilhosa, poluído na atualidade. (Antônio de Pádua Silva Padinha)

 

por Emanuel Alencar
Mórula Editorial
Local da publicação: Rio de Janeiro
Data da publicação: Junho de 2016
Número de páginas: 128
Idioma da publicação : Português
ISBN: 978-85-65679-40-4

Para discutir a situação da Baía de Guanabara, cartão-postal e local das regatas dos Jogos Olímpicos de 2016, o jornalista Emanuel Alencar buscou referências em mais de 30 publicações, entre textos, reportagens e artigos científicos, e em uma dezena de entrevistas de pesquisadores, ativistas ambientais, pescadores, gestores e servidores públicos. O resultado é um livro rico em dados, mapas e informações que demonstram que os Jogos Olímpicos passarão sem deixar aquele que seria seu principal legado, com impacto em diversas áreas (trabalho e renda, saúde, lazer, transporte): o início de fato do processo de despoluição da baía. O livro contou com o apoio da Fundação Heinrich Böll e está disponível no site da Mórula Editorial, onde você pode conferir uma prévia do livro reportagem.


Fontes: Fundação Heinrich Boll 

              Agência Brasil
              www.oeco.org.br
              www.folhaverdenews.com

8 comentários:

  1. Logo mais, aqui nesta seção de comentários no nosso blog de ecologia e de cidadania, mais detalhes sobre o tema do livro de Emanuel Alencar e sobre a realidade da poluição da Baia de Guanabara e do Rio de Janeiro.

    ResponderExcluir
  2. Aguarde nossa edição destes comentários e informações mas desde já você pode colocar aqui nesta seção a sua opinião sobre estes fatos.

    ResponderExcluir
  3. Outras opções: você se preferir pode mandar sua msm para o e-mail da redação do blog através do nosso webendereço navepad@netsite.com.br e/ou mandar sua mensagem ou até sugestão de pauta ou fotos ou mais informações diretamente para o e-mail do nosso editor padinhafranca@gmail.com

    ResponderExcluir
  4. "Um livro como este sobre um enorme absurdo tende a se tornar um gigantesco sucesso, na minha opinião e na mi8nha torcida como ecologista e atleta de fim de semana": comentário de José Luiz Pereira, que é carioca e acompanha esta discussão deste criança, ele que é da Urca e advogado.

    ResponderExcluir
  5. "Depois de 20 anos da implantação do programa de despoluição e muito dinheiro gasto, vamos realizar
    os Jogos Olímpicos com a Baía de Guanabara muita suja: porque isso acontece?": Segundo comenta José Pereira Penha, do Rio de Janeiro, esta questão resume o sentimento dos ecologistas cariocas e de toda a população. Penha atua em produção cultural.



    ResponderExcluir
  6. "Para discutir a situação da Baía de Guanabara, cartão-postal e local das regatas dos Jogos Olímpicos de 2016, o jornalista Emanuel Alencar buscou referências em mais de 30 publicações, entre textos, reportagens, artigos científicos e em uma dezena de entrevistas de pesquisadores, ativistas ambientais, pescadores, gestores e servidores públicos. O resultado é um livro rico em dados, mapas e informações que demonstram que os Jogos Olímpicos passarão sem deixar aquele que seria seu principal legado, com impacto em diversas áreas (trabalho e renda, saúde, lazer, transporte): o início de fato do processo de despoluição da baía símbolo da natureza do Rio de Janeiro": este é um texto da Mórula Editorial, que editou o livro reportagem do jornalista e ambientalista Emanuel Alencar, que escreveu em nome de todos nós que amamos a ecologia.



    ResponderExcluir
  7. Emanuel Alencar, o autor, estudou Jornalismo na Universidade Federal Fluminense (UFF-RJ), onde se formou em 2006. É pós-graduado em Gestão Ambiental pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) em parceria com o Instituto Brasil PNUMA (Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente). Começou a carreira na Revista Ferroviária. Depois de rápida passagem pela assessoria de imprensa da Eletronuclear (Eletrobrás Termonuclear S/A), integrou a equipe do jornal O Fluminense, de Niterói (RJ), de maio de 2004 a fevereiro de 2007. Por sete meses, trabalhou na equipe de pesquisa do jornal O Dia, indo depois para o jornal O Globo, onde permaneceu por oito anos e fez desde então uma série de matérias sobre a Baia de Guanabara, a partir de 2007. Atualmente, é editor de conteúdo do Museu do Amanhã. Mantém ainda uma coluna no portal O Eco, especializado em jornalismo ambiental. Nosso blog de ecologia e de cidadania abre espaço para Emanuel Alencar que lança seu livro dia 13 de julho, com certeza, um marco de valor para todo nosso movimento.

    ResponderExcluir
  8. "Não li ainda mas desde já gostei desse livro do repórter e ecologista Emanuel Alencar, pelo seu enfoque, de valor prá ecologia, vou tentar baixar o texto no site da editora Mórula": comentário de Alcir Moretti, de São Paulo (SP), geólogo com especialização da Itália e que atua no interior paulista atualmente, região de Bauru.

    ResponderExcluir

Translation

translation